Clique aqui e veja as últimas notícias!

TEMPO

Falta de drenagem deixou quatro bairros alagados durante chuva na Capital

Chuvas intensas ocasionaram estragos; as regiões mais afetadas de Campo Grande foram sudoeste e oeste
14/01/2021 08:30 - Ana Karla Flores


Mato Grosso do Sul registrou ontem chuvas intensas, que causaram alagamento em diversos bairros de Campo Grande. 

Especialista explica que danos como alagamentos são ocasionados em razão da falta de drenagem nas ruas dos bairros das regiões sudoeste e oeste da Capital, parte mais atingida da cidade.

De acordo com o subsecretário da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Sisep), Mehdi Talayeh, os bairros mais afetados durante a chuva foram Aero Rancho, Portal Caiobá e São Conrado. 

“As fortes chuvas e a falta de drenagem nesses locais que ocasionam os alagamentos, pois a água corre superficialmente nas vias que não possuem drenagem”.

O subsecretário explica que também recebeu registros de ocorrências no Nova Campo Grande, no Riviera Park e no Jardim Tijuca, todos com problemas de alagamento. 

Talayeh ainda afirma que a Sisep está fazendo todo o serviço de limpeza nas ruas e nos dispositivos de drenagem nos locais alagados.  

“Estamos fazendo drenagem no Nova Campo Grande. Após concluída, vai amenizar um pouco os problemas naquela região. Na ponte do Panambi Verá também rodou uma contenção na lateral da cabeceira”.

Os locais com maiores danos causados pela chuva ficam localizados próximos à região do aeroporto, local com maior volume de chuva registrado. De acordo com o meteorologista Natálio Abrahão, apenas no aeroporto choveu 102,8 milímetros.  

No local, a reportagem do Correio do Estado também flagrou alagamento no Bairro Santo Antônio, onde várias ruas tiveram enchentes.

O meteorologista detalha que na região do Carandá Bos a chuva teve acúmulo de 26,4 milímetros, no Anhanduizinho chegou a 95,2 milímetros e no Jardim Panamá o volume total foi de 45,8 milímetros. O esperado para todo o mês nas quatro regiões é 212,6 milímetros.

OUTRAS CIDADES

Em Corumbá, o estrago foi maior, com a água invadindo casas e deixando famílias desalojadas. A chuva chegou a 123,2 milímetros na região do aeroporto e a mais de 158,6 milímetros na região da Prainha. A forte chuva causou alagamentos em vários bairros e na área central da cidade.

Desde a madrugada, equipes do Corpo de Bombeiros se desdobram para atender as ocorrências. Até o início da manhã, foram mais de cinquenta chamados de moradores que tiveram as casas inundadas pela enxurrada. Animais, idosos e crianças estão entre os resgatados. 

Os bairros mais afetados foram Cristo Redentor, Popular Velha, Aeroporto, Maria Leite e Cravo Vermelho. Ladário, cidade vizinha, também registrou chuva forte na madrugada, mas a água baixou rapidamente e não houve necessidade de atendimentos.

De acordo com Abrahão, as chuvas intensas ocorreram em Corumbá, com 187,6 milímetros, Aquidauana, 24,8 milímetros, Maracaju, 94,3 milímetros, e Ponta Porã, 70,2 milímetros. O especialista explica que em outros municípios também houve chuva, no entanto, com pouco volume acumulado.

 
 

ALERTA DE CHUVA

Durante todo o dia de hoje ainda há possibilidade de temporais na Capital e no interior de Mato Grosso do Sul, conforme alerta vigente do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). 

O Instituto emitiu aviso de chuvas intensas para 64 municípios, que fazem parte das regiões sul, sudeste, centro-norte e leste do Estado, além da área do Pantanal.

De acordo com o Inmet, a chuva pode variar entre 30 milímetros e 60 milímetros por hora ou entre 50 milímetros e 100 milímetros por dia. A velocidade dos ventos será intensa, oscilando entre 60 quilômetros por hora e 100 quilômetros por hora. 

O alerta foi publicado na terça-feira e ficará vigente até hoje.

Durante o período de aviso, os riscos de corte de energia elétrica, estragos em plantações, queda de galhos de árvores e alagamentos são altos. O Inmet instrui que a população deve ficar atenta e evitar utilizar aparelhos eletrônicos ligados à tomada.

A recomendação também é não se abrigar embaixo de árvores em caso de rajadas de vento, pois há leve risco de queda e descargas elétricas, e não estacionar veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda. 

Para obter informações, entre em contato com Defesa Civil ou Corpo de Bombeiros.

PREVISÃO

Até o sábado, as pancadas de chuva intensas devem ocorrer em todo o Estado, com maiores volumes esperados para os municípios da região sul de Mato Grosso do Sul. 

De acordo com o Climatempo, o ar quente e úmido que predomina sobre o Brasil estimula a formação de nuvens carregadas, que provocam pancadas de chuva fortes. 

O avanço de frente fria pelo litoral do Sul do País também estimula o aumento da instabilidade sobre o Estado.

Para hoje, a previsão para Campo Grande é de céu nublado a parcialmente nublado, com aumento da nebulosidade ao longo do dia, chuvas entre 50 milímetros e 100 milímetros e vendaval. Temperaturas oscilam entre 22°C e 33°C, mas o tempo fica bastante abafado. 

Mesmo com as chuvas, a umidade relativa do ar pode ficar baixa em alguns períodos, variando de 30% a 80% ao longo do dia.