Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

FALHAS MÍNIMAS

Com metade do pleito percorrido, MS apresenta 49 ocorrências em urnas até meio dia

Até a metade do tempo de votação 21 municípios do estado tiverem que fazer ajustes ou trocar de máquinas
15/11/2020 12:43 - Rodrigo Almeida


De acordo com informações do Tribunal regional do Eleitoral de Mato Grosso do Sul, o estado apresentava 49 ocorrências em urnas desde o início das eleições na às 7h deste domingo (15).

Ao todo foram 20 substituições de máquinas que apresentaram defeitos e 29 ajustes em 21 cidades. Apenas Campo Grande registrou oito trocas de urnas eleitorais e dez manutenções. Sete quedas também computou múltiplos ajustes, quatro no total.

O TRE/MS ainda aponta que este número corresponde a 0,79% das urnas disponíveis em MS. São ao todo 6 096 máquinas funcionando nos 79 municípios. No estado todo são 614 mil eleitores liberados para votar.

Mais de 150 milhões de brasileiros saem de casa neste domingo para votar nas eleições municipais. Apenas o esteado do Mato Grosso que deve votar para o Senado por ter tido uma chapa cassada em 2019. 

Confira a lista de locais e ocorrências reportadas até as 12h10

  • Anaurilândia: 1 substituição
  • Campo Grande: 8 substituições / 10 ajustes
  • Bandeirantes: 1 substituição
  • Paranaíba: 1 ajuste
  • Caarapó: 1 ajuste / 1 substituição
  • Ladário: 2 ajuste
  • Coronel Sapucaia: 1 substituição / 1 ajuste
  • Rio Brilhante: 1 substituição
  • Eldorado: 2 ajustes
  • Aparecida do Taboado: 1 substituição / 1 ajuste
  • Itaquiraí: 1 ajuste
  • Antônio João: 1 ajuste
  • Sete Quedas: 4 ajuste
  • Corumbá: 1 substituição/ 1 ajuste
  • Fátima do Sul: 1 ajuste
  • Aral Moreira: 1 ajuste
  • Dourados: 1 substituição
  • Nova Alvorada do Sul: 1 substituição / 2 ajuste
  • Ivinhema: 1 substituição
  • Chapadão do Sul: 1 substituição
  • Deodapolis - 1 ajuste

    ▶️ 49 ocorrências até o momento

    ✅ Total de urnas: 6.096 (100%)
    ✅ Substituição: 20 (0,32%)
    ✅ Ajustes: 29 (0,47%)
 
 

Felpuda


Esforços vêm sendo feitos por certos candidatos derrotados na tentativa de conseguir emplacar em cargos públicos comissionados alguns ex-integrantes das equipes de trabalho da campanha eleitoral.

A preocupação não seria, na realidade, com situação de dificuldades que essas pessoas enfrentariam a partir de agora, mas, sim, para livrarem-se de pagar pendências trabalhistas referentes ao período da disputa. Tem cada uma!