Política

Política

Irmãs siamesas, hoje unidas no amor

Irmãs siamesas, hoje unidas no amor

Redação

15/03/2010 - 20h31
Continue lendo...

Quatro anos depois de terem nascido dividindo os intestinos, bexiga, rins, estômago e fígado, as gêmeas Jhenifer Beatriz de Oliveira e Sthefani Beatrile de Oliveira Prado levam, depois da operação a que foram submetidas, vida normal em Água Clara – município distante 187 quilômetros a leste de Campo Grande. As gêmeas, que nasceram unidas pelo abdômen em agosto 2005 e viraram notícias em vários jornais do Brasil, mesmo separadas ainda continuam “famosas”. Jhenifer e Sthefani, hoje com quatro anos, são saudáveis, andam e falam sem dificuldades e os pais querem que comecem estudar ainda neste ano. Elma Virgínia da Silva Prado, 24 anos, a mãe das crianças descobriu que teria bebês siameses no sétimo mês de gestação. O pré-natal estava sendo feito por médico de Água Clara que não havia identificado a anormalidade, quando a jovem resolveu fazer exames mais detalhados com outra especialista. “Até então, todos achavam que eu estava grávida de dois meninos. Eu não tinha nada, mas a médica foi ouvir o coração dos gêmeos, estranhou os batimentos e pediu exames mais detalhados. Foi um choque, porque eu nem sabia o que era gêmeos siameses”. No mesmo mês, Elma teve de ir para São Paulo (SP), para receber acompanhamento de especialistas no Hospital das Clínicas (HC). Ela esperou até o nono mês de gravidez para fazer o parto das meninas, apesar de ser comum gêmeos nascerem prematuros, principalmente nos casos como os de Sthefani e Jhenifer. Além de amadurecerem o tempo ideal no ventre da mãe, a meninas também surpreenderam os médicos nos quesitos peso e tamanho. Diferente do que, em geral, acontece com gêmeos – baixo peso e medidas -, as irmãs nasceram com 2,7 gramas e 49 centímetros cada uma. “Foi aí que começaram os milagres nas nossas vidas. Só de estarem bem de saúde já era uma vitória para a gente”, lembra a mãe, que se diz muito religiosa. Jhenifer e Sthefani passaram pela cirurgia de separação no dia 2 de maio de 2006, no Hospital da Clínicas, quando tinham oito meses de idade. “Tinha muito medo com o que poderia acontecer, até porque juntinhas elas estavam bem, mas graças a Deus deu tudo certo. Esse foi o nosso segundo milagre”, conta Elma. Sthefani teve de passar por nova cirurgia em outubro do ano passado, em São Paulo. Ela tinha uma ferida no intestino e, após a operação chegou a ficar em coma na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital das Clínicas, mas se recuperou e, desde então, não teve mais problemas de saúde. “A Sthefani é menorzinha e até esse ano não andava. Para mim foi outra benção, ver a minha filha andando duas semanas depois que a gente tinha voltado para casa”. Para a mãe das meninas e o pai, Flávio de Oliveira Santos, 26 anos, o “terceiro milagre vem acontecendo até hoje”. “Minhas filhas são normais, têm boa saúde e são inteligentes, quer coisa melhor?”, diz Flávio. Segundo o pai, as brincadeiras preferidas das meninas são andar de bicicleta e brincar na piscina de plástico montada na varanda da casa nº 49 da Rua Teodoro Vitório da Silva, no Jardim Nova Água Clara, onde moram desde que nasceram. Santos conta, ainda, que as duas ao mesmo tempo que são “completamente independentes uma da outra”, gostam de fazer e ter algumas coisas idênticas. “Elas não gostam de jeito nenhum de se vestir igual, mas tem que comer a mesma comida e na mesma quantidade. Brinquedos também têm de ser iguais para as duas. Isso é bem engraçado”. Apesar do “grude”, a mãe revela outra faceta das crianças. “Elas brigam o tempo todo”, conta Elma. “Desde a maternidade, como elas nasceram de frente uma para a outra, elas se aranhavam. Acho que é porque nasceram grudadas elas enjoaram de tanta proximidade”, brinca. Elma conta também que queria que as filhas começassem a estudar ainda este ano, mas até a semana passada não havia conseguido vaga para as filhas na Escola Municipal Renato Ribeiro, única que oferece educação infantil em Água Clara. “Queria tanto que elas estudassem, acho que iam se desenvolver mais rápido. As meninas ainda usam fralda (oito por dia cada uma) e não é porque tem algum problema na bexiga, é porque se acomodaram assim. Tenho certeza que se forem para a escola vão ver as outras crianças e vão aprender a pedir para ir ao banheiro”.

