Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TEMPO

Agosto pode acabar sem chuva na Capital, avisa meteorologista

Calor, umidade baixa e poeirão são resultado do tempo seco, prestes a completar 30 dias
11/08/2015 00:00 - DA REDAÇÃO


 

O tempo seco promete não dar tregua ao sul-mato-grossense nesta semana. Apesar da expectativa de registrar 34 milímetros de chuva até o final de agosto, os especialistas explicam que há a possibilidade de não chover neste mês. “No acumulado histórico, os meses de julho e agosto sempre são os mais secos no Centro-Oeste. Mesmo esperando um índice baixo de chuva, ainda há o risco de não chover, já que em 2013, 2010 e 2007 não houve registros. Em 2012 só foram registrados 1,2 milímetros”, justificou a meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), Helena Balbino. 

Na Capital, por exemplo, não cai uma gota do céu desde o dia 15 de julho, ou seja, se a previsão se confirmar, até sábado a estiagem completará um mês. Para entender o fenômeno Helena explica que o calor está sendo causado pela falta de nebulosidade. “O tempo seco vai continuar porque há um sistema de alta pressão sobre o Estado. O ar seco que está no alto nível da atmosfera faz com que não se forme nuvens permitindo que chegue mais radiação solar ao solo”.

A previsão é que hoje e amanhã a umidade relativa do ar aumente um pouco. “Haverá um pouco mais de nebulosidade no Oeste e Sul de Mato Grosso do Sul, mas não chega a chover. Na quarta-feira a expectativa é que os índices voltem a abaixar mais. A recomendação é que as pessoas usem soro para hidratar as mucosas do nariz, pois fica muito seco e não faz uma boa defesa do organismo”. Outra orientação é proteger a pele e manter a hidratação. 

*A reportagem, de Gabriela Couto, está na edição de hoje do Jornal Correio do Estado.

 

Felpuda


Nos bastidores, conversas, ou melhor, quase sussurros, dão conta de que compromisso assumido teria prazo de validade se acontecer a vitória de aliado.

A partir de então, o papo passaria a ser bem, mas bem diferente mesmo, pois, com acordo cumprido, novos objetivos passariam a ser fonte dos desejos, e sem nenhuma moeda de troca.

No caso, não haveria mais sequer um fio de bigode. Tipo, cada um na sua.