Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CARINHO

Serenatas aquecem o coração e salvam músicos na pandemia

Com apresentações restritas, músicos voltam ao passado ao oferecer serenatas para clientes
30/07/2020 07:00 - Naiane Mesquita


Capaz de embalar casais apaixonados ao longo dos anos, sir Elton John foi o escolhido para homenagear os 36 anos de casamento de Valéria e Edison Serratine. Com a música “Your Song”, os dois celebraram a união em frente de casa, em uma serenata realizada pela cantora Érika Espíndola e pelo músico Flávio Henrique Bernardo. “Foi emocionante. Para nós significou muito, porque a gente adora a música e a Érika é uma excelente cantora”, afirma Valéria, 59 anos.  

Foi ela quem contratou o casal de músicos para cantar em homenagem ao marido. “Decidi realizar a serenata por uma série de motivos. Minha filha conhece a Érika e contou que ela decidiu oferecer o serviço de serenata no Dia dos Pais. Então, me veio à mente preparar a surpresa. Apresentei para ela a música e a Érika aceitou o desafio”, ressalta Valéria.  

A serenata aconteceu no dia 28 de julho, em frente à casa de Valéria, e foi a primeira realizada pelos músicos. “A gente ficou meio sem eira e nem beira nessa época de pandemia, matutando formas de levantar uma grana. Começamos a realizar lives, mas o público cansou, porque começou a flexibilizar, então o Flávio, que também é meu marido, veio com essa ideia de fazer a serenata dos Dia dos Pais”, explica Érika.  

Apesar de aproveitar a data comemorativa, Érika explica que atende outros tipos de celebração. “Somos apenas nós dois, eu e meu marido, ele toca e eu canto. Nós ficamos do lado de fora e a pessoa pode ficar do lado de dentro, sem ter contato, por causa da pandemia. Temos uma lista de músicas que a gente interpreta, são mais de 200 canções no repertório. No caso, se a pessoa quiser uma que não esteja no repertório, só precisamos de um tempo hábil para estudar e ensaiar a canção”, explica.  

Mais informações sobre a serenata de Érika pelo telefone: (67) 98139-7917.

 
VÍDEO - Érika Espíndola durante serenata para Valéria e Edison Serratine - Arquivo pessoal
 

Serenatas de amor

Assim como Érika, outros músicos estão realizando serenatas durante o período de pandemia.  

O saxofonista Jader Leandro, 34 anos, atuava, principalmente, em festas de casamento, mas com a pandemia do novo coronavírus viu as apresentações serem canceladas de uma hora para outra.

As serenatas acabaram sendo uma saída para manter o romantismo e as contas em dia.  

“Eu já fazia antes, mas a maioria era para casais. Eu toco muito em casamento, o meu nicho principal é casamento, como estava muito relacionado a isso, a grande maioria foi de serenatas para casais, pedido de namoro, pedido de casamento, nesse segmento”, aponta.  

Com a pandemia, Jader recebeu outros convites, que incluíam aniversários, Dia das Mães e até vídeos gravados especialmente para homenagear alguém. “Quando começou a pandemia, as pessoas precisaram ainda mais dessa mensagem musical, do alento que a música é capaz de trazer. Comecei a fazer as serenatas para idosos. A família ficava do lado de dentro e eu chegava tocando na frente da casa. Fiz uma em um residencial tocando em cima de um caminhãozinho e serenatas on-line, aproveitando a tecnologia”, frisa.  

No caso da serenata on-line, as músicas eram gravadas e enviadas pelo WhatsApp das mães, por exemplo. “Foi uma coisa muito legal, eu consegui um sustento, porque, para nós músicos, está extremamente difícil. A pessoa me contrata, faço a seleção de músicas e uma dedicatória personalizada”, conta. Mais informações sobre o trabalho do Jader pelo número: (67) 98115-9166.

 

 
 

Surpresa

A banda É de Bom Tom, que também atua no nicho de festas e eventos, principalmente casamentos, adotou as serenatas e já realizou apresentações para casais até em supermercado. “Não fazíamos serenatas, até porque não tínhamos tempo. A nossa tarde e noite é bem corrida por conta dos eventos”, explica Jacklin Andreucce.  

A banda tem sete integrantes, mas, por conta da pandemia, as serenatas são realizadas por Jacklin e pelo músico Gustavo Monge. “Nós já fizemos aniversário de 15 anos, Dia dos Namorados, aniversário de casamento, aniversário comum. Teve uma senhora de 89 anos que recebeu a serenata, e, como o dela foi em junho, nós chamamos de correio elegante. Teve caso de a noiva mandar para o noivo, que foi a última que nós fizemos, e o rapaz chorar, porque nunca tinha recebido isso”, pontua.

Além de cantora, Jacklin também é jornalista e mestre de cerimônias. “No meu caso, o É de Bom Tom é um complemento de renda. Com a pandemia, eu vi o quanto esse complemento me faz falta”, explica. Mais informações sobre a banda no telefone: (67) 99954-7013.

 

Felpuda


Devidamente identificadas as figurinhas que agiram “na sombra” em clara tentativa de prejudicar cabeça coroada. Neste segundo semestre, os primeiros sinais começarão a ser notados como reação e “troco” de quem foi atingido. Nos bastidores, o que se ouve é que haverá choro e ranger de dentes e que quem pretendia avançar encontrará tantos, mas tantos empecilhos, que recuar será sua única opção na jornada política. Como diz o dito popular: “Quem muito quer...”.