Clique aqui e veja as últimas notícias!

VIAGENS

Aeroporto da Capital tem pior volume de passageiros em 8 anos

Cidade ficou sem voos diários, mas companhias retomam rotas na segunda quinzena do mês
10/06/2020 06:00 - Ricardo Campos Jr


O Aeroporto de Campo Grande registrou o pior movimento de passageiros e aeronaves dos últimos oito anos no acumulado de janeiro a maio, segundo dados da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). O motivo é a pandemia da Covid-19, que forçou o cancelamento das viagens e deixou a cidade sem voos diários desde março.

As companhias aéreas pretendem retomar parte das frequências envolvendo a Capital a partir da segunda quinzena de junho.

Dados da Associação Brasileira das Agências de Viagens em Mato Grosso do Sul (Abav) mostram que o município já está com conexões diretas para Congonhas (SP) todos os dias da semana pela Latam desde 1º de junho, com rotas ida e volta duas vezes ao dia.  Voos para Brasília pela mesma companhia aérea têm sido operados também desde o começo do mês, mas somente de domingo a sexta-feira. A empresa também tem à venda opções para Guarulhos apenas nos dias úteis. 

Já a Passaredo tem feito a ligação com Três Lagoas também desde 1º de junho de segunda a sábado.

A Gol, conforme a Abav, manteve apenas uma rota: Guarulhos, partindo e chegando às segundas, quartas e sextas-feiras. 

Já a partir do dia 15 de junho, a Azul vai ativar a rota Campo Grande-Curitiba de domingo a sexta-feira e a partir do dia 25, passa a operar o voo para Confins (MG) de segunda a sábado no trajeto de ida e em todos os dias da semana na volta. A companhia tem mantido as frequências para Viracopos, hub da aérea no país.

Todos esses trajetos estão disponíveis, mas só vão se confirmar se houverem passageiros para embarcar, então estão sujeitos a alterações.

“Cada companhia foi se adaptando, mexendo nas suas rotas nesse período de abril, maio e junho, em que estamos tendo a retomada de alguns voos. Ninguém estava se movimentando. Com voos vazios elas não tinham como manter os voos”, disse a vice-presidente da Associação, Cristina Albuquerque.