Cidades

DEODÁPOLIS

Rapaz é executado com tiros
na cabeça enquanto
caminhava em rua

Vítima chegou a ser socorrida e foi levada para hospital, mas acabou morrendo

LAURA HOLSBACK

27/08/2015 - 07h00
Continue lendo...

Marcos Vinícios Monteiro Alves, 22 anos, foi executado com tiros na cabeça enquanto caminhava pela Rua Jonas Ferreira de Araújo, no Centro de Deodápolis, na noite de ontem (26). O autor do crime foi Tales José da Silva, 18 anos, de acordo com apuração da polícia.

A vítima seguia na companhia de um amigo no momento em que foi surpreendida pelos tiros. A testemunha contou que o atirador surpreendeu Marcos pelas costas quando caminhavam pela via. O assassino se aproximou em um automóvel, freou bruscamente e fez três disparos.

Dois deles acertaram a cabeça de Marcos, que chegou a ser levado ao hospital público da cidade, mas acabou não resistindo.

Segundo o amigo do rapaz, foi possível verificar que o atirador usou espingarda para cometer o crime.

BUSCAS

Policiais militares receberam denúncias de que o assassino estava na casa mãe, foram ao local, mas não o encontraram. De lá, seguiram para a casa dos avós de Tales, onde apreenderam apenas o carro - modelo Tipo, documentos pessoais dele e um estojo de munição calibre 22.

Os avós disseram aos policiais que souberam que o neto havia cometido o crime, mas não sabiam informar o seu esconderijo.

O motivo do crime ainda não foi esclarecido pela polícia.

Susto

Incêndio em ônibus assusta moradores e provoca falta de energia em bairro de Campo Grande

De acordo com a polícia, o veículo estava sem bateria, o que dificulta a ocorrência de uma pane elétrica. O incêndio, que deixou diversos moradores sem energia, será investigado pela Polícia Civil.

14/07/2024 15h30

Veículo ficou completamente destruído pelo fogo.

Veículo ficou completamente destruído pelo fogo. Divulgação/ Página Campo Grande Mil Grau

Continue Lendo...

O incêndio de um ônibus estacionado na rua Rio Bonito, no bairro Rita Vieira, em Campo Grande, assustou os moradores na manhã deste domingo (14). De acordo com a Polícia Civil, o caso será investigado e acredita-se que o incêndio. 

Conforme informações da perícia técnica, o veículo estava sem bateria, o que dificulta a possibilidade de pane elétrica. De acordo com a polícia, os moradores relataram que o incêndio começou por volta das 6h.

Imagens divulgadas pela página Campo Grande Mil Grau nas redes sociais capturaram os momentos em que as chamas consumiram o veículo, assustando os moradores.

Nas imagens, é possível ouvir múltiplas explosões na fiação elétrica atingida pelo incêndio. Equipes do Corpo de Bombeiros foram acionadas e conseguiram extinguir o fogo.

Em depoimento à polícia, o proprietário do ônibus informou que o veículo estava estacionado na rua há quatro meses e era utilizado para aluguel. Ele ressaltou que o ônibus é de propriedade particular e não pertence ao Consórcio Guaicurus.o pode ter sido criminoso.

Em nota ao Correio do Estado, a Concessionária Energisa informou que a região ficou sem energia elétrica até às 10h.

Além da Perícia Técnica, a Polícia Civil esteve no local e deve investigar as causas do incêndio.  

 

 

Assine o Correio do Estado

Polícia

Motorista desvia de lobinho, capota veículo e passageiro morre na BR-262

De acordo com a polícia, a vítima estava no banco de trás do veículo. A família voltava de uma festa quando um animal atravessou a pista.

14/07/2024 14h30

Acidente aconteceu sentido ao município de Terenos, a 31 quilômetros de Campo Grande

Acidente aconteceu sentido ao município de Terenos, a 31 quilômetros de Campo Grande Foto: Marcelo Victor / Correio do Estado

Continue Lendo...

Evaldo Luis do Nascimento, de 21 anos, morreu na madrugada deste domingo (14), próximo ao município de Terenos, a 31 quilômetros de Campo Grande, enquanto voltava de uma festa com a família. De acordo com a Polícia Civil, o caso será investigado, mas há a possibilidade de que o motorista tenha perdido o controle do veículo após um animal cruzar a pista.

Conforme informações da polícia, no veículo estavam cinco pessoas da mesma família, que voltavam de um evento em Dois Irmãos do Buriti, quando um lobinho atravessou a pista. O motorista, de 27 anos, se assustou com o movimento do animal e perdeu o controle do carro, saindo da rodovia.

Com o impacto da batida, Evaldo, que estava no banco de trás sem cinto de segurança, morreu no local. A condutora, de 27 anos, seu marido e duas passageiras que também estavam no banco de trás ficaram feridos e foram encaminhados à Santa Casa de Campo Grande.

Ainda de acordo com a polícia, o motorista não possuía Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e o caso será investigado pela Polícia Civil de Terenos.

 

Rodovia da Morte 

Números compilados de 2018 mostram que no Mato Grosso do Sul e na Região Centro-Oeste, a BR-163 ainda mantinha o título de "rodovia que mais mata", sendo que a privatização de 2013 buscava tirar o título macabro do trecho. 

Cerca de dois anos após a privatização, os números de 2015, de fato, apontavam para uma queda de mais de 50% nas mortes, com a PRF indicando que os 64 óbitos de 2014 haviam caído para apenas 30 em 2015.

Acontece que os números voltaram a subir, e as melhorias na via estão paradas há sete anos, já que a CCR MSVia, não cumpriu com o contrato, que previa a duplicação de todos os 845 km da BR-163, de Mundo Novo, na divisa com o Paraná, a Sonora, na divisa com o Mato Grosso. Desde o início da concessão, há dez anos, foram duplicados apenas cerca de 155 km.

O prazo para a duplicação completa terminaria em 2024, mas a concessionária fez apenas a duplicação necessária para iniciar a cobrança de pedágio, nos três primeiros anos.

A rodovia não recebe investimentos desde 2017, quando a empresa solicitou o reequilíbrio do contrato. A CCR chegou a dizer em 2019 que não tinha interesse em permanecer com a rodovia e até cobrou a devolução de ativos da União, no valor de R$ 1,4 bilhão.

Desde então, o Governo Federal vem prorrogando o contrato com a CCR MSVia para a administração da BR-163.

Em 2023, foram realizadas audiências públicas em Brasília e em Mato Grosso do Sul para debater o futuro da rodovia federal que corta o estado. Em julho, uma decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) autorizou a assinatura do acordo consensual entre o Governo e a CCR MSVia.

Dois meses depois, a União e o Estado fizeram uma proposta para que a CCR MSVia continuasse com a concessão, apresentando regras para assinatura do novo contrato, como a manutenção do pedágio, a duplicação de mais 68 km de rodovia e a implantação de 63 km de faixa adicional, 8 km de marginais e 9 km de contornos.

A CCR MSVia teria mais 20 anos com a BR-163, porém, com esse novo acordo, o prazo será estendido por mais 15 anos. Nos primeiros três anos contratuais, haverá investimento de boa parte do total de recursos destinados.

A empresa promete a duplicação de mais 190 km e mais 170 km de terceira faixa.

O novo contrato, que prevê R$ 12 bilhões de investimento na rodovia, deveria ter sido assinado no primeiro mês de 2024. No entanto, um impasse do Tribunal de Contas da União atrasou o processo, que ainda está parado.
 

Assine o Correio do Estado

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).