ELEIÇÕES 2024

Capitão Contar não descarta ser vice de Adriane, que celebra a possível aliança

A prefeita de Campo Grande lançou oficialmente a pré-campanha à reeleição, mas não revelou quem será seu vice

20/07/2024 08h00

A prefeita de Campo Grande, Adriane Lopes (PP), no lançamento da sua pré-campanha à reeleição

A prefeita de Campo Grande, Adriane Lopes (PP), no lançamento da sua pré-campanha à reeleição Foto: Gerson Oliveira

Continue Lendo...

O ex-deputado estadual Capitão Contar (PRTB) confirmou, com exclusividade ao Correio do Estado, que não está descartada a possibilidade de ser o candidato a vice-prefeito na chapa encabeçada pela prefeita de Campo Grande, Adriane Lopes (PP), que lançou oficialmente na noite de sexta-feira a pré-campanha à reeleição no pleito do próximo dia 6 de outubro.

 “Tenho muita coisa para alinhar antes de qualquer definição. Ainda vou conversar com o presidente Jair Bolsonaro (PL) novamente para tomar essa decisão”, declarou o militar da reserva do Exército.

Para o Capitão Contar, essa é uma aliança que precisa ser muito bem costurada para não ter pontas soltas que mais para a frente deem problemas. Além disso, o nome de Adriane Lopes tem certa rejeição junto aos bolsonaristas e isso precisa ser levado em consideração.

Entretanto, pesa a favor da aliança do ex-deputado estadual com Adriane Lopes o fato de a prefeita não poder mais disputar a eleição municipal de 2028, abrindo caminho para que o Capitão Contar possa ser o legítimo sucessor ao cargo de chefe do Executivo da Capital.

O Correio do Estado conversou, também com exclusividade, com a prefeita Adriane Lopes durante o lançamento oficial da sua pré-campanha sobre a possibilidade de o Capitão Contar aceitar o convite para ser o seu vice e ela ficou muito contente com a chance. 

 “As alianças são muito bem-vindas e eu tenho um bom relacionamento com o Contar. Se ele vier para coligar conosco, eu vou ficar muito feliz. Trata-se de uma pessoa séria e responsável, além de ser conservador, de direita e que defende os mesmos valores que eu defendo”, declarou.
 

O EVENTO

Acompanhada do esposo, deputado estadual Lídio Lopes (sem partido), da senadora Tereza Cristina (PP-MS) e do deputado federal Dr. Luiz Ovando (PP-MS), Adriane Lopes afirmou que “não tem medo dos poderosos”, que está confiante com o trabalho feito e se intitulou como a “única mulher prefeita conservadora de capitais do Brasil”.

O lançamento da pré-campanha foi no Bairro Vivendas do Bosque e, além de políticos, contou com a participação de apoiadores vestidos de verde e amarelo, a pedido da prefeita. Ela assumiu a chefia do Executivo municipal em 2022, quando o então prefeito Marquinhos Trad, que na época era do PSD e hoje está no PDT, do qual era vice, renunciou para concorrer às eleições gerais para governador, que terminou com Eduardo Riedel (PSDB) eleito.

