Cidades

Gaeco

A+ A-

Envolvidos em esquema mostravam maços de dinheiro para pedir mais propina; vereador foi preso

Vereador da Capital, Claudinho Serra (PSDB) e mais oito foram presos por suposto esquema de corrupção no período em que ele era secretário de Fazenda em Sidrolândia; veja os nomes de todos os envolvidos

Continue lendo...

Além do vereador de Campo Grande e ex-secretário de Fazenda de Sidrolândia, Claudinho Serra (PSDB), tiveram a prisão preventiva decretada pela Justiça o assessor de Cladiunho na Câmara de Campo Grande, Carmo Name Júnior, Ueverton da Silva Macedo (também conhecido pelo apelido de “Frescura”, Ricardo José Rocamora Alves, Milton Matherus Paiva Matos, Ana Cláudia Alves Flores, Marcus Vinícius Rossentini de Andrade Costa e Thiago Rodrigues Alves. 

Todos eles foram alvos da Operação Tromper, conduzida pelo Grupo de Apoio Especial e Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) nesta quarta-feira (3) em Campo Grande e em Sidrolândia. Claudinho, Frescura e Ricardo Rocamora são considerados os líderes do esquema de corrupção. 

O Gaeco verificou em suas interceptações que os envolvidos no esquema pediam emissões de notas fiscais, a mando de Claudinho Serra, para pagamentos de propinas. Em uma das conversas, um dos envolvidos mostrou um maço de dinheiro para indicar a necessidade dos pagamentos. O Gaeco também fala em uma suposta “voracidade” de Claudinho Serra. 

Também foram alvos de mandados de busca e apreensão, os mesmos nove que foram alvo de prisões preventivas, além de Luiz Gustavo Justiniano Marcondes, Jacqueline Mendonça Leiria, a empresa MP Assessoria e Cnsultoria e Serviços Ltda, Rafael Soares Rodrigues, Paulo Vítor Famea, Heberton Mendonça da Silva, Roger William Thompson Teixeira de Andrade, Roberta de Souza, Valdemir Santos Monção, Cleiton Nonato Correia, GC Obras de Pavimentação Asfáltica Ltda, Edmilson Rosa, Ar Pavimentação e Sinalização, Fernanda Regina Saltareli, CGS Construtora e Serviços, Izaquel de Souza Diniz (Gabriel Auto Car), Yuri Morais Caetano, Maxilaine Dias de Oliveira (pessoa física), Maxilaine Dias de Oliveira LTDA (pessoa jurídica) e Jânio José Silvério. 

Como trata-se da terceira fase da operação do Gaeco, o montante das fraudes sob investigação na prefeitura de Sidrolândia já alcança R$ 15 milhões. Desta vez, eles identificaram uma ramificação da organização que atuava no ramo de engenharia e pavimentação asfáltica. 

Maço de dinheiro

A investigação mostra que em 23 de setembro do ano passado, Ricardo Rocamora iniciou conversa com o Uerverton “Frescura” mandando uma foto de maços de dinheiro. “Na sequência, Ueverton Macedo menciona sobre a necessidade de emitir notas fiscais ainda naquele dia, sendo que tal necessidade surgiu devido ao pedido de Claudio Jordão Serra Filho (o Claudinho Serra), tratado nas conversas como “chefe”, afirmaram os promotores do Gaeco.

O Gaeco chega a falar em uma suposta “voracidade” de Claudinho Serra para subtrair recursos da prefeitura. “Ainda sobre o tema, os elementos de prova que serão apresentados demonstram a voracidade de Cláudio Serra Filho em desviar recursos públicos”.

Vínculos com empreiteiras

Na decisão que autorizou a operação, o juiz de Sidrolândia, Fernando Moreira Freitas da Silva, falou da necessidade de prender Claudinho Serra e Carmo Name Júnior, mesmo com a saída deles da prefeitura daquela cidade. Claudinho atualmente é vereador em Campo Grande. 

“Ambos têm possível relação direta com as empresas AR Pavimentação e Sinalização, GC Obras de Pavimentação, e CGS Construtora e Serviços Eireli, que tiveram o vínculo iniciado com a Prefeitura de Sidrolândia, logo após a chegada dele ao cargo de secretário, em 2022, contratadas pela municipalidade, via a modalidade convite, valores que totalizam aproximadamente R$ 12.000.000,00”, afirma o juiz. 

