Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PANDEMIA

Com estoque para 30 dias, Regional teme falta de remédios para intubação

Diretora afirmou que laboratórios não estão aceitando fazer pedidos porque falta matéria-prima
08/07/2020 17:18 - Daiany Albuquerque


 

Em nota publicada na tarde desta quarta-feira (8) o Hospital Regional de Mato Grosso do Sul afirmou que tem receio de desabastecimento em relação aos principais grupos de fármacos necessários a intubação e manutenção da ventilação mecânica de pacientes. Segundo a publicação, a unidade tem estoque necessário para 30 dias.

No texto, o hospital afirma que já havia previsto que esse tipo de problema poderia ocorrer e que chegou a fazer um estoque razoável para se manter, principalmente durante a pandemia da Covid-19. Entretanto, como não vem conseguindo realizar a compra desses materiais, ele alerta que eles podem chegar a faltar.

Hoje, mesmo com a dispensa da licitação, por estarmos em emergência, mediante a essa pandemia, as empresas sequer fazem cotação, pois não têm previsão nenhuma de produção e entrega”, contou a diretora-presidente do Regional, Rosana Leite de Melo.

Segundo ela, os laboratórios alegam que falta a matéria-prima para a confecção desses remédios e que esse problema não acontece apenas em Mato Grosso do Sul, mas em vários estados do Brasil.

“Os fármacos, que são medicamentos de uso exclusivo em hospitais, nos centros cirúrgicos e em Unidades de Terapia Intensiva (UTI), para procedimentos que exigem anestesia, analgesia, sedação e relaxamento muscular podem vir a faltar no tratamento grave dos pacientes com a Covid-19”, diz trecho do comunicado.

Ainda conforme o hospital, o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) afirma que a falta desses medicamentos se dá “a alta inesperada na demanda, dificuldade de importação de matérias-primas e o valor do dólar. O mercado nacional, de acordo com a entidade, não está conseguindo suprir a procura”.

No último boletim divulgado pelo hospital o setor de atendimento crítico, que englobam ao todo 83 vagas entre UTI e semi-intensiva, estava com apenas dois leitos disponíveis, uma ocupação de quase 98%. Sendo que 46 pacientes eram de casos confirmados da Covid-19.

Em Mato Grosso do Sul, segundo o último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), 11.063 pessoas foram diagnosticadas com o novo coronavírus, com 134 mortes até a noite de ontem. Na Capital, são 3.729 casos, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) e 28 mortes.

 

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.