Clique aqui e veja as últimas notícias!

OBRAS DE MS

Após quase 40 anos desde a inauguração, Parque dos Poderes será revitalizado

Projeto ainda não foi concluído, mas mantém área da reserva preservada
03/12/2020 18:47 - Brenda Machado


Após 38 anos da inauguração do Parque dos Poderes, o Governo do Estado de Mato Grosso do Sul anunciou, que, em breve, o local passará por uma revitalização ampla. A obra tem em vista que o espaço vem se tornando área de lazer para a população campo grandense.

O governador do estado, Reinaldo Azambuja, organizou uma reunião, na manhã desta quinta-feira (03), para apresentar o projeto da obra para síndicos de condomínios, que ficam dentro do complexo, e para grupos de atletas que frequentam o local.

Também participou da reunião, o secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica (Segov), Eduardo Riedel.

Os interessados pontuaram algumas questões que serão incluídas no projeto antes da sua conclusão.

Enquanto o planejamento não é finalizado, a lista as alterações pretendidas para o Parque dos Poderes inclui: recapeamento de 110 mil m² de ruas, o que corresponde a todo o perímetro da área, implantação de 4 quilômetros de pista de caminhada e corrida, 4,2 quilômetros de ciclovia no canteiro central, acessibilidade, paisagismo, 70 bancos de descanso, três estações de ginástica, reforma dos estacionamentos e instalação de 41 abrigos nos pontos de ônibus e de lixeiras.

Além da construção de um Centro de Apoio ao Usuário com banheiros masculinos, femininos e adaptado para pessoas com deficiência.

Um dos engenheiros que participam do projeto, Pedro Brandão, da Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul), destacou que toda a área da mata será preservada durante a obra.

“Inclusive, a ciclovia será feita no canteiro central, aí nós vamos desviar de todas as árvores que já existem lá, pra não precisar derrubar.”, pontuou.

De acordo com o Governo do Estado, o processo licitatório deve ser aberto ainda neste mês de dezembro, sendo que as obras devem começar ainda no primeiro trimestre de 2021. A previsão é de a execução dure cerca de 2 anos.

Durante a reunião de hoje, Azambuja falou reforçou que a preservação ambiental será um dos pontos fortes da revitalização.

“É um parque de todos os sul-mato-grossenses e daqueles que nos visitam também. Idealizamos ouvindo alguns setores e vamos fazer com o menor impacto possível, respeitando o que existe. Será uma nova estrutura que além de embelezar, vai criar uma condição melhor para quem usa aqui para atividade de lazer, entretenimento, confraternização e prática esportiva.”, completou.

 
 

HÁ 38 ANOS

Inaugurado em 1982, o Parque dos Poderes é resultado de um concurso de projetos criado pelo então governador Pedro Pedrossian. Desde que estava no papel, a ideia era dar vida ao complexo administrativo de Mato Grosso do Sul, com 8 blocos que hoje abrigam as sedes dos poderes Executivo, Legislativo, Judiciário e o Ministério Público do Estado.

Inicialmente, fazia parte da proposta, do então governador, conseguir autorização para desapropriar um anel de aproximadamente 300m além da área do parque para garantir que não houvessem edificações comuns, não administrativas, coladas ao Complexo, mas o plano não vingou e, hoje, é possível identificar vários condomínios ao longo do perímetro do Parque.

Conforme o arquiteto Ângelo Arruda, que estava presente na época da criação do Parque, a movimentação no entornou ajudou com que mais pessoas tivessem acesso à área e a ideia da revitalização faz muito sentido. 

“É uma bela ideia porque ela parte do princípio de consolidar uma situação que já está pronta há décadas, é um patrimônio de uso público, ele te história. A cidade ganha muito em termos de qualidade do espaço físico, que precisa ser generoso, adequado e acessível a todos.”, pontuou.

O arquiteto lembrou ainda que, em uma comparação, Mato Grosso do Sul é um dos únicos estados brasileiros que possui um local exclusivo para a concentração dos Poderes. “Que eu conheça somente Brasília, Minas Gerais e a Bahia possuem um centro administrativo formal, o quarto já é o nosso estado”, finalizou.