Brasil

Estudos

Indicadores da OMS e do Ministério da Saúde diferem sobre alimentação infantil, diz estudo

Continue lendo...

Os indicadores que avaliam alimentação infantil são diferentes entre OMS (Organização Mundial da Saúde) e Ministério da Saúde, de acordo com pesquisa da UFBA (Universidade Federal da Bahia) publicada na revista científica "Epidemiologia e Serviços de Saúde", em março.

Há disparidade entre as orientações para quatro indicadores que avaliam a alimentação complementar de crianças menores de dois anos.
A alimentação complementar inclui o grupo de alimentos oferecidos para a criança além do leite materno. A introdução dessa alimentação é o indicador com maior discordância dos órgãos de saúde.

A recomendação da OMS avalia a introdução alimentar considerando a consistência dos alimentos oferecidos —se são sólidos, semissólidos ou pastosos. Já o MS (Ministério da Saúde) considera se as crianças consomem por dia duas frutas e uma refeição de sal. A população estudada atingiu em mais de 94,3% a primeira definição, enquanto a segunda tem apenas 20,7% de prevalência.

O estudo acompanhou 286 crianças nascidas nas maternidades de Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, durante dois anos, realizando entrevistas e visitas domiciliares desde os primeiros 30 dias de vida de cada criança e retornos aos 6, 12 e 24 meses. As prevalências de alimentação complementar foram avaliadas de acordo com as definições da OMS de 2021 e do Ministério da Saúde de 2015.

Para a coleta de dados sobre a alimentação, os pesquisadores usaram um questionário contendo uma lista de 20 alimentos de diversos grupos alimentares —como cereais, grãos, raízes e tubérculos; leguminosas; carnes e ovos; legumes e verduras; frutas; leite e derivados. A partir das informações, foram construídos os indicadores para avaliação da alimentação complementar, segundo critérios do MS e da OMS.

Os resultados do estudo mostraram que as práticas de alimentação complementar estão muito aquém do recomendado pelo Ministério da Saúde, mas não do recomendado pela OMS.

"Os critérios utilizados pelo MS para sua definição são mais minuciosos e levam em consideração as peculiaridades brasileiras. Já a OMS propõe orientações gerais para avaliação dos indicadores visando abranger maior variedade possível de países", afirma a professora associada da UFBA, Daniela Rocha.

Por isso, os autores sugerem que a avaliação das práticas alimentares seja pautada nos critérios do MS, tendo em vista a maior proximidade com o que é praticado na população do país.

O estudo verificou ainda o comportamento dos entrevistados sobre três indicadores, que também apresentaram discordâncias entre si: diversidade mínima da dieta, frequência mínima da dieta e dieta minimamente aceitável.
Uma baixa prevalência em um indicador quer dizer que o serviço de saúde precisa trabalhar medidas com a população para melhorá-lo, de acordo com a pesquisadora.

Segundo o estudo, as diferenças entre as definições de diversidade mínima da dieta encontram-se no fato de, para o Ministério da Saúde, o leite materno e outros alimentos lácteos contabilizarem um único grupo alimentar, assim como um grupo único para carnes e ovos. É diferente da definição da OMS, a qual classifica esses alimentos em quatro grupos distintos. Dessa forma, é mais fácil atingir o mínimo de cinco grupos de alimentos requeridos para a diversidade alimentar.

"Carnes em geral, vísceras e ovos possuem características nutricionais similares por serem ricos em proteínas, gordura, ferro, zinco e vitaminas do complexo B, o que justifica serem agregados como um único grupo alimentar", diz a pesquisa.

Já o indicador de frequência mínima de refeição leva em consideração apenas o número de refeições recebidas, segundo a OMS. Enquanto isso, a definição da pasta da Saúde considera uma rotina alimentar, e duas refeições principais para alcance do parâmetro mínimo adequado. A prevalência no primeiro caso chega a 97,2%, enquanto no segundo, a 44,8%.

O indicador de dieta minimamente aceitável trata da combinação dos indicadores de frequência mínima e diversidade mínima da dieta, e foi de 96,8% para a OMS e 26,9% para o MS.

"Na prática essa diferença [de parâmetros] levará a resultados diferentes na avaliação dos indicadores de alimentação complementar e consequentemente nas intervenções necessárias frente aos resultados encontrados", afirma a pesquisadora.

Brasil

Alerta da OMS: Aumento de medicamentos falsificados para diabetes tipo 2 e perda de peso

Organização Mundial da Saúde identifica crescimento preocupante de falsificações de medicamentos como semaglutida, com riscos à saúde pública.

20/06/2024 14h00

Alerta da OMS: Aumento de medicamentos falsificados para diabetes tipo 2 e perda de peso

Alerta da OMS: Aumento de medicamentos falsificados para diabetes tipo 2 e perda de peso Divulgação: Agência Brasil

Continue Lendo...

