Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

UFMS

UFMS anuncia exclusão de Sisu como forma de ingresso para candidatos em 2021

Votação será amanhã, mas universidade informou que esse é um processo que será realizado devido a pandemia neste ano.
15/10/2020 12:29 - Alicia Miyashiro


Nesta quarta-feira (14), foi publicado no Boletim Oficial da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), a Resolução N° 239, que indica a manifestação favorável ao novo estabelecimento do percentual de vagas para ingresso nos Cursos de Graduação no ano de 2021.

O documento assinado pelo Pró-Reitor de Graduação, Ruy Alberto Caetano Corrêa Filho, determina que, se aceita, a nova forma de distribuição não terá mais vagas via Sistema Unificado de Seleção (Sisu).  

Os novos acadêmicos poderão ingressar na UFMS, apenas por meio do Vestibular da instituição, sendo 80% das vagas destinadas a esse processo, que será realizado no dia 29 de janeiro de 2021, e através do Programa de Avaliação Seriada Seletiva (Passe), com 20% das vagas, marcado para o dia 5 de fevereiro.

No ano passado, 20% das vagas eram para estudantes via Passe, 40% era destinado ao vestibular, e 40% ao Sisu — valor dividido entre cotas.

A Resolução será discutida e aberta para votação pelo Conselho Universitário, amanhã (16), às 9h. Para assistir à transmissão ao vivo, basta clicar aqui.

Apesar da votação ainda não ter ocorrido, a Divisão de Processos Seletivos da Pró-reitoria de Graduação, informou que, “essa é uma medida excepcional para 2021, por causa da pandemia e consequente atraso do Enem, a UFMS terá ingresso apenas por Vestibular e PASSE”.

 
 

Felpuda


Questão de família acabou descambando para o lado da política, e a confusão já é do conhecimento público. 

A queda de braço tem como foco a troca de apoio político que, de um, foi para outro. Sem contar as ameaças de denúncia da figura central do imbróglio. 

A continuar assim, há quem diga que nenhum dos dois candidatos a vereador envolvidos na história conseguirá ser eleito. Barraco é pouco!