Cidades

Cidades

Cassação pode ser benéfica para Arruda

Cassação pode ser benéfica para Arruda

Redação

22/03/2010 - 08h05
Continue lendo...

A decisão que cassou o mandato de José Roberto Arruda (ex-DEM, sem partido), até então governador afastado do Distrito Federal, pode ser uma saída para vários problemas que o pivô do escândalo do mensalão do DEM enfrenta. Caso a Justiça mantenha a decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-DF), que determinou a perda do mandato por infidelidade partidária, Arruda perde as prerrogativas do cargo, como foro privilegiado, mas mantém os direitos políticos, o que o deixaria livre para concorrer às eleições já em 2012. A fast ado do gover no desde que foi preso, em 11 de fevereiro, acusado de suposta tentativa de suborno de uma das testemunhas do inquérito que investiga acusação de pagamento de propina dentro do governo do DF, Arruda enfrenta na Câmara Legislativa um processo de impeachment. Se conseguir voltar para o cargo de governador por decisão judicial, Arruda tem grandes chances de não se livrar do impeachment. Na primeira votação em plenário, o parecer que pedia a abertura do processo por crime de responsabilidade foi aprovado por unanimidade. Ao todo, 18 dos 24 deputados votaram pela abertura do processo. E, ao contrário da cassação, o impeachment deixará Arruda inelegível por cinco anos. A perda do mandato também pode facilitar os recursos de Arruda, caso a Justiça abra ação criminal contra ele. Antes de deixar a defesa do governador, o advogado José Gerardo Grossi havia afirmado que, sem foro privilegiado, Arruda teria mais instâncias para recorrer, o que lhe daria mais tempo. Mas os dias de prisão de Arruda podem estar perto de acabar. Apesar de o procurador- geral da República, Roberto Gurgel, sinalizar ser contra sua liberação imediata, ele chegou a afirmar, após a decisão do TRE, que o Ministério Público não pretendia utilizar os 83 dias de prisão provisória e que queria encerrar as investigações, “pelo menos as que envolvem o governador”, o mais rápido possível. “Estamos trabalhando para que seja o mais rapidamente possível; provavelmente abaixo de um mês”. O destino de Arruda deve ser selado em breve. Hoje, encerra-se o prazo para que a defesa recorra da decisão que determinou a perda do seu mandato. A advogada Luciana Lóssio, responsável pela defesa do governador cassado, já afirmou que apresentará recurso, mas ainda não decidiu a qual Corte recorrerá, se ao TRE-DF ou ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral). “Estou analisando o acórdão [decisão] que foi publicado e tem mais de 50 páginas. Ainda estamos decidindo a qual instância vamos recorrer, mas vamos recorrer”. Além de recorrer contra a cassação, a defesa de Arruda ainda espera para essa semana uma resposta do STJ (Superior Tribunal de Justiça) sobre os pedidos de revogação da prisão e de prisão domiciliar. Na quinta-feira, o ministro Fernando Gonçalves – relator do inquérito que investiga o suposto mensalão do DEM – negou o pedido da defesa para que Arruda permanecesse internado em um hospital enquanto se recupera de um problema no coração. Exames médicos constataram uma placa de gordura em uma das artérias do coração de Arruda. A obstrução, de cerca de 50%, será tratada com medicamentos e ele não precisará de cirurgia. Por causa do exame para dimensionar a lesão, o ex-governador passou a primeira noite fora da prisão desde que foi preso, em repouso no Instituto de Cardiologia de Brasília.

BR-262

Polícia Federal encontra carga de cocaína em cilindros de oxigênio

Os entorpecentes estavam sendo transportados escondidos dentro de tanques de oxigênio. A apreensão aconteceu próximo ao município de Terenos

17/07/2024 18h30

Carga de cocaína era transporada dentro de cilindros de oxigênio

Carga de cocaína era transporada dentro de cilindros de oxigênio Divulgação/ Polícia Federal

Continue Lendo...

