Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CRISE

Após saída, Mandetta elogia trabalho técnico de Sergio Moro

Sul-mato-grossense foi demitido pelo presidente Jair Bolsonaro na semana passada
24/04/2020 11:56 - Daiany Albuquerque


 

O ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM) publicou uma mensagem de apoio ao ex-ministro Sergio Moro, que pediu demissão do cargo de ministro da Justiça nesta sexta-feira (24) e fez graves acusações contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Em mensagem publicada no Twiiter, Mandetta afirmou: “O trabalho realizado sempre foi técnico. Durante a epidemia trabalhamos mais próximos, sempre pensando no bem comum. Parabéns pelo trabalho ministro Sérgio Moro. O país agradece! Outras lutas virão”.

Diferente de Moro, que optou por pedir demissão durante coletiva de imprensa após não concordar com a saída do diretor-geral da Polícia Federal, Mandetta preferiu esperar que o presidente o demitisse do cargo, com a alegação de que “médico não abandona paciente”.

A demissão do diretor-geral da Polícia Federal Maurício Leite Valeixo foi publicada nesta sexta-feira no Diário Oficial da União. De acordo com o texto, a exoneração teria acontecido “a pedido”, entretanto, Moro negou que isso tivesse acontecido e também afirmou que não assinou o documento, apesar de seu nome constar na publicação. 

Segundo o ministro, a troca de Valeixo, sem justificativa, significaria interferência política, o que teria sido confirmado pelo presidente, durante conversa com Moro. 

“Pra mim essa é uma sinalização que o presidente me quer fora do cargo, tive outras divergências durante a minha permanência aqui, mas essas divergências ficam para outra ocasião, eu não tinha como aceitar essa decisão, respeito a lei e o Estado de Direito”, disse o ex-ministro.

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.