Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MÚSICA

Cantora Érika Espíndola é semifinalista em concurso nacional

Votação continua e ganhador fará apresentação em festival de Portugal
04/06/2020 17:22 - Naiane Mesquita


A cantora campo-grandense Érika Espíndola é uma das semifinalistas da 5ª edição do EDP Live Bands, concurso de bandas criado pela EDP. A escolha dos finalistas do concurso cabe ao público, que tem até o dia 7 de junho para entrar no site do concurso e votar na sua banda favorita.  

São 51 bandas de 13 Estados brasileiros e Distrito Federal, que seguem com o sonho vivo para lançar um CD e tocar no NOS Alive em Portugal, um dos maiores festivais da Europa. Érika Espíndola foi selecionada entre 1.051 bandas inscritas pelo júri, tendo em consideração critérios como a originalidade e a qualidade técnica e musical, e pelo voto popular no site do concurso.  

Na plataforma interativa do concurso, há interface para o Facebook, áudios e vídeos das bandas que seguem na disputa.   Os músicos representarão Alagoas, Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo nessa próxima fase da competição. O anúncio das seis finalistas acontece no dia 09 de junho.

Destaque

Érika Espíndola lançou seu primeiro disco em setembro de 2019. Foi destaque na Rádio A Onda, no podcast Troca o Disco e teve o single Guy With A Halo bem avaliado pelo buzz-music.com, de Los Angeles. Influenciado por rock, blues e folk, o disco UNA é um convite àqueles que gostam de psicodelia, riffs criativos e voz poderosa. O time de músicos que acompanha Erika atualmente é composto por Flávio Bernardo na guitarra, Yuirê Campos no contrabaixo, Zé Fiuza na bateria e Daniel Aigner no teclado.

Para votar acesse o site: https://edplivebands.edp.com/brasil/banda/erika-espindola

 

Felpuda


Conversas muito, mas muito reservadas mesmo tratam de possível mudança, e não pelo desejo do “inquilino”.

Por enquanto, e em razão de ser um assunto melindroso, os colóquios estão sendo com base em metáforas.

Até quando, não se sabe, pois o que hoje é considerado tabu poderá se tornar assunto em rodinhas de conversas.

Como dizia o célebre Barão de Itararé: “Há mais coisas no ar, além dos aviões de carreira”. Só!