Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PANDEMIA

Aposentadorias pelo INSS dobram no Estado

Servidores da Previdência, em teletrabalho, já aposentaram 3.205 pessoas no Estado neste ano
27/07/2020 09:15 - Eduardo Miranda


A pandemia da Covid-19 e os primeiros resultados da força-tarefa criada após a reforma da Previdência pelo Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) fizeram com que os pedidos de aposentadoria disparassem em Mato Grosso do Sul em 2020.  

O total de benefícios concedidos nos primeiros seis meses deste ano já é o dobro do ano passado e o maior dos últimos três anos.  

A velocidade, que impressiona quando comparada aos últimos anos, se adiciona a um outro detalhe, que torna os números surpreendentes para muitos: todos os benefícios foram concedidos por servidores do INSS que atuam em regime de teletrabalho (home office) desde que as primeiras ações para evitar a disseminação do coronavírus tiveram início – em março.

Entre os meses de janeiro e junho, o INSS concedeu 3.205 aposentadorias por idade em Mato Grosso do Sul. 

No mesmo período do ano passado foram 1.650, o que configura um aumento de 94%. No primeiro semestre de 2018, a Previdência Social concedeu 2.505 aposentadorias por idade no Estado.  

Olhando o total de aposentadorias concedidas no semestre por uma outra perspectiva, é possível constatar que as 3.205 aposentadorias liberadas neste ano equivalem a 61% do total desse mesmo benefício concedido no ano passado (5.239).  

A rapidez na concessão de aposentadorias neste ano é observada se contrastada com a demora provocada entre o segundo semestre de 2019 e janeiro deste ano, quando uma enxurrada de pedidos se acumulou no instituto. A maioria dos pedidos foi feita em razão da reforma da Previdência, promulgada em novembro.  

 
 

Rapidez

O ano de 2020 tem sido especialmente desafiador para os servidores do INSS. 

Mesmo antes da pandemia, eles já trabalhavam em regime de força-tarefa para regularizar milhares de aposentadorias do Brasil inteiro, represadas desde 2019.

Com o coronavírus, mais um motivo para uma nova enxurrada de pedidos, acompanhado de medidas que poderiam atrapalhar o trabalho dos servidores e as pretensões dos que queriam se aposentar: o distanciamento social, os serviços on-line e o teletrabalho.

Um servidor do INSS, que preferiu não revelar a identidade, contou que a boa performance dos últimos quatro meses valoriza ainda mais a categoria. 

“De casa, nós atendemos pedidos de todos os estados brasileiros, não somente de Mato Grosso do Sul”, conta.  

O motorista de ônibus João Cristóvão Pereira, 66 anos, morador de Porto Murtinho – 450 quilômetros de Campo Grande –, é um dos que conseguiram se aposentar durante a pandemia.

O intervalo entre a solicitação do benefício – feita on-line – e a liberação da aposentadoria foi de 15 dias. 

“Eu não imaginava que conseguiria tão rápido assim, a julgar pelos atrasos do ano passado”, comenta.  

João Cristóvão, que é microempresário, solicitou aposentadoria depois de ver o faturamento de sua empresa de transporte cair profundamente durante a pandemia.  

Motorista de ônibus a vida inteira, suas viagens internacionais entre Porto Murtinho e Paraguai foram impedidas por causa das restrições do país vizinho contra a Covid-19. 

“Passei a não ganhar mais nada, e o que é pior: tive de demitir uma funcionária”, relata, lamentando pela demissão da colaboradora.  

“Esta aposentadoria, que eu não esperava pedir agora, será a minha fonte de renda, uma vez que não posso mais viver do ônibus”, afirma João Cristóvão.

 

Felpuda


Ex-cabecinha coroada anda dizendo por aí ser o responsável por vários projetos para Campo Grande, executados posteriormente por sucessor. 

Ao fim de seus comentários, faz alerta para que o eleitor analise atentamente de como surgiram tais obras e arremata afirmando que não foi “como pó mágico de alguma boa fada madrinha. 

Houve muito suor nos corredores de Brasília”. Então, tá!...