Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

GIBA UM

“Tem jeito de calote, tem cara de calote. Só não é porque você não está declarando que não vai pagar”

FELIPE SALTO //, diretor-executivo da Instituição Fiscal Independente sobre o uso de precatórios para financiar a Renda Cidadã.
01/10/2020 05:00 - Giba Um


Levantamento do Paraná Pesquisas revela que a maioria (41,1%) dos brasileiros não se importa com a disputa entre Donald Trump e Joe Biden. Para 34%, a eleição presidencial nos Estados Unidos é importante.

Mais: 19,3% classificaram como nem importante nem desimportante. A relevância da eleição presidencial norte-americana é maior entre entrevistados com ensino superior completo: para 42,3% é importante.

In – Salada de frutas caramelizadas

Out – Salada de frutas picante 

 
 

Lingerie Inspiradora 

A atriz e modelo Carol Nakamura, 37 anos, que ficou conhecida após trabalhar como bailarina e assistente de palco do Domingão do Faustão, quer se dedicar mais a carreira de atriz. 

Por causa da pandemia teve um projetos adiados, mas nem por isso para ela está à frente de duas campanhas, uma da Estravaganzza Jeans e Compra Fácil Lingerie. Esta última fez ela mudar de opinião.

“Eu confesso que não tinha o hábito de me preocupar muito com lingerie, mas depois dessa campanha renovei meu guarda-roupa e mudei minha opinião”. 

Casamento é um dos planos pessoais de Carol e ela já até fez um ensaio caracterizado com seu noivo Guilherme Leonel.

Mãe de Juan de 20 anos, a bailarina e o empresário até já adotaram um menino, que por enquanto é guarda provisória. 

Filhote de Bolsonaro 

O deputado federal Celso Russomano usou sua primeira agenda de rua (na disputa à prefeitura de São Paulo) para prestar continência ao capitão.

Oficializando a chapa, exaltou o trinômio “Deus, pátria e família”, que pertenceu ao integralismo dos anos 30.

Disse que vai reproduzir em nível estadual o auxílio emergencial da pandemia, com distribuição de dinheiro para a população afetada pelo isolamento social e prometeu abrir colégios militares em São Paulo em parceria com o governo federal.

Russomano está em primeiro nas pesquisas, mas todas essas promessas precisam ser avaliadas. Em eleições anteriores, estava disparado na frente e nem foi para segundo turno. E lançou o slogan Russonaro, mistura de Russomano e Bolsonaro.

 
 

Novo mundo

Quando entrou no Big Brother Brasil 20, Thelma Assis (vencedora da edição), 35 anos tinha apenas a intenção de ganhar. 

Ela é médica anestesiologista, tinha um canal com poucos seguidores (225) no Youtube onde tentava promover a igualdade social e racial. 

Depois da vitória tudo mudou, passou a integrar a equipe do programa É De Casa e agora está se dedicando mais ao entretenimento.

Com ajuda de profissionais e com 250 mil seguidores no canal ela vai ampliar sua luta e criou um quadro chamado Triangulando onde debaterá alguns temas com convidados.

“Não quero ser inspiração e sim incentivo para que as pessoas, como eu, possam buscar caminhos para superar os empecilhos”.

Mais: Thelminha garante que irá voltar a medicina assim que possível, mas por enquanto irá ajudar como pode, pelo seu canal. 

Conta gotas

Os “recursos ilimitados”, conforme discurso de Bolsonaro, para o combate aos incêndios do Pantanal até agora só existem na fala presidencial. 

O governo de Mato Grosso está penando para arrancar do Ministério do Desenvolvimento Regional uma verba adicional de R$ 20 milhões para a compra ou locação de equipamentos.

 Até agora, o governo liberou pouco mais de R$ 13 milhões para serem divididos entre Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

 
 

Amigos

Nesses dias, Bolsonaro tem dado demonstrações de força e amizade para Celso Russomano.

Telefona pelo menos uma vez por dia, conta piadas, manda mensagens no celular enquanto o candidato do PRP se refere a ele como “o nosso capitão”.

O presidente nacional dos Republicanos, Marcos Pereira, procurou Paulo Skaf para marcar um almoço com o empresariado (e provavelmente, passar o chapéu).

No hospital Albert Einstein, Russomano foi visitar Bolsonaro, que havia sido operado. E Russomano já recebeu a promessa de que Bolsonaro coloca suas redes sociais a seu favor, o que não é pouca coisa.

200 mil postos

Quando, ainda não está decidido, mas o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello e sua equipe já começam a desenhar a operação de guerra para a maior e mais complexa campanha de vacinação da história do Brasil.

O Ministério planeja utilizar até 200 mil pontos simultâneos de imunização contra a Covid-19 – além de hospitais públicos e privados – e postos de saúde, escolas, clubes, igrejas e farmácias serão arregimentados.

É cinco vezes o número de locais disponibilizados em março para aplicação da vacina contra gripes H1N1 e H3N2.

As Forças Armadas terão um papel central na operação, seja na mão de obra, seja no apoio logístico. 

METADE

 Para criar a Renda Cidadã, espécie de Bolsa Família 2.0, o governo cogita usar dinheiro da Educação, mas não fala em rever os bilionários auxílios pagos aos servidores públicos.

 Na discussão sobre retirar a verba do Fundeb, o governo disse precisar de R$ 8 bilhões para o programa.

 Levantamento do Ministério do Planejamento de 2017 revelou que regalias pagas a servidores custam R$ 16,6 bilhões. Bastaria cortar os benefícios pela metade, sem mexer nos salários.