Agentes da Polícia Federal (PF) encontraram, na madrugada desta quarta-feira (17), uma grande quantidade de cocaína sendo transportada dentro de cilindros de oxigênio, na BR-262, próximo à região de Terenos, a 31 quilômetros de Campo Grande.

O flagrante aconteceu durante uma fiscalização, quando os policiais deram sinal de parada ao caminhão que transportava um tanque de peixe e 10 cilindros de oxigênio. Durante a abordagem, o motorista demonstrou nervosismo, omitindo informações e fornecendo dados equivocados sobre sua viagem.

Diante da situação, o caminhão, a carga e o motorista foram conduzidos à Superintendência Regional de Polícia Federal em Campo Grande, onde foi realizada uma vistoria minuciosa no veículo e nos cilindros.

Para auxiliar na vistoria, os policiais contaram com o apoio de cães do Batalhão de Choque para localizar os entorpecentes. Durante a inspeção, os tanques de oxigênio foram perfurados com equipamentos especializados, e os entorpecentes foram encontrados. A quantidade de cocaína não foi divulgada pela Polícia Federal.

Ainda de acordo com a Polícia Federal, os trabalhos de contagem da cocaína e a estimativa dos valores que seriam revendidos no país estão em andamento.

Carga de cocaína era transporada dentro de cilindros de oxigênio Divulgação/ Polícia Federal 


Mais apreensões de cocaína 

Em outra região da BR-262, próximo ao município de Anastácio, a 137 quilômetros de Campo Grande, agentes do Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado (DRACCO) encontraram cocaína avaliada em mais de R$ 3 milhões dentro do estepe de uma Mercedes Benz.

De acordo com a polícia, o condutor, cuja identidade não foi revelada, foi abordado enquanto transitava pela rodovia. Durante a vistoria no veículo, os policiais encontraram 62 quilos de uma substância branca em pó, análoga à cocaína, escondidos no pneu de estepe da Mercedes Benz.

De acordo com a polícia, a cocaína apreendida é avaliada em R$ 3.100.000,00.

O motorista recebeu voz de prisão em flagrante e foi conduzido à Delegacia de Polícia de Anastácio, onde permanece à disposição da Justiça.

Carga de cocaína era transporada dentro de cilindros de oxigênio A cocaína foi encontrada dentro de estepes da Mercedes Benz/ PCMS/ Divulgação 

Assine o Correio do Estado 

Cidades

Cristiane Alkmin é a nova diretora presidente da MSGás

Ex-secretária de Economia de Goiás assume companhia com o desafio de expandir produção no Estado

17/07/2024 18h20

Nova gestora é conselheira da Associação Brasileira do Direito e Economia

Nova gestora é conselheira da Associação Brasileira do Direito e Economia Bruno Rezende/ Governo MS

Continue Lendo...

A MSGás (Companhia de Gás de Mato Grosso do Sul) terá nova gestão com a chegada da economista e ex-secretária de Economia de Goiás, Cristiane Alkmin Junqueira Schmidt. O termo de posse foi assinado nesta quarta-feira (17), durante reunião entre o governador de Mato Grosso do Sul, Eduardo Riedel (PSDB) e representantes do governo estadual. 

Ex-secretária-adjunta de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, Cristiane tem larga experiência na área econômica e gestão de negócios. O momento, segundo o governador, é importante para a transição energética, que exige alguém preparado para o enfrentamento das mudanças climáticas.  

"Esse é um novo momento para a companhia, que nos últimos nove anos, sob o comando do Rui Pires dos Santos, saltou de pouco mais de 2 mil clientes no final de 2014 para mais 20 mil em 2024, um crescimento expressivo que mostra força e compromisso da empresa. Não tenho dúvidas de que a Cristiane chega em um novo momento e que vai desempenhar um trabalho importantíssimo para o crescimento e expansão da MSGÁS", afirma Riedel.   

