Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

ELEIÇÕES 2020

Confira quais são os 29 vereadores eleitos para a Câmara Municipal de Campo Grande

Dos 27 que tentaram reeleição, apenas 12 continuam na Câmara por mais um mandato
15/11/2020 21:58 - Glaucea Vaccari


A população definiu neste domingo (15) quem irá ocupar as 29 cadeiras da Câmara Municipal de Campo Grande pelos próximos quatro anos. 

Dos 29 vereadores, 27 tentaram reeleição e dois concorreram a majoritária, sendo Vinícius Siqueira (PSL) para o cargo de prefeito e André Salineirp (Avante) como vice-prefeito na chapa de Sérgio Harfouche.  

Deste total, 12 conseguiram votos suficientes para continuar na Casa de Leis por mais um mandato, enquanto 15 deixam a Câmara no ano que vem.

Os que não foram reeleitos são Ademir Santana (PSDB), Delegado Wellington (PSDB), Dr. Antônio Cruz (PSDB), Dr. Lívio (PSDB), Enfermeira Cida (PSDB), Junior Longo (PSDB), Dr. Wilson Sami (MDB), Chiquinho Telles (PSD), Enfermeiro Fritz (PSD), Odilon de Oliveira (PSD), Veterinário Francisco (PSB), Cazuza (PP), Dr. Cury (DEM), Eduardo Romero (Rede) e Pastor Jeremias Flores (Avante).

Confira todos os vereadores eleitos em Campo Grande:

  • Tiago Vargas (PSD)
  • Carlão (PSB)
  • Zé da Farmácia (Podemos)
  • João César Mattogrosso (PSDB)
  • Professor Juari (PSDB)
  • Gilmar da Cruz (Republicanos)
  • João Rocha (PSDB)
  • Silvio Pitu (DEM)
  • Professor Riverton (DEM)
  • Valdir Gomes (PSD)
  • Otávio Trad (PSD)
  • Beto Avelar (PSD)
  • Júnior Coringa (PSD)
  • William Maksoud (PTB)
  • Betinho (Republicanos)
  • Camila Jara (PT)
  • Dr. Jamal (MDB)
  • Papy (Solidariedade)
  • Edu Miranda (Patriota)
  • Clodoilson Pires (Podemos)
  • Dr. Sandro Benites (Patriota)
  • Dr. Loester (MDB)
  • Marcos Tabosa (PDT)
  • Ayrton de Araújo (PT)
  • Dr. Victor Rocha (PP)
  • Ronilço Guerreiro (Podemos)
  • Coronel Alirio Vilassanti (PSL)
  • Professor André (Rede)
  • Dharleng Campos (MDB)
 
 

Felpuda


Embora tenha manifestação de que não haverá mudanças na administração municipal que se iniciará dia 1º de janeiro, o que se ouve por aí é que a realidade não seria bem assim.

Alguns setores deverão passar por alterações, como forma de se azeitar engrenagens que estariam deixando a desejar. 

O Diário Oficial, a partir daquela data, deverá ser a publicação mais lida a cada manhã.