Pelas pesquisas

A Semana da Ciência e Tecnologia, entre 17 e 23 de outubro, servirá de palanque para entidades do setor que aproveitarão para protestar contra o governo Bolsonaro e o apagão orçamentário para pesquisas e desenvolvimento no Brasil. 

Um dos pontos da manifestação serão os seguidos atrasos de bolsa por parte da CNPq. E mais: o orçamento do Ministério da Ciência e Tecnologia em 2021 (R$ 8 bilhões) será 31% inferior ao deste ano.

Diretores de 18 unidades de pesquisa da Pasta serão convocados para granar depoimentos sobre as realizações de suas áreas. 

Entre elas, o INPE, atacado pelos bolsonaristas devido aos dados sobre as queimadas na Amazônia.

Amizade?

No programa de comemoração dos 34 anos do Roda Viva, o sabatinado foi o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e a certa altura ele colocou em dúvida a amizade entre Bolsonaro e o presidente norte-americano Donald Trump.

“Se ganhar o Trump, o presidente Bolsonaro vai dizer “ó, sou amigo dele”. Amigo ninguém é, de presidente nenhum.

Eu era amigo do Bill Clinton, sou amigo do Clinton até hoje. Isso é coisa rara. Para ser amigo tem que falar a mesma língua, pelo menos. Com intérprete no meio não dá amizade.”

Persona non grata

A cada dia que passa o ex-ministro Antônio Palocci, sem partido desde 2017 está se tornando uma persona non grata no PT.

A ira do petistas aumentou contra Palocci após assistirem o documentário Libelu – Abaixo a Ditatura, de Diógenes Muniz, que conta a história da organização trotskista Liberdade e Luta, que estreou quarta-feira (30), no festival É Tudo Verdade.

Em certa altura de sua declaração, Palocci dispara: “Eu fiz seis campanhas e ganhei as seis. Pode ser que se não fizesse caixa 2, eu não tivesse ganhado nenhuma. Mas talvez eu tivesse sido uma pessoa melhor”.

OTIMISTAS

Segundo pesquisa realizada pela FCDLESP (Federação das Câmaras dos Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo) mostra que os comerciantes estão otimistas em relação a venda do Dia das Crianças. 

Para 40% dos entrevistas as vendas deverão aumentar em até 5% em relação ao ano passado. 

Mais para 53,3% dos lojistas as vendas ficarão divididas entre lojas físicas e virtuais, 40% acreditam que os comércios on-line serão os maiores beneficiados e somente 6,7% que as lojas físicas serão as mais beneficiadas.

 

MISTURA FINA

  • NA semana passada, ganhou corpo a articulação pela reeleição de Davi Alcolumbre. Ele se reuniu pessoalmente com quase 50 senadores, articulando acordos, divisões de espaço na Mesa e presidência de comissões. Ele tem apoio de grandes bancadas como PSD e PP, mas ainda não tem o aval do MDB, maior força da Casa. A atuação de Alcolumbre será essencial ao Planalto nos próximos três meses, quando presidirá duas votações estratégias para o governo da Casa as indicações de Bolsonaro para o Supremo Tribunal Federal e para o Tribunal de Contas da União
  • DADOS do Tesouro Nacional de 2019 revelaram que a folha do pessoal ativo da União, estado e municípios era de quase R$ 930 bilhões. Mais: segundo o Ipea, 4,2 milhões de lares se viraram com R$ 600 de auxílio em agosto. Já 11,5 milhões de servidores continuaram alheios a crise.
  • EM Caracas, a deputada Bolívia Suarez denunciou que venezuelanos cozinham galhos de árvores para não morrer de fome. E tem petista brasileiro achando que a ditadura de Maduro é uma maravilha.
  • TAMANHA é a proximidade de Roberto Jefferson, dono do PTB com o presidente Bolsonaro que ele já é chamado de “24º ministro”. E mais poderoso do que muitos dos 23 ministros formais do governo.
  • NA Constituição, o artigo 57, parágrafo 4º, reza que o Congresso elegerá seu presidente “para mandato de dois anos vedada a recondução para o mesmo cargo na eleição imediatamente subsequente”. Não há nada mais claro do que isso. Há anos o então senador Antônio Carlos Magalhães usou um artificio e conseguiu se reeleger para a presidência da Casa.
  • GOIÂNIA não será diferente do restante dos municípios brasileiros na eleição deste ano. Na Justiça Eleitoral, foram registrados para a disputa 14 candidatos. Ganha um passeio do pedalinho na Ilha de Paquetá quem conseguir memorizar todos os nomes.
  • OS momentos de fritura do ministro Paulo Guedes fragilizam os secretários de Fazenda. Estão todos pendurados na agenda fiscal de Guedes. Se for feita uma montagem com secretários, a resposta unanime será: “Todos guedearam”.
  • ABRAHAM Weintraub tem causado constrangimento no Banco Mundial, onde permanecerá mais dois anos. Sua atividade principal é fazer campanha, com direito a boné e camiseta, pró-Donald Trump. A turma do Ministério da Economia está em pânico.

Felpuda


Mesmo sem ter, até onde se sabe, combinado com o eleitor, candidato a prefeito começou a apresentar nomes do seu ainda hipotético secretariado, pois parece estar convicto de que conseguirá vencer a disputa.

Os adversários dizem por aí que ele está muito distante de “ser um Jair Bolsonaro”, que, ainda na campanha eleitoral para presidente da República, já falava em Paulo Guedes para ser seu ministro de Economia. Como sonhar é permitido