Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

OLHAR ARTISTÍCO

Artista visual, Leonardo Mareco cria obras que transitam entre a galeria e as comunidades da cidade

Obras estão expostas na Mostra “Olhar”, que permanece aberta até o dia 4 de novembro em shopping da Capital
16/09/2020 11:00 - Naiane Mesquita


Com apenas 23 anos, o artista visual Leonardo Mareco mostra uma inquietude reservada aos jovens criativos. Mesmo durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) o artista não parou: decidiu produzir tanto dentro de casa como percorrendo as ruas e as comunidades de Campo Grande, em busca de dialogar – respeitando o distanciamento social – com o público.  

“Foi bem difícil, está sendo bem difícil manter minha produção. Eu criei uma rotina de trabalho ainda em casa, no home office, e consegui desenvolver muitos trabalhos, inclusive, essas obras estão em exposição”, explica Mareco.  

Intitulada “Olhar”, a mostra do artista visual está aberta no Shopping Bosque dos Ipês até o dia 4 de novembro e traz justamente as obras que Mareco produziu no decorrer de 2020.  

“Esses trabalhos que estão na exposição foram feitos durante a pandemia, têm alguns mais próximos de experimentações, em que eu mesclo bastante esse trabalho urbano com o institucional. No caso dessa exposição, também utilizei materiais que encontrei durante o meu trabalho na rua, como resto de azulejo”, indica.  

Para Mareco, que começou a se interessar pela arte na rua, voltar de tempos em tempos a esse espaço é obrigatório, mesmo em plena pandemia.

 “Chegou um momento em que eu percebi que deveria colocar alguns trabalhos na rua, claro, tendo o devido cuidado, seguindo as recomendações. Inclusive, eu tenho alguns trabalhos que são interativos e que realmente ajudam nessa questão da pandemia, entre eles, o ‘Ponto de Higiene’", dise.

"Nele, ao lado da obra, eu coloco um kit higienização, feito com água e sabão e instalado pelas ruas para ser utilizado gratuitamente pela comunidade. É uma forma de se comunicar com o público a respeito disso tudo”, acredita.

A ideia surgiu de outro artista de rua, Mundano, de São Paulo. 

“A iniciativa foi minha, mas a inspiração foi no trabalho do Mundano, um artista de São Paulo, e ele quem criou o kit de higienização. Eu mandei uma mensagem para ele perguntando se eu poderia estar espalhando por aqui e ele gostou muito da ideia. Eu coloquei com o kit de higienização dele o meu trabalho”, frisa.  

Os pontos foram implementados no bairro Planalto e na Comunidade Só por Deus.  

 
 

Trajetória

Mareco nasceu no interior de São Paulo, mas mora em Campo Grande desde os quatro anos de idade. “Me considero campo-grandense”, confessa.

O interesse pela arte surgiu desde a adolescência. “Desde os 15 anos sou fascinado pela arte, foi a arte urbana que me inseriu no campo das artes visuais e me fez conhecer outros tipos de arte, mas desde os 15 anos eu [já] fazia grafite”, relembra o artista, que atualmente cursa Artes Visuais na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.  

Pela paixão da arte de rua, Mareco faz questão de ficar perto do público. “No meu caso, eu gosto de estar sempre em debate e em interação com a comunidade. Para a minha produção é extremamente importante estar em diálogo com o público, é um trabalho urbano, um trabalho que está na rua e que fala de momentos atuais”, frisa.

 
 

Serviço – a exposição “Olhar” acontece até o dia 4 de novembro, no primeiro piso do Shopping Bosque dos Ipês.

 
 

Felpuda


Depois de se “leiloar” durante meses, e afirmando que estava até escolhendo o município para se candidatar a prefeito, ex-cabeça coroada não só não recebeu acenos amistosos, como também não encontrou portas abertas com tapete vermelho a esperá-lo. 

Assim, deverá pendurar as chuteiras e fazer como cardume em seu pesqueiro: nada, nada...