Cidades

Cidades

André manda deputados criticar prefeito

André manda deputados criticar prefeito

LIDIANE KOBER

29/01/2010 - 09h27
Continue lendo...

O governador André Puccinelli (PMDB) recusou-se a comentar a decisão do prefeito Nelsinho Trad, de Campo Grande, de apoiar a candidatura da ministra Dilma Rousseff (PT) à Presidência da República, mas mandou os deputados da base aliada adverti-lo das consequências de fazer campanha da petista em Mato Grosso do Sul. Os parlamentares alertaram da possibilidade de Nelsinho ficar isolado no PMDB e sem apoio para disputar o Governo do Estado, em 2014. A irritação se deve ao fato de o prefeito não aguardar o posicionamento do governador sobre quem vai apoiar na batalha pela sucessão presidencial. Teve deputado que classificou a atitude de Nelsinho como “inoportuna” e outros já calcularam desgaste político do prefeito. O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Jerson Domingos (PMDB), reclamou do fato de Nelsinho não aguardar posição de Puccinelli. O governador ainda não revelou se vai ficar do lado do PT ou do PSDB na eleição presidencial. A tendência dele é ficar com os tucanos, pois condiciona seu apoio a Dilma à retirada da candidatura do ex-governador José Orcírio dos Santos (PT) ao Governo do Estado. Para Jerson, se Nelsinho seguir caminho oposto ao do governador, ficará sem apoio da maioria dos peemedebistas. “Dificilmente ele vai contar com aqueles que seguem o governador para alcançar pretensões futuras”, opinou. “Portanto, essa atitude só vai causar desgaste político para o prefeito”, completou. Além de correr o risco de perder espaço no PMDB, Nelsinho pode ficar sem o apoio de partidos que compõem sua base de sustentação na administração da Prefeitura de Campo Grande. O deputado estadual Zé Teixeira (DEM) deixou clara a posição de “se o prefeito apoiar o PT, lá na frente nós (do DEM) não vamos apoiar nenhum projeto dele”. A ameaça leva em consideração a intenção, já declarada, de Nelsinho disputar o Governo do Estado, em 2014. Na opinião de Zé Teixeira, nem o argumento do prefeito para explicar seu apoio a Dilma foi convincente. Nelsinho disse que não vai contra a candidatura da ministra em função da lealdade ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que repassou elevado volume de recursos a Campo Grande durante sua gestão. “O dinheiro não é do Lula, nem da Dilma. A verba vem dos impostos caros que a população paga”, declarou o deputado do DEM. “Portanto, se o prefeito resolveu apoiar a Dilma, ele precisa assumir a posição como desejo pessoal”, complementou. A relação de Nelsinho com os tucanos também ficou abalada. O deputado estadual Ary Rigo (PSDB) classificou a anúncio do prefeito de apoio a Dilma como “inoportuno”. “Ele faz parte de um grupo, onde as decisões são tomadas em conjunto”, explicou. “Para piorar, o chefe (governador) dele (do prefeito) ainda não se manifestou (sobre a eleição André se apoia em Jerson para mandar recado a Nelsinho Trad presidencial)”, finalizou.

BONITO

Som alto e festas eletrônicas duradouras devem acabar, recomenda MP

No Diário Oficial do órgão desta quarta-feira (17), justificativas como poluição sonora, cancelamento de reservas e diárias em hotéis e "tática de guerra" foram usadas para embasar tal recomendação

17/07/2024 10h30

MPMS recomendou o fim de festas duradouras e com som alto acima dos limites estabelecidos em Bonito

MPMS recomendou o fim de festas duradouras e com som alto acima dos limites estabelecidos em Bonito Foto: Reprodução

Continue Lendo...

O Ministério Público do Mato Grosso do Sul (MPMS), através do Diário Oficial da entidade desta quarta-feira (17), recomendou à Prefeitura Municipal de Bonito não autorizar a realização de festas duradouras e com som alto fora do horário e acima dos decibéis estabelecidos por lei.

Para justificar tal recomendação, o órgão estadual argumenta que as atividades barulhentas podem ser prejudiciais à saúde humana e de animais, que sofrem com sons acima dos 60 dB, além de sofrer consequências mais graves, como a possibilidade de ataque cardíaco com sons acima dos 70 dB.

