Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

COVID-19

“Não haverá lockdown em Campo Grande”, declara prefeito

Medida é recomendada por especialistas quando há número expressivo de confirmações e internações
14/07/2020 14:27 - Daiany Albuquerque


O prefeito Marcos Trad (PSD) afirmou nesta terça-feira (14) que não haverá lockdown em Campo Grande, medida já tomada por outras prefeituras para evitar que a curva de contágio da Covid-19 continue em crescimento e que haja um colapso do sistema de saúde.

“Não haverá lockdown em Campo Grande, haverá sim, medidas restritivas, mas não o fechamento do comércio, não o fechamento do shopping, não o fechamento de bares e restaurantes, haverá sim restrições para que nós continuemos a controlar a pandemia e, sobretudo, termos leitos vazia”, declarou o prefeito durante sua live diária para apresentar dados da Covid-19.

Segundo ele, passado cinco dias da redução do toque de recolher das 23h para às 20h, a prefeitura pode dizer que a medida surtiu efeito. 

“Nós pegamos um sábado, um domingo e uma segunda-feira e pegamos também uma semana anterior (nos mesmos dias), quando o toque de recolher era às 23h. Entre os dias 1º a 3 de julho tivemos entrada no Pronto Socorro da Santa Casa, com trauma e violência, 84 pessoas, entre os dias 8 a 10 de julho, onde tivemos o toque de recolher às 20h, 41 pessoas, quase 50% a menos. Essas pessoas, uma boa parte delas, ocupou leitos de UTI, que estão disponíveis para a Covid-19”.

Outro ponto apontado pelo prefeito é que, conforme dados apresentados por ele, há quatro dias a ocupação de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) tem se mantido estável. 

“Hoje Campo Grande possui 241 leitos de UTI, estão ocupados 176, temos uma taxa de ocupação de 73% e vazios 27%. Estamos no Hospital Regional com uma lotação de 82%, na Santa Casa, 91%, no Hospital do Câncer 54% está sua capacidade de uso, no Hospital Universitário 96% ocupada, no Proncor 15% está ocupado, na Clínica Campo Grande 40% está ocupado e 60% está vazio. 

No El Kadri nenhum leito, usamos e esses leitos vazios somam hoje 27% para atender não apenas Campo Grande, mas 34 outros municípios que estão enviando seus pacientes para a nossa cidade”.

De acordo com dados do último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), a Capital tem 4.836 casos confirmados do novo coronavírus e 43 mortes pela doença. 

Apenas nas últimas 24h foram acrescidas 196 confirmações na cidade.

Apesar do crescimento dos últimos dias, o prefeito lembra que Campo Grande tem quase 3 mil curados da doença e ainda é a capital com os menores percentuais de mortalidade pela doença e também de manifestação da Covid-19. 

Entretanto, o Estado está entre os nove do país que apresenta as maiores altas nos últimos dias.

Além das medidas, Trad também antecipou que haverá ampliação na próxima semana da oferta de vagas em UTIs. 

“Estamos hoje arrumando mais 10 leitos na Santa Casa, que devem ficar pronta na segunda ou terça feira da próxima semana. Porque não é apenas ter leitos, estamos contratando as equipes, médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem. 

Estamos também concluindo a construção de mais 18 leitos no Hospital Regional e mais 10 no Hospital Universitário. Vamos entregar mais 38, vai totalizar mais 279 leitos de UTI”.

 
 

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.