Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

COVID-19

Apelo de hospital não põe fim à festas clandestinas na Capital

Campo Grande passa de 1,5 mil casos positivos da covid-19
25/06/2020 11:36 - Bruna Aquino


 

Dias após o hospital Regional lançar apelo pedindo a colaboração da população quanto ao isolamento social diante da pandemia do novo coronavírus, destacando que dezenas de  médicos estão infectados pela covid-19, a fiscalização mostra que a população continua com o mesmo comportamento.  

Isso porque, na madrugada desta quinta-feira (25), a Guarda Civil Metropolitana frustrou mais uma festa clandestina com cerca de 100 jovens no Jardim Campo Nobre, região sul de Campo Grande.  

Segundo informações da Guarda, a festa que acontecia dentro de um bar com as portas fechadas, foi encerrada por volta das 1h30 através de denúncia anônima pelo telefone 153. No local havia muitos jovens e alguns adolescentes, e todos, foram orientados a voltarem para suas residências. Ninguém foi detido.

O fato é que as festas proibidas acontecem todos os dias, mas a maior frequência é sempre aos fins de semana e tanta aglomeração em meio ao aumento expressivo de casos, preocupa autoridades e profissionais da linha de frente.  

Em nota divulgada no dia 23 de junho, a direção do Hospital Regional criticou o comportamento da maioria das pessoas e lembrou que a cidade já tem 47 médicos da linha de frente infectados pelo coronavírus, sendo que sete profissionais que trabalham no hospital estão afastados de suas funções, por contágio.  

Os responsáveis pelo Regional chamaram parte dos moradores [que estão causando aglomerações] de Campo Grande de insensíveis ao momento delicado, e classificou o comportamento deles como “egocêntrico”.  

CASOS SÓ AUMENTAM

Os números de casos estão aumentando em Mato Grosso do Sul (que já passou mais de 6 mil casos), principalmente em Campo Grande. Dados do boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) nesta quinta-feira, apontam que a Capital já soma 1.554 casos positivos da covid-19.  

DESOBEDIENTES

Cultural ou não, as pessoas insistem em ficar nas ruas principalmente aos fins de semana, onde é considerado o maior fluxo conforme dados da Guarda Civil Metropolitana durante as últimas fiscalizações. O Correio do Estado fez levantamento e apurou que em média, 879 pessoas estão “burlando” o toque de recolher sempre aos fins de semana durante o mês de junho.  

Só na noite de ontem, a Guarda orientou 216 pessoas para voltarem às suas residências e ordenou o fechamento de 24 estabelecimentos comerciais depois da meia-noite.  

NOVO HORÁRIO

A quantidade de pessoas nas ruas durante a madrugada, principalmente após o toque de recolher é grande. Com isso, o prefeito Marcos Trad (PSD) decidiu ampliar o tempo da medida estabelecida em Decreto Municipal e a partir desta sexta-feira (26), as pessoas deverão voltar para casa antes das 22h.  

Como medida de fiscalização, Trad afirmou também que vai dobrar o número de agentes na fiscalização e estabelecimentos comerciais reincidentes no toque de recolher, terão os alvarás cassados.  

 

 

 
Festa clandestina no Jardim Campo Nobre - Reprodução
 

Felpuda


É quase certo que a aposentadoria deverá ocorrer de maneira mais rápida do que se pensava em determinado órgão. O que deveria ser a tal ordem natural dos fatos acabou sendo atropelada por acontecimentos considerados danosos para a imagem da instituição. Os dias estão passando, o cerco apertando e já é praticamente unanimidade de que a cadeira terá de ter substituto. Mas, pelo que se ouve, a escolha não deverá ser com flores e bombons de grife.