Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

MATO GROSSO DO SUL

Em um mês, candidatos já gastaram meio milhão de reais nas redes sociais

O campeão de gastos é Vinicius Siqueira (PSL), que em 30 dias pagou R$ 77 mil em impulsionamento no Facebook e no Instagram
03/11/2020 08:30 - Eduardo Miranda


Em um período de 30 dias, os candidatos a prefeito e a vereador de Mato Grosso do Sul gastaram pouco mais de meio milhão de reais com o impulsionamento de propaganda política no Facebook e no Instagram. 

Os gastos consolidam a internet como o grande campo de batalha destas eleições, com atuação dos candidatos muito mais permanente do que nos programas de TV.  

Com mais exatidão, foram R$ 514.868,00 gastos em propaganda política nas redes sociais pelos candidatos de Mato Grosso do Sul. 

No período contabilizado pelo Correio do Estado, entre os dias 30 de setembro e 29 de outubro (houve propaganda antes desse período), o candidato que mais investiu em propaganda política nas redes sociais do Facebook foi o vereador Vinicius Siqueira (PSL), candidato a prefeito de Campo Grande.  

Dos gastos de Siqueira, foram R$ 77,5 mil pagos à gigante das redes sociais: R$ 68,4 mil saíram da conta Eleição 2020 Vinicius Siqueira Prefeito e mais R$ 9,1 mil da Comissão Provisória Estadual do Partido Social Liberal – PSL/MS.  

O segundo colocado em gastos é o candidato a prefeito de Campo Grande pelo PV, Marcelo Bluma. Nestes 30 dias de campanha, ele desembolsou R$ 51,6 mil em propaganda nas redes sociais. 

O terceiro colocado em Mato Grosso do Sul também é outro candidato a prefeito da Capital: Paulo Matos (PSC), que gastou R$ 18,7 mil em 30 dias.  

Tenha acesso a conteúdos exclusivos aprofundando as notícias

 
 

Compra de engajamento

No caso específico de Siqueira, as postagens, na forma de cards e vídeos, dividem-se em três pilares: apresentação de propostas, promoção do candidato por meio da apresentação de seu trabalho como vereador e críticas ao prefeito Marcos Trad (PSD, candidato à reeleição) e sua gestão.

Em um dos cards, Siqueira diz a seus usuários que suas contas no Facebook e no Instagram são campeãs de engajamento, apresentando um gráfico em que mostra 140 mil interações, à frente das 112 mil de Marcos Trad. 

Enquanto Siqueira tem 28,8 mil seguidores no Facebook e 15,9 mil no Instagram, Trad tem 94,7 mil seguidores no Facebook e outros 72,1 mil no Instagram.  

No que se refere a quase todo o período da campanha: do dia 4 de agosto a 29 de outubro, Siqueira já gastou 13 vezes mais que Trad em propaganda no Facebook. 

Enquanto o vereador desembolsou R$ 92,8 mil no período, Trad investiu durante toda a campanha R$ 7 mil em propaganda paga na internet.  

Os dados do Tribunal Regional Eleitoral comprovam a estratégia do candidato do PSL. A DLocal Brasil Pagamentos, empresa especializada em propaganda na internet, já recebeu R$ 50 mil do candidato, e o Google, R$ 10 mil. 

Os gastos com o Google têm destinação diferente dos informados acima, com Facebook e Instagram.  

Já Marcos Trad está gastando mais com advogados. O escritório Avalo e Riskallah já recebeu R$ 100 mil de sua campanha. Pudera, é na Justiça que ele e Siqueira travam uma briga à parte, boa parcela dos processos se deve aos impulsionamentos de Siqueira no Facebook. 

São 16 processos em que o prefeito pede para Siqueira retirar as postagens.  O Correio do Estado tentou contato com Siqueira e sua equipe. Não houve resposta até a publicação da reportagem. 

Outros candidatos

Além de Siqueira, Bluma e Matos também se destacam entre os que mais gastam com impulsionamento nas redes sociais. 

No Estado, Clarice Ewerling (MDB), candidata a prefeita de Sonora, em um período de 30 dias, investiu R$ 11,9 mil em propaganda.  

O quinto que mais gasta é um candidato a vereador de Campo Grande: Ciro Fidelis (PSL), afiliado nestas eleições pelo deputado federal Loester Trutis (PSL), que ainda tenta tomar a vaga de Siqueira na disputa pela prefeitura dentro do partido. Fidelis gastou R$ 11,2 mil em propaganda na internet.  

Em seguida, aparece a candidata a vereadora Luiza Ribeiro (PT), que já impulsionou R$ 10,2 mil em propaganda política nas redes sociais.  

Mauro Thronicke (PSL), candidato a prefeito de Dourados e primo da senadora Soraya Thronicke, gastou R$ 9,2 mil em um mês. 

Por fim, outro candidato da Capital: Dagoberto Nogueira (PDT), que investiu até agora R$ 8,7 mil.

 

Felpuda


Outrora bons de votos – faziam adversários temerem o confronto nas urnas –, agora, por mais que tentem, alguns políticos não conseguem, nem de longe, alcançar patamar de outros tempos e voltar ao que eram. 

O pior é que, a cada disputa, a preferência popular só vem diminuindo. Neste ano, a eleição municipal demonstrou que muitos já estão com prazo de validade vencido e rótulo gasto.

E faz tempo, hein?!