“Ademais, ambos têm relação direta com Ricardo Rocamora, Ueverton Macedo - “Frescura” e Milton Matheus Paiva e as suas empresas, já que foram elas quem sustentaram, desde o início, a provável organização criminosa, continuando tais empresas com contratos atuais com a Prefeitura de Sidrolândia”, complementou o magistrado.

Alarmante!

MS registra duas mortes por síndrome respiratória, totalizando 141 óbitos em 2024

Segundo os dados, houve um aumento de 267 casos na última semana.

24/04/2024 17h47

Foto: Arquivo/

Continue Lendo...

Nesta semana foram registradas duas mortes por SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) em Mato Grosso do Sul. De acordo com o boletim divulgado pela SES (Secretaria de Estado de Saúde) de hoje (24), até o momento foram  registrados 141 óbitos da doença somente em 2024. 

Segundo o levantamento da SAS, foram contabilizados 1741 casos de SRAG. Os números representam uma queda acentuada em comparação ao último relatório. No entanto, a secretaria relata que os números podem aumentar devido à sazonalidade da doença. Os casos podem subir nas próximas semanas.

Na última semana, foram 1.650 casos de SRAG confirmados em Mato Grosso do sul, com 139 mortes pela doença. Há duas semanas, eram 1.383 casos, com 121 mortes, ou seja, houve um salto de 267 casos a mais de uma semana para a outra

A cidade com maior caso da doença é Campo Grande, com 857 casos registrados, com 61 mortes. A letalidade da doença na capital de Mato Grosso do Sul é de 7,1%. 

Logo mais abaixo Corumbá com 127 casos, seguidos por Ponta Porã com 80 casos e Dourados 67 registros. 


Causadores da síndrome SRAG 

Conforme os especialistas, os causadores do SRAG são os SARS-CoV-2, vírus da família dos coronavírus, responsáveis por 43,2% dos diagnósticos. Logo atrás vem o rinovírus, com 25,9% dos casos, e o vírus sincicial respiratório, com 17,7% dos casos. Os demais casos de doenças respiratórias se dividem entre diferentes tipos de Influenza e outros vírus.

 

 Assine o Correio do Estado.

Cidades

Mato Grosso do Sul volta a zerar número de mortes por Covid-19

Apenas 29 casos foram registrados na última semana

24/04/2024 17h40

Reprodução

Continue Lendo...

Nenhum óbito em decorrência da Covid-19 foi registrado nos últimos sete dias em Mato Grosso do Sul, segundo o Boletim Epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (SES), divulgado semanalmente. Os números foram zerados pela segunda vez no ano, já que na semana terminada em 14 de fevereiro também não foi notificada nenhuma morte.

Além das mortes zeradas, outro dado chama a atenção: apenas 29 casos foram confirmados no período.

Desde o início do ano, 61 pessoas morreram de Covid-19 em Mato Grosso do Sul, e 9.013 casos foram confirmados.

Sintomas da Covid-19

É possível que o cidadão esteja infectado com o vírus da Covid-19 caso apresente os seguintes sintomas:

  • Febre
  • Tosse seca
  • Perda do olfato
  • Perda do paladar
  • Falta de ar
  • Dificuldade para respirar
  • Dor ou pressão do peito

Transmissão

O meio de transmissão da Covid-19 se dá por inalação ou contato com gotículas de saliva, secreções respiratórias ou superfícies contaminadas. Portanto, a transmissão pode ocorrer por meio de:

  • Tosse
  • Espirro
  • Catarro
  • Apertos de mão
  • Contato pessoal próximo
  • Contato com objetos contaminados

Prevenção

Existem inúmeras formas de se prevenir o contágio e proliferação da Covid-19. Confira:

  • Vacinação contra Covid-19
  • Uso de máscara
  • Uso de álcool gel
  • Lavagem das mãos com água e sabão
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca
  • Não compartilhar objetos pessoais
  • Ventilar ambientes
  • Evitar aglomerações e espaços fechados

Assine o Correio do Estado. 

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).