Cidades

Cidades

André volta a aproximar-se do PT e admite apoiar Dilma

André volta a aproximar-se do PT e admite apoiar Dilma

Redação

12/02/2010 - 08h11
Continue lendo...

Depois de trocar acusações acirradas com petistas, o governador André Puccinelli (PMDB) voltou a aproximarse dos rivais e admitiu ainda o interesse de apoiar a ministra Dilma Rousseff (PT) para presidente da República. “Tudo vai depender dela”, esclareceu. Ontem ele revelou que conversou com o deputado federal Vander Loubet (PT) e com o senador Delcídio do Amaral (PT) sobre investimentos em Mato Grosso do Sul. E ressaltou que está aberto a negociação política com todos os partidos, inclusive, o PT. Com o senador, Puccinelli confidenciou que falou por três horas e meia em uma praia de Santa Catarina, em suas férias, em janeiro. Ele garantiu que toda a reunião centrou-se em investimentos no Estado e não quis revelar a conversa sobre o assunto político. Já com Vander, discutiu também a liberação de verbas para o Estado. O encontro teria acontecido anteontem à noite, em evento na Capital. “Eu converso sobre apoio aos municípios, ao Estado”, afirmou Puccinelli, durante evento em Campo Grande. “Se quiserem conversar sobre política comigo, eu nunca me recuso a conversar com ninguém, mas conversar sobre política dizendo com quem eu vou ficar, aí não”, completou. Ele repetiu que apenas a partir do dia 31 de março vai anunciar quem apoiará na eleição nacional. Mas está aberto a negociação política com os partidos interessados em fazer aliança com o PMDB. No entanto, depois de dar vários sinais de sua preferência por tucanos, o governador voltou a declarar que é o noivo à espera da resposta da noiva (ministra Dilma): “eu disse ‘a noiva que escolha que noivo quer para casar’”. A afirmação destaca a necessidade de a petista optar entre seu palanque ou o do ex-governador José Orcírio dos Santos (PT). Se a ministra aceitá-lo, André admite apoiá-lo na condição, evidentemente, de não enfrentar o ex-governador José Orcírio dos Santos na sucessão estadual. É questão, na sua avaliação, que cabe ao Planalto e ao PT decidir o rumo que pretendem tomar em Mato Grosso do Sul. Questionado se aproveitará a passagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) por Três Lagoas, para tentar derrubar o projeto do PT de enfrentá-lo, Puccinelli informou que só falará o que o presidente quiser. “Com qualquer presidente você fala o que eles dizem, você tem que responder”, frisou. Em seguida, ele ainda afastou a possibilidade de interferir no rumo de adversários. “Eu não posso pedir isso (para o PT abandonar o projeto de candidatura própria). Não cabe a mim, eu tenho que cuidar do PMDB. Se eles quiserem, é um direito que eles têm, todo partido tem o direito de lançar candidato”, ressaltou. Crise com aliados Em relação à acusação de deputados aliados, que se queixaram de ele falar sem pensar, Puccinelli não manifestou nenhuma preocupação com eventuais consequências políticas. “Eu não estou falando demais nada, estou quieto e mudo. Não estou retrucando, não estou contestando, estou fazendo ioga, o poder da mente sobre o corpo. Vocês vão me ver sempre sorridente, emocionado como estou”, disse. Foto ao PT Cancelamento da visita do presidente Lula à cidade de Três Lagoas, no dia 19 deste mês, chegou a ser cogitada. Tudo porque o secretário de Comunicação do PT estadual, Ananias Costas, enviou à direção nacional do partido fotografias de painel de um site de notícias em Campo Grande com a frase “Em ataque a Lula, André diz que não é ladrão, vadio nem cachaceiro”. Na quarta- feira, o site divulgou errata intitulada “André não atacou o Governo Lula”.

Mercado online

Polícia acaba com esquema que desviava mercadorias compradas on-line

O esquema contava com participação de funcionários que desviavam compras feitas online; apenas uma funcionária furtou um total de R$ 10 mil no último mês

15/07/2024 17h20

Continue Lendo...

Funcionários de uma transportadora de entrega de produtos adquiridos pela internet, foram presos pelo desvio de mercadorias. Somente em junho "a mão leve" levou o equivalente a R$ 10 mil. 

A atividade do grupo foi encerrada na manhã desta segunda-feira (15), quando agentes da 2º Delegacia de Polícia prendeu o grupo de funcionários que agiam tanto em Campo Grande quanto no interior do Estado.

O levantamento das investigações indicou que os funcionários usavam o sistema da transportadora e davam baixa (marcando como se a mercadoria fosse entregue) nos produtos que terminavam desviando. O grupo tinha preferência pelas seguintes mercadorias:

  • Joias
  • Celulares
  • Roupas
  • Perfumaria
  • Itens alimentícios, entre outros.

Além disso, o foco dos criminosos estavam em produtos destinados a outros estados e por alguma inconsistência do sistema terminavam no depósito da empresa na Capital. Como ficavam meses sem destino o grupo acabava ludibriando o sistema e ficando com a encomenda. 

Conforme divulgado pela Policia Civil, uma das funcionárias que participava do esquema confessou que desviou aparelhos celulares e joias revendidas de joalherias de marcas conhecidas que por fim terminaram sendo derretidas.

Apenas essa funcionária desviou um total de R$ 10 mil reais em furtos referentes ao mês de junho. No sistema ela ainda repassava os valores das notas fiscais por metade do preço. 

Os agentes seguem com a investigação para recuperar os objetos furtados. Como não houve flagrante da ação criminosa alguns dos envolvidos seguem soltos para responder ao processo em liberdade.

Com relação a transportadora os suspeitos tiveram o  contrato de trabalho rescindido.

Assine o Correio do Estado

 

Estelionato

Mulher alega dívida em jogo do Tigrinho, pede cartão a idoso e saca R$ 100 mil

Ao relatar aos policiais, o idoso disse que a mulher pediu ajuda porque precisava sacar dinheiro do jogo, afirmando que estava sem o aplicativo do banco

15/07/2024 17h00

Imagem ilustração

Imagem ilustração Reprodução/

Continue Lendo...

Um idoso de 66 anos procurou a polícia nesta segunda-feira (15) após ser vítima de estelionato em Campo Grande. De acordo com a polícia, a vítima estaria devendo quase R$ 100 mil em empréstimos bancários feitos por outra pessoa, que foram utilizados para jogos de cassino online sem sua permissão.

Conforme informações do boletim de ocorrência, o idoso relatou que a vizinha de 27 anos pediu o cartão emprestado, alegando estar com problemas no aplicativo bancário e precisando sacar dinheiro que havia ganhado no jogo do Tigrinho, conhecido popularmente como jogo de cassino online. 

Como a jovem morava no local há três anos, o idoso disse à polícia que confiou nela e resolveu emprestar seu cartão bancário. Em depoimento, o idoso afirmou que descobriu o estelionato depois que sua filha verificou o extrato bancário e encontrou um saque de R$ 7 mil.

Em depoimento à polícia, a filha do idoso disse que foi até a residência da mulher para tirar satisfações sobre o saque, mas foi surpreendida ao descobrir que a suspeita não estava mais morando no local.

Preocupados com o alto valor sacado, o idoso e sua filha foram até a Polícia Civil registrar a ocorrência por estelionato contra idoso. De acordo com a polícia, há câmeras de segurança em locais onde a mulher teria sacado o dinheiro, o que pode ajudar na identificação da suspeita.

 

Assine o Correio do Estado 

 

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).