Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TRATAMENTO DA COVID-19

Anvisa alerta para o uso da ivermectina, medicamento usado em Campo Grande

Capital aprovou na semana passada o protocolo para uso de hidroxicloroquina e ivermectina
10/07/2020 17:07 - Fábio Oruê


Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) fez um alerta ontem (9) diante das notícias recentes de que algumas prefeituras pelo Brasil, inclusive Campo Grande, distribuirão o medicamento ivermectina como forma de tratamento do coronavírus. Capital aprovou o protocolo que usa a hidroxicloroquina e a ivermectina na semana passada.

Segundo o órgão, ligado ao Ministério da Saúde, o uso do medicamento não é recomendado para a Covid-19 e afirmou que "não existem estudos conclusivos que comprovam o uso desse medicamento para o tratamento da Covid-19", diz a nota. 

A Anvisa também reforçou que o uso de medicamentos sem orientação médica e sem provas de que realmente estão indicados para determinada doença traz uma série de riscos à saúde. 

Em Mato Grosso do Sul, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) não adotou o protocolo de uso da hidroxicloroquina e ivermectina. Além disso, o Hospital Regional também não adotará o protocolo. 

A ivermectina é um medicamento recomendado contra parasitas e, em estudos recentes, o remédio até mostrou resultados positivos contra uma ampla gama de vírus, mas a conclusão foi feita com base apenas em estudos in vitro, ou seja, sem a etapa seguinte de testes em humanos. 

"Os resultados encontrados in vitro não podem ser tomados como verdadeiros in vivo", advertiu o órgão, acrescentando que há apenas um estudo em andamento no Brasil para a comprovação da eficácia do medicamento contra o coronavírus. 

A iniciativa, porém, tem previsão de conclusão para julho de 2021 e não teve a anuência da Anvisa. O órgão ligado ao Ministério da Saúde ainda demonstrou preocupação. 

“USADO PARA GADO”

Ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, demonstrou preocupação com uso de diferentes tipos de remédios para o tratamento e prevenção do coronavírus, mas sem eficácia comprovada cientificamente

“Deve se ter muito cuidado. Tem muitos que defendem a cloroquina, tem muitos que defendem a ivermectina, que é um remédio aqui no nosso Estado muito conhecido porque entrou pelo uso veterinário, depois foi para uso humano, então ele é muito usado para gado. Tem os que defendem o Anitta, tem outros que defendem a heparina, tem outros que defendem o corticoide”, disse Mandetta ao participar de audiência pública na Câmara da Capital. 

 
 

Felpuda


É quase certo que a aposentadoria deverá ocorrer de maneira mais rápida do que se pensava em determinado órgão. O que deveria ser a tal ordem natural dos fatos acabou sendo atropelada por acontecimentos considerados danosos para a imagem da instituição. Os dias estão passando, o cerco apertando e já é praticamente unanimidade de que a cadeira terá de ter substituto. Mas, pelo que se ouve, a escolha não deverá ser com flores e bombons de grife.