Clique aqui e veja as últimas notícias!

APREENSÃO

Nova fase da 'Lama Asfáltica', Operação 'Motor de Lama' apreende R$500 mil em espécie

Lama Asfáltica contabiliza prejuízos na ordem de R$400 milhões em todas as sete fases
24/11/2020 13:45 - Da Redação


Operação Motor de Lama da Polícia Federal, a sétima fase da operação Lama asfáltica, que já se arrasta há, pelo menos, cinco anos, apreendeu na manhã desta terça-feira (24), cerca de 500 mil reais em valores em espécie.

Conforme já noticiado no Correio do Estado, foram bloqueados mais de 40 milhões de reais nesta fase da investigação. 

De acordo com a corporação, foram encontrados R$ 96.860,00, U$ 49.000,00, € 11.645,00, £ 795,00, valores que, se somados e aplicados o câmbio atual, chegariam próximo à marca do meio milhão de reais.

Acompanhe as últimas notícias do Correio do Estado

A Motor de Lama marca investigações de desvios de dinheiro no Detran do estado. Segundo comunicado à imprensa, os alvos são suspeitos de “desvios de recursos públicos decorrentes de supostas fraudes em licitações para contratação de serviços de emissão de Carteira Nacional de Habilitação, vistoria veicular e de aquisição fictícia de produtos”.

Além disso, “investiga-se a utilização de contas bancárias de “testas de ferro” e a evasão de divisas, mediante a utilização de dólar-cabo para a remessa de valores”. A nota segue dizendo que, se contados as sete fases da Lama Asfáltica, os valores causam prejuízos de cerca 400 milhões aos cofres públicos.

Lama Asfáltica

A operação foi deflagrada em 2015, mas as investigações começaram em 2013. Só na primeira fase, os agentes públicos descobriram rombo de R$ 11 milhões nos cofres públicos, causados por fraudes em licitações.

Em setembro de 2019, o ex-governador André Puccinelli, o filho dele, André Puccinelli Junior, e os empresários João Alberto Krampe Amorim e João Baird, entre outros, foram denunciados pelo Ministério Público por corrupção e lavagem de dinheiro.

As acusações propinas pagas pelo grupo JBS, desvios de recursos nas obras do Aquário do Pantanal, da rodovia MS-040 e também do desvio de recursos públicos por meio de pagamentos à Gráfica Alvorada.