A Organização Mundial da Saúde (OMS) renovou seu alerta sobre o aumento da falsificação de medicamentos destinados ao tratamento do diabetes tipo 2, que também são usados para perda de peso, como a semaglutida, princípio ativo do Ozempic, uma caneta subcutânea para controle do apetite.

O alerta abrange três lotes falsificados do Ozempic detectados em outubro de 2023 no Brasil, Reino Unido e Irlanda do Norte, e em dezembro de 2023 nos Estados Unidos. Desde 2022, o Sistema Global de Vigilância e Monitoramento da OMS tem registrado um aumento nos relatórios de produtos falsificados contendo semaglutida em várias regiões do mundo.

"A demanda por esses medicamentos tem crescido, assim como os casos de falsificação. Produtos falsificados podem representar riscos à saúde das pessoas. Sem os ingredientes necessários, esses medicamentos podem resultar em complicações devido ao descontrole dos níveis de glicose no sangue e do peso", alertou a OMS.

"Em alguns casos, ingredientes ativos não declarados podem estar presentes nas injeções, criando riscos imprevisíveis e complicações à saúde", completou a organização.

Precauções são recomendadas pela OMS para proteger os pacientes desses medicamentos falsificados e de seus efeitos nocivos. É aconselhável que os pacientes adquiram o medicamento com prescrição médica de profissionais autorizados, evitando fontes desconhecidas ou não verificadas, como as encontradas online.

"As embalagens e datas de validade dos medicamentos devem ser verificadas antes da compra e seu uso deve ser conforme a prescrição médica. Para semaglutidas injetáveis, é importante garantir o armazenamento adequado na geladeira", destacou a OMS.

Notificações sobre medicamentos falsificados podem ser enviadas à OMS através do e-mail [email protected].

luto

Morre Chrystian, cantor que fez dupla com Ralf

Desde o começo do ano o cantor estava em tratamento médico por conta de problemas renais e estava se preparando para fazer um transplante

20/06/2024 07h51

 Chrystian tinha 67 anos e havia desfeito a dupla com o irmão, mas estava com agenda de inúmeros shows marcados ao longo dos próximos meses

Chrystian tinha 67 anos e havia desfeito a dupla com o irmão, mas estava com agenda de inúmeros shows marcados ao longo dos próximos meses

Continue Lendo...

O cantor Chrystian, que já formou dupla sertaneja com Ralf, morreu nesta quarta-feira (19), aos 67 anos. A causa da morte não foi divulgada pela equipe e família de Chrystian. Ele deu entrada no hospital durante a manhã após passar mal em casa e ficou internado, segundo sua assessoria, em virtude de diagnóstico que exigia "repouso imediato e tratamento especializado".

A assessoria do artista, inclusive, havia comunicado o cancelamento de show programado para o dia 22 de junho em Franco da Rocha (SP). "Pedimos a compreensão de todos e agradecemos pelo apoio contínuo. Informações sobre possíveis remarcações ou reembolsos serão comunicadas em breve."

Em fevereiro, Chrystian foi internado no Hospital do Rim, da Fundação Oswaldo Ramos, em São Paulo. Ele havia sido diagnosticado com rim policístico e receberia um transplante do órgão da esposa, Key Vieira, mas teve o procedimento adiado em virtude de um cateterismo.

Em nota, a família do artista exaltou os 60 anos de dedicação do cantor à música sertaneja. "Sua voz inconfundível e sua paixão pela música trouxeram alegria e emoção aos fãs em todo o Brasil."

Leia a nota da família de Chrystian na íntegra:

"Com imenso pesar, a família e a equipe de Chrystian, comunicam o falecimento do nosso querido esposo, pai e artista, ocorrido no Hospital Samaritano, em São Paulo.

Chrystian dedicou 60 anos de sua vida à música sertaneja, construindo uma carreira brilhante e marcada por inúmeros sucessos. Sua voz inconfundível e sua paixão pela música trouxeram alegria e emoção aos fãs em todo o Brasil. Ao longo de sua trajetória, Chrystian esteve sempre na estrada, compartilhando seu talento e carisma em incontáveis shows, onde conquistou e encantou gerações de admiradores.

Neste momento de profunda dor, encontramos consolo nas memórias dos momentos felizes e nas canções que ele nos deixou. Agradecemos de coração todo o apoio, carinho e respeito que recebemos dos fãs, amigos e colegas de profissão. Chrystian viverá para sempre em nossos corações e através de sua música, que continuará a inspirar e emocionar a todos.
Com amor e saudades. Esposa e Filhos"

(INFORMAÇÕES DA FOLHAPRESS)
 

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).