Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PEDIDO ERRADO

Delivery passou do prazo de entrega? Saiba como denunciar

Segundo o Procon-MS, denúncias aumentaram no período de quarentena
23/07/2020 10:44 - Gabrielle Tavares


A pandemia do coronavírus mudou os hábitos de consumo da população. 

Segundo a Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon-MS) os serviços de delivey aumentaram em 400%, especialmente no ramo de alimentos.

Contudo, de acordo com o superintendente do órgão, Marcelo Salomão, as reclamações dos consumidores também aumentaram.  

“Temos várias reclamações contra empresas de delivery que não cumprem o prazo de entrega; casos que o produto nem chega, em virtude da alta demanda desorganizada não entrega o produto para os consumidores; e casos que o produto chega totalmente desfigurado para o consumidor, uma prática totalmente abusiva”, explicou Salomão.

Nesses tipos de denúncia, o superintende explica que há duas possíveis penalidades. 

Se a compra aconteceu por algum aplicativo, o programa deve ser responsabilizado de modo a indenizar o consumidor ou entregar outro produto similar.  

Se o contato foi direto com a empresa e o transportador que danificou o pedido, a responsabilidade é “solidária”, ou seja, a indenização deve ser dividia entre empresa e entregador, e o produto deve ser ressarcido. 

“O consumidor não pode ser penalizado por isso”, garantiu Salomão.

Os atendimentos presenciais do Procon-MS foram suspensos, mas denúncias podem ser feitas pelos canais de comunicação do órgão, como os telefones (67) 99158-0088 e (67) 3316-9800. 

Também é possível acessar o site da instituição. Lá tem a área “Faça sua reclamação aqui”, onde é possível fazer uma denúncia, depois de preencher os dados pessoais.

 
 

Felpuda


Pré-candidato a prefeito de Campo Grande divulgou vídeo em que político conhecido Brasil afora anuncia apoio às suas pretensões. O problema é que o tal líder já andou sendo denunciado por mal feitos em sua trajetória, sem contar que o pai do dito-cujo teve de renunciar ao cargo de ministro por ter ligações nebulosas com empresa de agrotóxico. Depois do advento da internet, essa coisa de o povo ter memória curta hoje não passa de coisa “da era pré-histórica”.