Outro motivo seria o desconforto causado pelas “Tendas Eletrônicas”, que seriam armadas no gramado da Praça do Rádio, uma zona predominantemente urbana e “fora do perímetro geográfico oficial do Festival de Inverno de Bonito e do calendário oficial do evento”. Ainda sim, a de se considerar que a Praça do Rádio de Bonito é um espaço público localizado em área urbana residencial a 6 metros de distância de casas e sem qualquer barreira acústica, tendo a constante presença de idosos e crianças na região.

Ademais, ainda segundo a determinação, a tenda abrigou, por dois anos consecutivos (2022 e 2023), eventos do tipo “festa rave”, com duração de 14 horas ininterruptas, ou seja, sem intervalo de silêncio, começando meio-dia e terminando após a meia-noite. Consequentemente, isso acarretou no incômodo de moradores próximo ao local, já que os sons eram de caráter repetitivos, hipnóticos e torturante.

Além disso, o Ministério Público também reforça que os sons altos duradouros acarretaram no cancelamento de reservas e diárias em hotéis e pousadas próximas à região, trazendo malefícios à economia e turismo da cidade sul-mato-grossense. 

O MPMS ainda disponibilizou, como forma de exemplificar os “sons torturantes”, uma reportagem do jornal inglês BBC, do qual conta como os estado-unidenses usaram a música alta para torturar o líder panamenho Manuel Noriega, como uma “tática de guerra”.

Após essas considerações, o Ministério Público recomendou à Prefeitura Municipal de Bonito e suas respectivas secretarias a não concessão de alvará, licença ou qualquer tipo de autorização para a prática dessas atividades, com sons descritos como hipnóticos e psicodélicos, fora do horário e limites permitidos por lei (até 55 decibéis entre 7h e 20h e de 50 decibéis ou mais nos demais horários), além de não poderem ser de maneira ininterrupta (sem intervalos de silêncio em dias consecutivos) e em espaços públicos próximos à áreas residenciais.

Além disso, sugere-se a equipagem dos órgãos fiscalizadores responsáveis com aparelhos medidores de som, os chamados sonômetros, a fim de garantir a obediência aos limites impostos por lei, para que então os devidos “criminosos” sejam punidos. Por fim, o MPMS deu o prazo de 15 dias para a resposta do executivo municipal e das secretarias envolvidas, reforçando que, caso as autorizações sejam concedidas para a prática dessas atividades ilegais, os responsáveis serão notificados pelos “eventuais danos e prejuízos causados à população impactada”.

Em resposta, a Prefeitura de Bonito afirmou que irá analisar junto ao prefeito, Silvio Mauro Rodrigues Mota, e as devidas secretarias.

Assine o Correio do Estado

TRÂNSITO

PM autua 331 veículos trafegando em faixa exclusiva em um dia

Ação faz parte da Operação Faixas Exclusivas da PMMS, que começou na terça-feira (16) e vai até sexta-feira (19)

17/07/2024 09h55

Táxis transitando em sua faixa exclusiva

Táxis transitando em sua faixa exclusiva MARCELO VICTOR

Continue Lendo...

Batalhão de Polícia Militar de Trânsito (BPMTran) autuou 331 veículos por trafegarem na faixa exclusiva de ônibus, nesta terça-feira (16), nas avenidas Rui Barbosa, Duque de Caxias e Brilhante.

A ação faz parte da Operação Faixas Exclusivas da PMMS, que começou na terça-feira (16) e vai até sexta-feira (19), podendo se estender por mais dias. Com auxílio de drones, 30 militares participam da operação.

O objetivo é dar exclusividade aos veículos que necessitam desta faixa, como táxis, ônibus ou veículos de emergência.

A via dá mais agilidade e permite que veículos de urgência cheguem mais rápido no seu local de destino, levando em consideração de que dois minutos podem salvar a vida de uma pessoa.

É permitido utilizar a faixa apenas para conversões ou acessar imóveis do lado da via.

Segundo o artigo 184 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB),a multa para quem trafega na faixa ou via de trânsito exclusivo é de R$293,47, sendo infração gravíssima e penalidade de sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

De acordo com o subcomandante do BPMTran, Everton Miller, faixas exclusivas auxiliam na redução de acidentes.

“A ideia é priorizar os veículos que necessitam dessa faixa, para prestar serviço a população em menor tempo, como veículos de emergência e também, prevenir acidentes pelo uso indevido da mesma pelos demais motoristas”, explicou o subcomandante.

Várias batidas, entre carro e ônibus, foram flagradas em corredores exclusivos. Veja:

 

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).