Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

ECONOMIA

Cooperativismo agora está no conselho da junta comercial

Posse de nova diretoria aconteceu nesta quinta
19/07/2019 09:27 - DA REDAÇÃO


 

Representantes do cooperativismo agora fazem parte da Junta Comercial do Estado de Mato Grosso do Sul. A posse deles no conselho da instituição ocorreu ontem, em Campo Grande. 

Diego Linhares da Cunha e Rogério Alexandre de Jorge Napoleão Piva, representantes da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB-MS), exercerão as funções de vogal titular e vogal suplente, respectivamente, para o mandato que corresponde ao quadriênio de fevereiro de 2019 a fevereiro de 2023.

Participaram do evento o secretário estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, o presidente do sistema OCB-MS, Augusto Ferreira de Castro, o presidente da Junta Comercial de Mato Grosso do Sul, Nivaldo Domingos da Rocha, e a superintendente da OCB-MS, Dalva Caramalac. 

Fazer parte do colegiado da junta comercial é uma reivindicação antiga do cooperativismo e que faz parte da Lei Estadual do Cooperativismo. “É um reconhecimento ao cooperativismo no nosso estado, da importância do segmento para a economia e melhoria da vida das pessoas. O Sistema OCB/MS e todas as cooperativas se sentem honrados em ter representantes compondo o colegiado da junta comercial”, declarou Celso Régis.

Para Verruck, a presença de pessoas na instituição com conhecimento na área do cooperativismo será importante para agilizar os processos do setor. “O cooperativismo  é um pilar importante na economia de Mato Grosso do Sul”, ressaltou.

Ele ainda completou que isso é resultado do Programa Estadual de Desenvolvimento e Fortalecimento do Cooperativismo em Mato Grosso do Sul (Procoop).

“Acreditamos que a chegada de pessoas com expertise em cooperativismo trará muitos benefícios, já que o setor cresce a cada ano. Essa participação vai fomentar a constituição de novas cooperativas e auxiliará a população como um todo”, afirmou Augusto Ferreira de Castro.

 

Felpuda


Comentários ouvidos pela “rádio peão”, em ondas curtas, são de que figurinha só ganharia apoio dos colegas caso pessoa agregada fosse “curtir a aposentadoria” de uma vez por todas. Como seu acordo político acabou naufragando nesta campanha, agora dito-cujo estaria querendo recuar e não ceder o lugar. 

Isso até poderia acontecer, se não fosse a sua, digamos, eminência parda. Afe!