Ela tentará, neste ano, ser a primeira prefeita eleita por voto na Capital e destacou que já sofreu preconceitos por ser mulher, além de ressaltar o trabalho realizado nos últimos dois anos à frente da gestão municipal. 

“Vocês sabem como eu assumi a gestão, muitos sabem as batalhas travadas, as noites sem dormir, os desafios e muitos ainda disseram: ‘ela não vai dar conta’. Estamos aqui para celebrar avanços, conquistas, fizemos o que ninguém fez nessa cidade, se disserem que não tem problemas, vão estar mentindo, uma cidade de quase um milhão de habitantes tem problemas sim, não vamos maquiar, mas com equipe, trabalho sério e responsabilidade, nós temos coragem para fazer o certo”, discursou.

 Adriane Lopes completou que não tem “medo dos poderosos deste estado, já sofri muito preconceito, mas a senadora Tereza Cristina sempre disse que ‘nunca seja vítima, avance com coragem, vá com fé, força e determinação e não abaixe a cabeça para nenhuma situação”. “Quando se assume a gestão, assume o que é bom e o que é ruim e o que é ruim estamos dando solução”, disse.

Ao fim do discurso, ela afirmou que Campo Grande não está à venda e que ela espera continuar com o trabalho de fazer da Capital uma capital de oportunidades.

A senadora Tereza Cristina e, sem citar nomes, destacou que os percalços, como o apoio do ex-presidente Jair Bolsonaro, que era esperado, mas acabou não se concretizando, não a farão soltar a mão de Adriane Lopes.

“O PP está muito feliz de estar lançando a única prefeita conservadora. Eu sei os cachos de banana que puseram no seu caminho para você cair, mas você, a cada dia, acorda disposta e vai lá sem mimimi e vencer, passa por cima e resolve os problemas. Cada dificuldade que colocam na nossa frente, nos dá mais força”, afirmou.

“Campo Grande precisa da continuidade e da estabilidade de alguém que conheça suas demandas e tenha capacidade para resolvê-las. As alianças regionais devem compartilhar nossos princípios, que devem respeitar o nosso alinhamento nacional. Fazemos parte de um projeto maior, rumo a um Brasil soberano, forte e respeitado, mas Campo Grande merece e exige continuar no caminho certo e você é a única pré-candidata nesta cidade que representa de verdade esses valores: pátria, liberdade e família”, acrescentou a senadora.

O deputado federal Dr. Luiz Ovando também citou o que chamou de casca de banana no caminho de Adriane Lopes. “A prefeita foi vítima e todos fomos pegos de surpresa por atitudes hostis, infidelidade e agressividade em que se jogou tudo na lata do lixo, não só a casca de banana, mas a penca inteira na tentativa de derrubar a prefeita. Não podemos aceitar esse tipo de comportamento, não se pode aceitar atitudes rasteiras de quem quer que seja, venha de onde vier, nós vamos vencer”, discursou.

ELEIÇÕES 2024

Ao lado de Tereza Cristina, Adriane Lopes lança pré-candidatura a prefeita

Adriane disse ter sofrido preconceito, se intitulou como única prefeita conservadora e afirmou não ter medo dos "poderosos"

19/07/2024 19h59

Vestida de verde e amarelo, Adriane Lopes lançou pré-candidatura em Campo Grande

Vestida de verde e amarelo, Adriane Lopes lançou pré-candidatura em Campo Grande Foto: Gerson Oliveira / Correio do Estado

Continue Lendo...

A prefeita Adriane Lopes (PP) lançou oficialmente a pré-candidatura à reeleição, na noite desta sexta-feira (19), em Campo Grande. Acompanhada do esposo, Lídio Lopes, e da senadora Tereza Cristina (PP), Adriane afirmou que "não tem medo dos poderosos", que está confiante com o trabalho feito e se intitulou como a "única mulher prefeita conservadora de capitais do Brasil".

O lançamento da campanha foi no bairro Vivendas do Bosque e, além de políticos, contou com a participação de apoiadores vestidos de verde e amarelo, a pedido da prefeita.

