Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PANDEMIA AVANÇA

Julho começa com mais de 700 novos casos de Covid-19 em MS

No dia com mais confirmações, Campo Grande puxa a lista com 323 novos contágios
01/07/2020 10:08 - Eduardo Miranda


Dados da Secretaria Estadual de Saúde indicam que Mato Grosso do Sul teve, nesta quarta-feira (01) o dia com o maior número de novos casos Covid-19 desde o início da pandemia. Dados extra-oficiais indicam 741 contaminações confirmadas nas últimas 24 horas.  

O mesmo painel mostra Campo Grande puxando a lista de novos casos, com 323. Já são 2.491 confirmações na Capital do Estado, conforme números da Secretaria Estadual de Saúde.  

Dourados, que ainda é a cidade com o maior número de confirmações em Mato Grosso do Sul, com 2.670, registrou 134 novos contágios pelo coronavírus.  

Dados das autoridades de saúde também já apontam 88 óbitos em Mato Grosso do Sul. E indicam um índice de letalidade de 3,36% no Estsado.  

De todos os casos confirmados, 4.665 estão recuperados. Até agora, foram realizados 43.671 testes no Estado. 

LINHA DE FRENTE

Uma das novas vítimas do coronavírus em Mato Grosso do Sul é o médico Miguel Yoneda, 74 anos, plantonista no Hospital da Vida. Ele morreu na madrugada desta quarta-feira (1) .  

Apesar da idade, Yoneda abriu mão do isolamento para estar na linha de frente à pandemia. Amigos relataram nas redes sociais o amor do profissional pela atuação clínica.

O médico, que residia em Ponta Porã, estava internado no Hospital Universitário de Dourados com quadro grave da infecção provocada pelo novo coronavírus. Ele é o primeiro médico morto pela doença em Mato Grosso do Sul.  

MÁSCARAS

Para reduzir o contágio, a partir desta quarta-feira (1), em Campo Grande, as punições para quem não usar máscara em locais públicos e também em ambientes compartilhados serão mais severas.  

A Vigilância Sanitária receberá denúncias, e as multas poderão variar de R$ 100 a R$ 15 mil.

 
 

Felpuda


É quase certo que a aposentadoria deverá ocorrer de maneira mais rápida do que se pensava em determinado órgão. O que deveria ser a tal ordem natural dos fatos acabou sendo atropelada por acontecimentos considerados danosos para a imagem da instituição. Os dias estão passando, o cerco apertando e já é praticamente unanimidade de que a cadeira terá de ter substituto. Mas, pelo que se ouve, a escolha não deverá ser com flores e bombons de grife.