Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORPUS CHRISTI E SANTO ANTÔNIO

Confira o que abre e o que fecha no feriado de Santo Antônio

Dia de Santo Antônio é em 13 de junho, feriado municipal em Campo Grande
10/06/2020 05:00 - Fábio Oruê, Glaucea Vaccari


 

Lotéricas
Abertura fica a critério de cada proprietário, mas algumas devem abrir no sábado (13), quando há jogos de loteria que correm.

Bancos
Agências bancárias abrem na sexta-feira (12). No sábado, abrem apenas algumas agências da Caixa Econômica Federal para saque do auxílio emergencial.

Correios
Agências não abrem no feriado.

Supermercados
Supermercados e hipermercados funcionam normalmente.

Postos de saúde
Hospitais, Unidades de Pronto Atendimento e Centros Regionais de Saúde que funcionam 24 horas abrem normalmente.

Judiciário
Não haverá expediente no Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul, mas o plantão funcionará normalmente para os casos considerados urgentes.  

Órgãos Públicos
Repartições públicas estaduais e municipais estarão fechadas nos dias 12 de junho (ponto facultativo) e 13 de junho, exceto as de serviços considerados essenciais, como saúde e segurança. 

Shoppings

Shoppings Campo Grande, Bosque dos Ipês e Norte Sul Plaza abrem das 12h às 20h, horário normal estabelecido para o período de pandemia. 

Pátio Central: Abre das 9h às 18h no dia 12 e das 9h às 17h no sábado, com exceção do Detran e postos de identificação, que estarão fechados nos três dias.

Comércio
Comércio terá funcionamento em horário especial até o dia 14 de junho, das 7h30 às 19hs.

Mercadão Municipal 
Funcionamento de sábado ainda não foi definido.

Feira Central
A Feira Central de Campo Grande funcionará normalmente no feriado, das 11h às 22h.

 

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.