Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MISSÃO ESPECIAL

“Tristeza generalizada”, diz senador Nelson Trad sobre primeiro dia no Líbano

Integrante de comitiva e sul-mato-grossense, Trad é descendente de libaneses
13/08/2020 16:37 - Yarima Mecchi


Integrante da comitiva brasileira em missão especial a Beirute, no Líbano, o senador por Mato Grosso do Sul e presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado Federal, Nelson Trad Filho (PSD), lamentou a situação como o país está. Em seu primeiro dia na capital Beirute, ele afirmou que a tristeza no país é generalizada.  

Trad é descendente de libaneses e esteve no país há pouco mais de um ano. Ver o antes e depois das explosões que deixou mais de 170 mortos e seis mil feridos o deixou sem palavras. A tragédia atingiu principalmente o porto da capital libanesa, em 4 de agosto, mas deixou rastros de destruição pela capital.

“Sabe quando fica olhando fixamente para o horizonte como se tivesse hipnotizado? Pode passar uma abelha que não muda sua visão. É uma perplexidade. O olhar fica triste. Envolta você não acredita o que aconteceu. Você vê as pessoas arrumando e limpando as casas, nos altos dos prédios e podendo cair dali porque não tem proteção. É algo que nós nunca vimos, uma tristeza generalizada”, relata.  

Dois aviões deixaram o Brasil ontem (12) e chegaram a Beirute por volta das 11h (horário de MS) desta quinta-feira (13). Uma das aeronaves foi carregada com seis toneladas de materiais, entre medicamentos, equipamentos de saúde e alimentos, doados pelo Ministério da Saúde e pela comunidade libanesa no Brasil. Outro avião da Força Aérea Brasileira (FAB), levou os integrantes da comitiva, entre eles o ex-presidente Michel Temer, que é filho de libaneses e chefia a comitiva.  

 
 

“O avião veio pari passu com o nosso para chegar junto, tinha representantes do governo para receber a carga. Ali foi feita a transferência oficial da carga para o Líbano. Fomos para o palácio presidencial, fomos recebidos pelo presidente Michel Naim Aoun, um senhor com mais de 80 anos, aparência cansada. Estava exausto pela situação e pelos protestos. O ex-presidente Michel Temer  conversou com ele e pediu para que deixasse as discussões religiosas e políticas para o momento da campanha, pedindo que agora tivesse paz”.

Comparando como foi a sua primeira visita no país Trad lamentou a pelo período que o Líbano está passando. Ele ressaltou que antes viu um povo alegre e uma cidade com vida, mas que foram embora com a tragédia, deixando apenas a tristeza.  

“É muito triste porque o que me chamou atenção foi a pujança da noite deles, o pessoal saia muito a noite, povo alegre, tem o mediterrâneo que banha a maioria dos bairros. Está uma tristeza generalizada. Parece que é feriado, as ruas vazias”.

Além do sentimento por conta das vidas perdidas e da grande quantidade de feridos, as perdas materiais também preocupam os moradores de Beirute. De acordo com o senador, a rede hospitalar da cidade está funcionando com apenas 50% de sua capacidade. “Imagina metade de uma Santa Casa sem funcionar, do Hospital Regional e tantos outros de Campo Grande. Metade do que tinham para a Saúde foi danificado, insumos, material cirúrgico no chão. Eles falam que o desastre equivale a 30% da bomba de Hiroshima. Vocês não têm noção do tamanho do buraco, um verdadeiro cânion”.

Confira vídeo que senador fez no local das explosões:

 
Senador Nelsinho Trad conta como está a situação no Líbano - Arquivo Pessoal

Felpuda


Os bastidores fervem com a ciumeira que vem acontecendo em alguns municípios, onde determinados candidatos estariam sendo mais prestigiados que outros depois das alianças que foram formalizadas nas convenções. As queixas só aumentam, e as lideranças partidárias já não sabem o que fazer, temendo a possibilidade de que a vitória vá para o ralo. A bronca maior está entre integrantes das chapas puras de vereadores que se coligaram na majoritária. E salve-se quem puder!