Segundo a nova gestora, o gás natural, como insumo de menor emissão de poluentes, tem dois papéis fundamentais: promover a sustentabilidade das atividades produtivas e estabelecer o divisor e dar ritmo na corrida às fontes alternativas de energia. Processos que devem se tornar mais ágeis. 

"Vamos seguir a política de desenvolvimento que vem sendo executada pelo governador Eduardo Riedel e com o secretário Jaime Verruck. Estamos assumindo a companhia com muitos projetos promissores em seu portfólio de ações, ancoradas em uma política de descarbonização muito bem alinhada, com práticas sustentáveis reguladas. Quanto aos desafios, eles são inerentes ao setor", analisa a diretora-presidente da MSGás.

Objetivos da nova gestão  

  • Garantir insumo para o desenvolvimento econômico do Estado;
  • Assegurar uma empresa competitiva e lucrativa;
  • Investir nas fontes renováveis para redução da emissão de poluentes.

Cristiane entende que o Brasil lidera e vai seguir liderando a transição energética pelo histórico de adoção de matrizes energética e elétrica renováveis, mas diante da rapidez com que o clima muda, há que se antecipar o divisor da transição, com estratégias e metas bem definidas e simetrias nas legislações para que as ações não fiquem dispersas.

Nova gestora é conselheira da Associação Brasileira do Direito e Economia Encontro também teve participação dos secretários Jaime Verruck (Meio Ambiente e Desenvolvimento) e Rodrigo Perez (Governo e Gestão Estratégica)

 

CEO da MSGÁS

Cristiane Alkmin Junqueira Schmidt tem mestrado e doutorado em economia pela EPGE/FGV e foi visiting scholar na Universidade de Columbia/NY. É consultora sênior para o Banco Mundial, colunista do Instituto Millenium e da revista Conjuntura Econômica e parecerista nas áreas de regulação, concorrência, defesa comercial, orçamentária, fiscal, de planejamento, tributária e gestão pública.

É membro do 'Mulheres na Regulação' e do 'WebAdvocacy' e conselheira da Associação Brasileira do Direito e Economia. Há 20 anos leciona para os cursos de MBA da FGV, ainda que dê cursos e palestras para outras instituições, e há 20 é parecerista da Revista de Direito Administrativo da FGV Direito Rio.

No setor público, foi secretária-adjunta da Secretária de Acompanhamento Econômico do MF de 2000 a 2003 (4 anos); foi conselheira do Cade de 2015 a 2018 (4 anos) e foi secretária da Economia de Goiás (Fazenda, Planejamento e Orçamento) de 2019 a abril de 2023.

Também foi vice-presidente do Comsefaz (Conselho dos Secretários de Fazenda) em 2022/2023, presidente do Conselho Fiscal da CelgPar de janeiro de 2019 a setembro de 2023, presidente do Conselho de Administração da PreviCom de janeiro de 2019 a setembro de 2023, e membro do Conselho Fiscal da Saneago de janeiro de 2021 a setembro de 2023.

No setor privado, foi gerente-geral de Assuntos Coorporativos da Embratel, economista sell side do Ibre/FGV e do Itaú Asset e giretora do Departamento Econômico do Family Office do Grupo Libra. Além disso, foi diretora estratégica da Cementos Progreso e diretora0-executiva da ONG Pacunam (ambos na Guatemala), e diretora do Departamento Econômico da Compañia de Comércio e Exportación e diretora-adjunta da Autoridad de Desarrollo Local (ambos em Porto Rico).

Foi consultora para o Banco Mundial e para as Nações Unidas para países na África e na América Central, e lecionou no Ibmec, na PUC/RJ, na Universidad Francisco Marroquín e na Universidad Rafael Landívar (ambas na Guatemala).

*Com informações da assessoria 

Acesse o Correio do Estado 

 

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).