Clique aqui e veja as últimas notícias!

OPERAÇÃO

Polícia Federal bloqueia R$ 40 milhões em nova fase da Lama Asfáltica

As investigações dessa fase tiveram como foco as contratações realizadas pelo Detran-MS e possíveis crimes de corrupção
24/11/2020 09:22 - Gabrielle Tavares


A Polícia Federal cumpre nesta terça-feira (24) onze mandados de busca e apreensão, além de bloquear R$ 40 milhões, em operação Motor de Lama, sétima fase da operação Lama Asfáltica.

Os mandados são cumpridos em Campo Grande e Dourados. Desta vez as investigações têm como foco contratações realizadas pelo Detran-MS e possíveis crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

Conforme apurado pelo Correio do Estado, um dos alvos da operação é o filho do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), Rodrigo Souza e Silva.  

O advogado de Silva, Gustavo Passarelli disse que está acompanhando o cumprimento dos mandados, mas que ainda não teve acesso ao processo e aos autos e que por isso não se manifestaria. "Mas é só mandado de busca e apreensão", declarou.

Acompanhe as últimas notícias do Correio do Estado

Esta nova fase da operação surgiu da análise dos materiais apreendidos em fases anteriores, relacionados com fiscalizações, exames periciais e diligências investigativas.  

Quarenta e seis policiais, com apoio de servidores da Controladoria Geral da União e da Receita Federal, também cumprem “medidas cautelares diversas da prisão, a exemplo da entrega de passaportes dos investigados à Justiça”, declarou em nota a PF.

Lama Asfáltica

A operação foi deflagrada em 2015, mas as investigações começaram em 2013. Só na primeira fase, os agentes públicos descobriram rombo de R$ 11 milhões nos cofres públicos, causados por fraudes em licitações.

Em setembro de 2019, o ex-governador André Puccinelli, o filho dele, André Puccinelli Junior, e os empresários João Alberto Krampe Amorim e João Baird, entre outros, foram denunciados pelo Ministério Público por corrupção e lavagem de dinheiro.

As acusações propinas pagas pelo grupo JBS, desvios de recursos nas obras do Aquário do Pantanal, da rodovia MS-040 e também do desvio de recursos públicos por meio de pagamentos à Gráfica Alvorada.

*Matéria alterada às 9h51 para acréscimo de informações