Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ELEIÇÕES

Denúncias deixaram partidos sem opções para disputa da prefeitura

Lama Asfáltica tirou do cenário nomes de expressão e Lava Jato derreteu o PT em MS
09/08/2015 00:00 - ADILSON TRINDADE


 

O cenário para as eleições municipais em Campo Grande é nebuloso e o clima hoje é de instabilidade política depois da devastação da Operação Lama Asfáltica sobre as principais lideranças políticas do Estado.

Com essa ação policial, não sobrou nenhum pré-candidato de destaque. A Lama Asfáltica “atolou” planos de vários políticos e a Lava Jato abateu a cúpula do PT no País com reflexos nos Estados. Com isto, os grandes partidos estão com dificuldades de encontrar nome de peso político e eleitoral em seus quadros para a sucessão na Capital.

Em Mato Grosso do Sul, o PT já está derretendo com a repercussão negativa dos sucessivos escândalos de corrupção, que levaram para cadeia o símbolo do partido, ex-ministro-chefe da Casa Civil do Governo Lula, José Dirceu, e o ex-tesoureiro João Vaccari, além de outras lideranças petistas e empresariais.

A condenação de políticos e empreiteiros pelo juiz federal Sérgio Moro, do Paraná, provocou reação da população em favor do combate à corrupção.

*A matéria, de Adilson Trindade, está na edição de hoje do Correio do Estado.

 

Felpuda


Sem conseguir controlar a verborragia, figurinha estreante no mundo político-partidário, e que se acha “o último biscoito do pacote”, acabou batendo de frente com titãs da política. Primeiro perdeu os anéis e, agora, os dedos correm sérios riscos. Anda “ameaçando” deixar o lugar onde se encontra, só que por lá vem ouvindo frases como “se é por falta de adeus...”, “os incomodados que se mudem” e “não fará nenhuma falta”.

Como se vê...