Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

JOGADA INESPERADA

Rose Modesto pede para se candidatar, mas acaba perdendo força no PSDB

Deputada federal colocou nome a disposição do partido, diretório reafirmou apoio a Marquinhos
11/09/2020 09:00 - Da Redação


Faltando menos de uma semana para o prazo final das convenções, uma jogada da deputada federal Rose Modesto, inesperada para alguns integrantes do PSDB, que já havia declarado apoio à reeleição do prefeito Marcos Trad (PSD), gerou dúvidas e quase embaralhou o jogo da sucessão municipal.  

Rival de Marcos Trad há quatro anos em uma disputa acirrada, decidida no segundo turno, Rose foi ao diretório do partido colocar seu nome à disposição para uma nova candidatura a prefeita. 

O que ela não esperava é que horas depois de manifestar o desejo de se candidatar e de posar para foto ao lado dos presidentes Sérgio de Paula (estadual) e João César Mattogrosso (municipal) esses mesmos dirigentes lançariam nota reiterando que o PSDB apoiará o prefeito Marcos Trad em sua tentativa de reeleição.  

“O PSDB reafirma seu compromisso e sua coerência nas eleições municipais de Campo Grande apoiando a reeleição do prefeito Marquinhos Trad. Temos convicção de que este é o melhor caminho para continuarmos avançando nas ações conjuntas que estão transformando nossa capital e oferecendo melhor qualidade de vida à população”, diz o documento.

Rose também divulgou uma carta, a mesma que entregou ao partido. 

“Passados quatro anos, entendo que uma recandidatura nossa seria o caminho natural do PSDB, tendo em vista o clamor das bases partidárias e da própria população, carente de alternativas nesta próxima eleição”, afirmou.  

O movimento de Rose não foi bem-aceito pela cúpula, que logo enviou nota reafirmando o compromisso com Marcos Trad. Mas chacoalhou as bases tucanas. Ainda há candidatos a vereador que preferem uma candidatura própria.  

Na mesma carta, Rose pede para que, caso o PSDB confirme em convenção o apoio a Marcos Trad, libere ela para apoiar outra candidatura. “Essa independência faz-se necessária neste momento”, afirmou.  

VICE

Presidente da Câmara, o vereador João Rocha é o nome indicado pelo PSDB para ser o vice-prefeito na chapa do prefeito Marcos Trad (PSD). 

A indicação é dupla: há um documento em que 26 dos 29 vereadores pedem que Rocha seja o vice-prefeito na candidatura do PSD, e o PSDB, por meio de Sérgio de Paula e João Cézar Mattogrosso, também prefere o atual presidente da Câmara como vice de Trad.  

“O partido [PSDB], por reciprocidade e sem estabelecer condições, decidiu apoiar a candidatura de Marcos Trad. O meu nome está à disposição do PSD, mas nosso apoio estabelece condições”, explicou Rocha, que frisou que, mesmo se Marcos Trad preferir um vice de outro partido, o acordo é para que o PSDB continue com o atual prefeito e sem candidato próprio.  

A reciprocidade a que Rocha se refere é a de Azambuja. Em 2018, o apoio de Marcos Trad em Campo Grande foi importante para que o atual governador se reelegesse em uma disputa acirrada com o juiz federal aposentado Odilon de Oliveira.

 
 

Felpuda


Partido político está vivendo processo de autofagia cá por essas bandas. Nada de ideologia ou defesa dos interesses dos filiados. O problema, segundo os mais observadores, é que lideranças não se contentaram em ter cada uma o seu pedaço e decidiram tomar conta com exclusividade do espólio, que, aliás, é regado com cifras milionárias. A legenda deverá se transformarem uma máquina de lavar, no caso, cheia de roupas sujas. E dê-lhe!