Clique aqui e veja as últimas notícias!

VIAGEM

Com recorde de visitantes no “recomeço”, Bonito reforça biossegurança no fim de ano

Após três meses de paralisação em razão da pandemia, destino turístico comemora retorno das atividades
24/12/2020 08:44 - Silvio Andrade


Registrando maior fluxo de turistas nos meses de setembro, outubro e novembro em comparativo aos últimos cinco anos, Bonito comemora o excelente retorno das atividades após três meses de paralisação em razão da pandemia do novo coronavírus.  

Os leitos e os passeios estão praticamente esgotados para os períodos de Natal e Ano-Novo, e as perspectivas para 2021 são de recorde de visitantes, com maior presença de sul-mato-grossenses.boni

A esse boom acrescenta-se, ao lado da nova tendência dos turistas de buscar destinos próximos e de natureza, os investimentos do governo do Estado em infraestrutura e logística. 

O aeroporto local se adéqua às novas normas exigidas para mudança de categoria, passando a receber aeronaves de grande porte a partir de fevereiro ou março de 2021, e a pavimentação das MS-178 e MS-382 coloca a região na rota turística do Corredor Bioceânico (BR-267).

Últimas notícias

“O município e o trade turístico vêm tomando todas as precauções de biossegurança, principalmente agora com a preocupante segunda onda da Covid-19”, afirma o diretor-presidente da Fundação de Turismo de MS (Fundtur), Bruno Wendling. 

“O toque de recolher e a proibição de festas de fim de ano, como o tradicional evento da Figueira, são atitudes responsáveis que vão contribuir para Bonito encerrar um ano conturbado de forma positiva”.

Bruno disse que é favorável à alteração do horário do toque de recolher de 22h para meia-noite até 5h, para evitar aglomerações e filas em frente aos bares e restaurantes de Bonito. 

O decreto estadual determina o horário de 22h, mas o trade turístico e a prefeitura solicitaram ao governo do Estado a mudança. “Até 22h concentra demais o público no centro gastronômico, com o aumento do fluxo de turistas na cidade”, ponderou o turismólogo.

 
 

Sustentabilidade

O retorno das atividades turísticas em julho foi tímido, mas saltou de 3.267 turistas neste mês para 20.946 em setembro e 24.503 em outubro, números que superam as estatísticas de 2015 para cá. 

O destino se preparou como nenhum outro atrativo, criando sete procedimentos de biossegurança e envolvendo toda a cadeia, com restrições de visitas e fechamento da Gruta do Lago Azul. Mesmo com proibição de festas, dezembro deve ter fluxo acima da expectativa.

“O reforço aos protocolos de segurança, com o toque de recolher e a suspensão de eventos para evitar aglomerações, foi fundamental para demonstrar que Bonito faz um turismo responsável e com sustentabilidade”, diz Rodrigo Coinete, presidente do Bonito Convention & Visitors Bureau. Segundo ele, o cenário atual e futuro é de otimismo, com o retorno dos voos (da Azul) contribuindo para aumentar o número de turistas brasileiros e estrangeiros.

A expectativa de novas conexões aéreas em 2021 – a Gol aguarda a conclusão das obras do aeroporto para operar na rota – e o sucesso da campanha promocional para os sul-mato-grossenses colocam Bonito em alta em plena pandemia. 

“A vinda da Gol vai nos conectar com o mundo por meio de Guarulhos, portal de estrangeiros. Com o novo aeroporto, podemos também receber voos fretados”, cita Augusto Mariano, secretário municipal de Turismo.

 
 

O difícil recomeço

O fechamento dos atrativos em abril, por conta da pandemia, causou um forte impacto na economia do município, onde o turismo é uma das principais fontes de renda e emprego, representando 50% do Produto Interno Bruto (PIB). São oito mil empregos diretos e dois mil indiretos. 

A cidade recebeu em 2019 cerca de 220 mil turistas, deixando R$ 340 milhões. Mesmo com restrições, deve fechar 2020 com números expressivos: 150 mil visitantes.

O retorno das atividades em julho, em meio às incertezas, teve a contribuição da Fundação de Turismo de MS, do Sesc e do Sebrae na formatação dos protocolos de biossegurança. Mais uma vez Bonito saiu na frente, inovou no quesito segurança e lançou uma campanha exclusiva para o mercado interno, considerada fundamental para o novo pontapé. 

“A campanha deu certo e o sul-mato-grossense está descobrindo Bonito”, observa Rodrigo Coinete.

Em março deste ano, os turistas de Mato Grosso do Sul representavam 7,9% do total de visitantes ao destino, saltando para 13,3% em novembro com a campanha “MS+Bonito”, onde o “nativo” tem desconto de até 60%. 

“Atrair a população do Estado para fazer um turismo de curta distância e total segurança, em um momento de isolamento, deu certo e foi fundamental nesse recomeço”, diz o empresário Juca Ygarapé, eleito vice-prefeito de Bonito em 2020.