MENU

Clique aqui e veja as últimas notícias!

DIÁRIO OFICIAL

Prefeitura cede pedido de igrejas e aumenta capacidade máxima de estabelecimentos

As igrejas também terão toque de recolher diferenciado na virada do ano, podendo funcionar até 1h30
30/12/2020 13:03 - Gabrielle Tavares


Após lideranças religiosas pedirem aumento da capacidade de lotação máxima, a prefeitura de Campo Grande expandiu para 40% o limite de lotação para atividades com atendimento ao público, incluindo templos e igrejas.

A outra reivindicação feita pelos bispos e pastores em reunião na terça-feira (29), para “furar” toque de recolher para realização de vigília durante virada do ano também foi atendida. O toque de recolher foi estendido até 1h30 excepcionalmente à realização de atividades religiosas.

Para o restante das atividades continua valendo o toque das 22h às 5h, exceto quando “necessária para acesso aos serviços essenciais e sua prestação, comprovando-se a necessidade ou urgência”.

Além disso, festas, eventos esportivos e campeonatos de qualquer natureza devem funcionar com 40% da sua capacidade, com limitação máxima de 80 pessoas. 

Últimas notícias

Somente continuam autorizadas a funcionar em horário excedente ao toque postos de combustíveis, farmácias e serviços de saúde, serviços de delivery, de coleta de resíduos e ações destinadas ao enfrentamento da Covid-19.

O horário de funcionamento do comércio será das 8h às 21h e dos shoppings das 10h às 22h.

Decreto prevê ainda a continuidade da suspensão dos cartões do transporte coletivo para estudantes e a liberação para idosos das 9h às 16h. O horário dos ônibus será das 5h às 23h e a capacidade máxima de lotação fica em 70%.

As medidas foram publicadas no Diário Oficial de Campo Grande nesta quarta-feira (30) e são válida até o dia 5 de janeiro, podendo ser reavaliadas e revogadas a qualquer momento, de acordo com a situação epidemiológica do município.

A fiscalização ficara encargo da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana (Semadur), à Secretaria Municipal de Saúde e à Secretaria Especial de Segurança e Defesa Social (Sesdes), bem como à Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran).

Assine o Correio do Estado