Clique aqui e veja as últimas notícias!

JOGO ÁRDUO

Atrás na corrida, Tebet publica carta aberta aos senadores para viabilizar sua eleição

Tebet havia itensificado críticas ao governo deferal, agora tenta conversar os senadores a importância da independência do Poderes da República
25/01/2021 17:00 - Flávio Veras


A senadora Simone Tebet (MDB) publicou uma carta aberta levantando posicionamentos para viabilizar sua candidatura a presidente do Senado Federal. No texto, Tebet tenta se colocar como uma candidata que preza a harmonia e independência entre os três Poderes, tentando fugir da ideia de ser oposição do governo Jair Bolsonaro (sem partido).

Nos últimos dias a senadora vem perdendo força na corrida pela chefia da Casa. Seu adversário, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), tem a preferência do Planalto, além de ter conseguido aglutinar a maioria dos senadores dos maiores partidos de esquerda no Senado, PT e PDT.  

Além disso, também tem a preferência da maioria dos senadores tucanos. No texto, Tebet afirma que sua candidatura nasceu da percepção da necessidade de independência do Senado.  

“A construção da minha campanha à presidência nasceu da percepção da bancada do MDB de que a independência harmônica do Senado Federal com os demais Poderes é pilar essencial para o fortalecimento do Poder Legislativo e do Estado democrático de Direito. O momento exige equilíbrio, respeito às leis e à Constituição, além de um esforço conjunto, de todos, para que possamos sair o mais rápido possível dessa crise sanitária, econômica e social”, explicou.

Em visita a Campo Grande, com o candidato à presidência da Câmara Baleia Rossi (MDB-SP), a senadora tinha aumentado a temperatura em relação às críticas ao governo Bolsonaro, principalmente em condução à crise sanitária provocada pela pandemia da Covid-19.

Um gesto que poderia ser interpretado como uma estratégia de convencer o partido de oposição ao presidente. Porém, com a derrocada em tentar aglutinar esses partidos em prol a sua candidatura, a senadora passou a usar a estratégia de tentar convencer a ala mais de centro, que tem em seu escopo, pautas como o combate à corrupção e a agenda de reformas, travada no Congresso Nacional.  

Esse posicionamento mais ao centro, fica clara nessa carta aberta aos parlamentares. O país precisa da nossa firmeza, bom senso e espírito público. Precisamos unir forças nesta reconstrução do Brasil, a começar pelo apoio incondicional ao Plano Nacional de imunização de todos os brasileiros contra a Covid 19. A gravidade da situação também exige que avancemos com as reformas que alavancarão o desenvolvimento, geração de emprego e renda, aliando nossa responsabilidade social com a devida responsabilidade fiscal”, enumerou.  

E finalizou dizendo que “essa é a grande e árdua missão do Congresso Nacional. Apresento-me, assim, perante as senhoras e senhores senadores como candidata à Presidência do Senado, com o compromisso de priorizar o diálogo, democratizar a deliberação das nossas pautas, ampliar representatividade do colégio de líderes e respeitar as prerrogativas de cada uma das senadoras e dos senadores desta Casa. O Brasil dependerá da grandeza de nossos gestos. Estamos todos os prontos, porque o Brasil está em nós.”