Cidades
NOVA LIMA

Suspeitos que agrediram até criança em roubo morrem em confronto com a PM

Desde quarta-feira, quatro suspeitos em confronto em MS

RENAN NUCCI

30/11/2018 07:45

 

Dois homens morreram em confronto com o Batalhão de Choque da Polícia Militar no final da noite de ontem, na região do Nova Lima, em Campo Grande. Ambos são suspeitos de terem participado de roubo a residência no último dia 25, quando agrediram os moradores, inclusive uma criança, para tomar automóvel Toyota Corolla. Com a dupla, já são quatro suspeitos mortos em confronto com policiais desde terça-feira em Mato Grosso do Sul. 

Conforme apurado, por volta das 23 horas, outra equipe da PM pediu apoio porque dois homens armados estavam em fuga, escondidos em um quarteirão nas imediações da Rua Jerônimo de Alburquerque. O Choque chegou ao local e deu início a uma varredura no Centro de Ensino Maria Edwiges Borges. Um dos policiais subiu na cobertura, quando surpreendeu um suspeito que se posicionou de pé segurando um revólver e em seguida fugiu pelo telhado. O militar deu ordem de parada, mas o homem apontou na direção dele e puxou o gatilho.

No entanto, o 38 “picotou”, ou seja, não disparou. Mesmo assim, o homem continuou insistindo na tentativa do disparo. Por este motivo, o PM revidou, o baleou e o desarmou. Simultaneamente, outro policial do Choque que fazia buscas pelo imóvel se deparou com o segundo suspeito, que surgiu armado atrás de uma construção e também puxou o gatilho, sendo baleado em revide. Os policiais afirmaram que todas as munições estavam picotadas, caracterizando que houve várias tentativas de disparo, em vão.

Os dois homens chegaram a ser socorridos e encaminhados à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Nova Bahia, mas não resistiram. Eles foram identificados por uma vítima como autores de roubo de um veículo Corolla dias atrás. Na noite de terça-feira, Wilhiam Carlos Santos da Silva, de 19 anos, morreu em confronto com a PM na favela do Mandela, também na Capital. Na quarta-feira, contrabandista de cigarro morreu ao trocar tiros com a PRF na BR-262, em Aquidauana.