Clique aqui e veja as últimas notícias!

CORONAVÍRUS

Após feriados de fim de ano, prefeitura vai ativar mais 10 leitos de UTI em Campo Grande

Ocupação global de leitos se aproxima de 90% na Capital, novos leitos devem ser ativados até o fim da semana
04/01/2021 12:46 - Gabrielle Tavares


A prefeitura de Campo Grande anunciou que novos 10 leitos de UTI devem ser abertos nesta semana no Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (Humap). O anúncio foi feito no primeiro dia útil do ano, após feriados de natal e Réveillon.

De acordo com balanço da Guarda Civil, no dia 25 de dezembro foram fiscalizados 34 estabelecimentos e 166 pessoas foram abordadas nas ruas. Já no ano novo foram 350 pessoas abordas e 14 estabelecimentos fiscalizados.

Últimas notícias

O boletim epidemiológico desta segunda-feira (4) mostrou que a macrorregião da Capital está com 99% de ocupação global dos leitos, sendo 49% de paciente com Covid-19, 6% com suspeita e 44% com outras doenças.

Contudo, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), este número foi menor no primeiro fim de semana do ano. Campo Grande manteve a média de ocupação de leitos de UTI menor que 85%, ou seja, dos 280 leitos disponíveis ao SUS, 50 estavam livres e 230 ocupados.

Os números de leitos apresentados pelo município e pelo Estado podem divergir, pois, os dados sobre a taxa de ocupação de UTI apresentados pela Sesau considera todos os leitos disponíveis aos pacientes SUS habilitados, ou não, junto ao Ministério da Saúde.

Esses leitos são contratualizados em hospitais públicos, filantrópicos e particulares, como o Hospital Adventista do Pênfigo, Clínica Campo Grande, El Kadri e Proncor, que são subsidiados com recursos próprios.

Já os dados da macrorregião de Campo Grande, que engloba outros 33 municípios, aparecem somente os leitos habilitados pelo Ministério. Ou seja, mesmo que o leito esteja disponível, se ainda não foi cadastrado pela pasta nacional, aparecerá como indisponível.

Em agosto do ano passado a taxa de ocupação de UTI global chegou a 95% e foi considerado o pico da pandemia do Estado. Contudo, o mês de dezembro ultrapassou os casos de agosto e com as festas de fim de ano os números podem aumentar ainda mais nas próximas semanas, como apontou em live de hoje o secretário Geraldo Resende.

“Em 24 horas foram registrados 26 óbitos, um número muito expressivo, e essa realidade infelizmente vai prosseguir. Nós estamos fazendo tudo que está ao nosso alcance para evitar, mas o vírus segue avançando", disse fazendo referência aos casos de todo o Estado.

Assine o Correio do Estado