Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SANTA CATARINA

Blumenau cancela Oktoberfest 2020 e festa de réveillon

A decisão foi tomada devido ao aumento dos casos de Covid-19 na cidade e no país
28/07/2020 02:00 - Agência Brasil


A Prefeitura de Blumenau anunciou nesta segunda-feira (27) o cancelamento da Oktoberfest 2020 e da festa de réveillon deste ano na cidade. De acordo com a prefeitura, a decisão foi tomada devido ao aumento dos casos de covid-19 na cidade e no país. Essa será a primeira vez, desde quando foi criada em 1984, que a festa não será realizada. 

A Oktoberfest Blumenau 2020 aconteceria de 7 a 25 de outubro. No fim do mês de maio, a prefeitura havia adiado para os dias 11 a 29 de novembro, com reavaliação da situação da pandemia até agosto. No entanto, a organização decidiu ainda em julho pelo cancelamento, ao considerar o aumento nos casos e mortes por covid-19 na cidade, no estado e em todo o país. 

Segundo a prefeitura de Blumenau, a Oktoberfest gera anualmente, direta e indiretamente, cerca de seis mil empregos. Cerca de 60 setores são beneficiados, impactando desde vendedores ambulantes, taxistas e motoristas de aplicativo, até hotéis, bares, restaurantes e comércio local, gerando uma injeção R$ 240 milhões na economia da cidade. No âmbito musical, são mais de 800 artistas que se apresentam durante a festa.

COVID-19

Segundo o último balanço divulgado pela prefeitura de Blumenau, a cidade tem 38 óbitos por covid-19. Até sábado (25), foram contabilizados 7.402 casos confirmados da doença. De acordo com governo de Santa Catarina, o estado tem 68.730 casos confirmados de covid-19, dos quais 57.424 já estão recuperados e 10.399 permanecem em acompanhamento. Os números foram divulgados na noite neste domingo (26).

O novo coronavírus já causou 907 mortes no estado desde o início da pandemia. Com isso, a taxa de letalidade registrada em Santa Catarina é de 1,32%.

 
 

Felpuda


Alguns pré-candidatos que estão de olho em uma cadeira de vereador vêm apostando apenas nas redes sociais, esperançosos na conquistados votos suficientes para se elegerem. A maioria pede apoio financeiro para continuar mantendo suas respectivas páginas, frisando que não aceita dinheiro público ou de político, fazendo com que alguns se lembrem daquela famosa marchinha de carnaval: “Ei, você aí, me dá um dinheiro aí, me dá um dinheiro aí...”. Como diria vovó: “Essa gente perdeu o rumo e o prumo”.