Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CURVA ASCENDENTE

MS ultrapassa Tocantins e Acre em número de casos de Covid

Estado se mantinha com o menor registro da doença no Brasil
23/07/2020 12:29 - Glaucea Vaccari


Com 782 novos casos, Mato Grosso do Sul chegou a 19.671 casos confirmados da Covid-19 e ultrapassou os estados do Tocantins e Acre em número de registros da doença. 

O Estado ficou durante vários na última colocação em relação aos casos por Covid-19, mas com o avanço da doença causada pelo coronavírus nos últimos dias, é agora a 25ª unidade da federação em número de casos.

Boletim epidemiológico divulgado hoje pela Secretaria Estadual de Saúde (SES) aponta que, em 24 horas, foram confirmados 782 novos casos no Estado, sendo 332 na Capital.  

Estado soma 19.671 confirmações de Covid-19. Destes, 6.506 estão em isolamento domiciliar, 12.513 estão sem sintomas e já estão recuperados e 386 estão internados.

Entre os internados, 212 em leitos clínicos e 179 em leitos de UTI. Cinco são de outros estados.  

Quanto as mortes, foram mais nove. Duas em Campo Grande, de uma mulher de 67 anos e um homem de 47; uma mulher de 77 anos em Nova Andradina; Mulher de 82 em Rio Brilhante; Homem de 35 em Aquidauana; Homem de 64 em Corumbá; Mulher de 65 anos em Rio Verde de Mato Grosso; Homem de 65 em Terenos e uma mulher de 76 anos em Iguatemi.

“Amanhã vamos passar dos 20 mil casos. Perdemos uma conquista que havíamos tido ao longo do enfrentamento da pandemia, éramos o último estado e fomos superados agora por Tocantins e Acre, fomos para a 25ª colocação. Isso mostra que a doença está muito forte”, disse o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende.

Secretário reforçou ainda que é necessário que cada um cumpra medidas de isolamento e distanciamento social, use máscaras e cumpra os protocolos de higiene, para ajudar a baixar a curva de contágio.

 
 

Felpuda


É quase certo que a aposentadoria deverá ocorrer de maneira mais rápida do que se pensava em determinado órgão. O que deveria ser a tal ordem natural dos fatos acabou sendo atropelada por acontecimentos considerados danosos para a imagem da instituição. Os dias estão passando, o cerco apertando e já é praticamente unanimidade de que a cadeira terá de ter substituto. Mas, pelo que se ouve, a escolha não deverá ser com flores e bombons de grife.