Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TÊNIS

Djokovic se vinga de Wawrinka e alcança a semi em Cincinnati

O líder do ranking mundial venceu o duelo por 2 sets a 0
21/08/2015 16:47 - GAZETA ESPORTIVA


 

O sérvio Novak Djokovic reencontrou o suíço Stanislas Wawrinka, responsável por seu maior revés no ano, na decisão de Roland Garros, mas desta vez foi muito superior. O líder do ranking mundial venceu o duelo desta sexta-feira por 2 sets a 0, parciais de 6/4 e 6/1, garantindo vaga na semifinal do Masters 1000 de Cincinnati.

Este foi o terceiro duelo entre Djokovic e Wawrinka na temporada. No primeiro, o sérvio triunfou na semifinal do Aberto da Austrália e impediu o suíço de defender seu título no Grand Slam de Melbourne. A revanche do suíço veio meses depois, na decisão de Roland Garros.

Na ocasião, Djokovic era considerado favorito a vencer o torneio parisiense e conquistar seu primeiro título no Aberto da França e levou o primeiro set, mas acabou sofrendo a virada de Wawrinka, que teve grande atuação e frustrou as pretensões do tenista sérvio.

Nesta sexta-feira, no entanto, o líder do ranking não deu chances a seu adversário. Em apenas 1h03min de partida, quebrou o serviço de Wawrinka quatro vezes. Uma na primeira parcial e três na segunda, em que dominou amplamente para conseguir uma vitória tranquila.

Na semifinal em Cincinnati, Novak Djokovic enfrentará o quali ucraniano Alexandr Dolgopolov. Também nesta sexta, o 66º do mundo despachou o tcheco Tomas Berdych em sets diretos (6/4 a 6/2) após 1h15 de partida. O algoz do brasileiro Thomaz Bellucci era o sexto favorito ao título.

Felpuda


Mesmo sabendo que não é fácil conquistar a vitória, alguns políticos em pleno exercício do mandato disputam eleições, querendo trocar o Legislativo pelo Executivo e se dizendo preocupados com as necessidades do município. 

A jogada é antiga: fazem campanha eleitoral antecipada, pois vão tentar a reeleição, e começam a “trabalhar” o nome desde já. É bom lembrar o dito popular: “De boas intenções o inferno está cheio”. Ah, o poder!