Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

DOURADOS

Vigilante mata ex, atira contra sete pessoas e se mata no altar de igreja

Homem foi até três diferentes residências e abriu fogo contra moradores, em crime que teria sido premeditado
13/07/2020 10:18 - Glaucea Vaccari


 

O vigilante Rosemir Fernandes, 52 anos, matou a ex-mulher, Lucineide Maria dos Santos Ortega, 51, atirou em outras sete pessoas, entre elas duas crianças, e se matou com um tiro na cabeça, no altar da igreja São José, na noite deste domingo (12), em Dourados. Crime teria sido premeditado e motivado pelo fato do homem não aceitar o fim do relacionamento.

Conforme informações, há cerca de quatro meses, Fernandes gravou um vídeo onde afirma que enfrentaria todo mundo na bala, sem citar nomes, e acrescenta que é um homem de palavra e quem procurou vai achar. Este vídeo já está nas mãos da Polícia Civil.

Ontem, o vigilante foi armado até a residência da ex-mulher, na rua Rangel Torres, onde a encontrou na frente da casa com um grupo de pessoas, fazendo uso de narguilé.  

Ele chegou ao local já efetuando disparos, que atingiram a mulher e também outras quatro pessoas, sendo um tiro no tórax de Luzia Gonçalves, 32 anos, um na perna de Dhionatan Santos Ortega, 20, no tórax de Laura Beatriz, 10, e um na cabeça de Beatriz dos Santos, 4 anos.

Lucineide morreu na hora e a criança de 4 anos está internada em estado grave no Hospital Universitário.

Mãe da criança conseguiu correr e foi perseguida por Rosemir, que a alcançou e puxou o gatilho, mas a arma não disparou por falta de munição e ele deu uma coronhada na cabeça da vítima, fugindo em seguida em uma motocicleta.

O criminoso foi então até a casa de uma outra ex-mulher, Sônia Barros Galvão, 47 anos, invadiu e efetuou dois disparos contra ela.

Em seguida, ele se dirigiu para a residência de um advogado, que conversava com um amigo no momento em que o vigilante chegou e atirou contra os dois.  

Após essa sequência de atentados, o criminoso foi até a igreja São José, caminhou até o altar e atirou contra a própria cabeça. No momento do suicídio, havia fiéis aguardando para receber a comunhão pelo sistema drive-thru.

Rosemir morreu no altar da igreja e, com ele, foram encontrados uma arma calibre .38, usada nos crimes, e uma faca.  

Delegado Gustavo Mussi, que esteve no local, afirmou que um inquérito será instaurado para apontar as circunstâncias e motivações do crime. Também será averiguado se outras pessoas participaram do assassinato e atentados.  Principal hipótese é que crime tenha sido motivado porque ele não aceitava o fim do relacionamento com Rosineide, no entanto, polícia investiga a motivação para os atentados nas residências da outra ex e do advogado.

A príncipio, segundo o delegado, suspeita é de que o crime foi premeditado. O caso foi registrado como feminícidio e será investigado pela Delegacia da Mulher. 

 
 

Felpuda


Questão de família acabou descambando para o lado da política, e a confusão já é do conhecimento público. 

A queda de braço tem como foco a troca de apoio político que, de um, foi para outro. Sem contar as ameaças de denúncia da figura central do imbróglio. 

A continuar assim, há quem diga que nenhum dos dois candidatos a vereador envolvidos na história conseguirá ser eleito. Barraco é pouco!