Adriane assumiu a chefia do Executivo Municipal em 2022, quando o então prefeito Marquinhos Trad (PSD), do qual era vice, renunciou para concorrer as eleições para governador, que terminou com Eduardo Riedel (PSDB) eleito.

Ela tentará, neste ano, ser a primeira prefeita eleita por voto na Capital e destacou que já sofreu preconceitos por ser mulher, além de ressaltar o trabalho realizado nos últimos dois anos a frente da gestão municipal.

"Vocês sabem como eu assumi a gestão, muitos sabem as batalhas travadas, as noites sem dormir, os desafios, e muitos ainda disseram: 'ela não vai dar conta '. Estamos aqui para celebrar avanços, conquistas, fizemos o que ninguém fez nessa cidade, se disserem que não tem problemas, vão estar mentindo, uma cidade de quase um milhão de habitantes tem problema sim, não vamos maquiar, mas com equipe, trabalho sério e responsabilidade, nós temos coragem para fazer o certo. Não tenho medo dos poderosos desse estado, já sofri muito preconceito, mas a senadora Tereza Cristina sempre disse: 'nunca seja vitima, avance com coragem, vá com fé, força e determinação e não abaixe a cabeça para nenhuma situação'. Quando se assume a gestão, assume o que é o bom e o que é ruim e o que é ruim estamos dando solução", disse Adriane Lopes, em seu discurso.

Ao fim do discurso, ela afirmou que Campo Grande não está a venda e que ela espera continuar com o trabalho de fazer Campo Grande uma capital de oportunidades.

A senadora Tereza Cristina e, sem citar nomes, destacou que os percalços, como o apoio do ex-presidente Jair Bolsonaro, que era esperado, mas acabou não se concretizando, não a farão soltar a mão de Adriane.

"O Partido Progressista está muito feliz de estar lançando a única prefeita conservadora. Eu sei os cachos de banana que puseram para você e que você cada dia acorda disposta e vai lá sem mimimi e vence e passa por cima e resolve os problemas. Cada dificuldade que colocam na nossa frente, nos dá mais força", afirmou Tereza.

"Campo grande precisa da continuidade e da estabilidade de alguém que conheça suas demandas e tenha capacidade para resolvê-las. As alianças regionais devem compartilhar nossos principios, que devem respeitar o nosso alinhamento nacional. Aazemos parte de um projeto maior, rumo a um Brasil soberano, forte e respeitado, mas Campo Grande merece e exige continuar no caminho certo e você é a única pré-candidata nessa cidade que representa de verdade esses valores: pátria, liberdade e família", acrescentou a senadora.

O deputado federal Luiz Ovando (PP) também citou o que chamou de casca de banana no caminho de Adriane.

"A prefeita foi vítima e todos fomos pegos de surpresa por atiutudes hostis, infidelidade, agressividade, em que se jogou tudo na lata do lixo, não só a casca de banana mas a penca inteira na tentativa de derrubar a prefeita. Mão podemos aceitar esse tipo de comportamento, não se pode aceitar atitudes rasteiras de quem quer que seja, venha de onde vier, nós vamos vencer", discursou.

O deputado estadual Lídio Lopes, marido da prefeita, enalteceu a esposa e o trabalho que ela fez ao assumir a prefeitura.

"Eu sei que você foi resilienete em enfrentar as dificuldades do municipio, eu estou orgulhoso, foi resiliente, organizou a casa e executou coisa que muitos não executaram em oito anos. A senadora Tereza Cristina pegou na sua mão e não tenho dúvida que voces duas farão o melhor para Campo Grande", afirmou.

O secretário municipal de Governo e Relações Institucionais, Marco Aurélio Santullo, agradeceu ao público presente, alfinetando pessoas que teriam dito que o evento seria um fracasso. "Nós progressistas, partidos aliados, candidatos a vereadores, vão levar junto com todos vocês Adriane Lopes a vitória”, disse o secretário municipal de Governo, Marco Aurélio Santullo.

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).