Clique aqui e veja as últimas notícias!

LIVRO

Perito criminal de MS lança manual de crimes violentos e vira referência no Brasil

Casos que chocaram foram reunidos na enciclopédia criminalística
05/02/2017 12:00 - MARIANE CHIANEZI


 

Depois de colher impressões digitais, pistas, projéteis e manchas de sangue em cenas de crime por quase 30 anos de trabalho, o perito criminal aposentado, Amilcar Serra e Silva Netto, de 56 anos, decidiu unir todos os seus conhecimentos criminalísticos e elaborar um manual contendo os casos mais chocantes em Mato Grosso do Sul e os trabalhos para desvendá-los.

O livro denominado “Manual de Atendimento a Locais de Morte Violenta” está em sua 2ª edição e conta com parceria do segundo autor e também perito, Alberi Espíndula, que atuou no Distrito Federal.

O livro está sendo considerado referência quando se trata de perícia e tem 512 páginas. “Decidi fazer essa junção de todo o material e conhecimento que eu já havia adquirido com o tempo de trabalho. Peguei casos reais, fotos e escrevi o manual”, disse Amilcar ao Portal Correio do Estado.

Lançado em congresso criminalístico em dezembro de 2016 em Santos, o perito revela que a enciclopédia já está sendo muito adquirida por estudantes de concursos. “Ele serve como manual de estudos para quem presta concursos público e como tem um diferencial, chama muita atenção”, relatou.

Repleto de ilustrações, imagens, diagramas, quem adquire o livro “viaja” nas análises do perito em casos brutais que chocaram o Estado, mas ele deixa claro que não detalha nomes e não revela as vítimas.

“Nele [livro] eu não deixo explícito qual caso é, pois existem muitos. Mas existem aqueles casos mais chocantes que chegou a ser destaque na mídia e que certamente quem ler, saberá o que estou falando”, revelou, onde no mesmo, há casos como o de Marielly, morta pelo cunhado em 2011; A execução do delegado Paulo Magalhães, de 2013; e um acontecimento mais antigo, como o “Caso Motel”, de 2008.

Evolução dos livros do manual escrito pelos peritos Amilcar e Alberi - Foto: Gerson Oliveira / Correio do Estado

 ​ESTRUTURA

Amilcar destaca que a segunda edição do livro está muito mais ampla de conteúdos do que a primeira versão. “A primeira edição era mais simples, apenas de minha autoria, com 170 páginas. Já a atual, conta com o dobro de assuntos. Além de estar mais acessível e qualquer um pode ler”, afirmou.

Como publicado pelo Sindicato dos Peritos Oficiais Forenses de Mato Grosso do Sul (Sinpof), o material tem duas partes, sendo a primeira, uma orientação ao leitor no ambiente pericial, mostrando seu potencial como ferramenta na solução de crimes e ao mesmo tempo apresenta a metodologia a ser aplicada.

Já na segunda parte, o livro tem diversos tipos de abordagens a ser utilizada em um local de morte violenta, apresentando ao leitor, com toda a construção da cena do crime.

INSTRUMENTO DA VERDADE

Como destacou o presidente da Associação Brasileira de Peritos Criminais, Iremar Paulino, no lançamento da obra, a perícia não é um instrumento de defesa ou de acusação, mas sim “um instrumento da verdade para definir a autoria”.

O livro, que tem a proposta de oferecer mais que um guia de investigação e consulta diária da profissão, pode ser adquirido na Livraria Saraiva ou diretamente na editora Millennium, que elaborou o material. O manual custa R$ 330.

Amilcar não descarta uma terceira edição ainda mais repleta de conteúdo nos próximos anos e com casos recentes nas páginas, como o assassinato de Adriano Correia, morto no dia 31 de dezembro pelo policial rodoviário federal, Ricardo Hyun Su Moon. "Não desconsidero uma terceira edição, mas isso ainda pode levar tempo", finalizou.