Clique aqui e veja as últimas notícias!

ENEM 2020

Estudantes aprovam medidas de biossegurança no primeiro dia de prova do Enem

Em meio a pandemia do Coronavírus, alunos enfrentam novas regras e se surpreendem com tema da redação
17/01/2021 18:50 - Ana Karla Flores


Com a pandemia da Covid-19 as regras de biossegurança foram mais uma das preocupações dos estudantes que realizaram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) hoje (17). Mesmo assim, participantes aprovam medidas e relataram que a surpresa foi o tema da redação no primeiro dia de prova. 

Neste domingo (17), 82.638 pessoas realizaram a prova do Enem em Mato Grosso do Sul. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) determinou o adiantamento do horário de abertura dos portões para 10h30 e adotou um conjunto de medidas de biossegurança para aplicação da prova.  

O número de estudantes por sala foi reduzido para 50% da capacidade de ocupação total, e todos os locais de prova foram higienizadas antes e depois da avaliação. O uso de máscara é obrigatório durante toda a prova, sob pena de eliminação do participante. 

A higienização das mãos com álcool em gel foi obrigatória quando os participantes acessaram as salas.

O estudante, Luiz Guilherme, 18 anos, explica que é a segunda vez que faz o Enem, e notou que este ano o número de pessoas em sala foi muito menor. “As questões de biossegurança foram bem respeitadas. Eles permitiram tirar a máscara apenas para comer, mas em questão de segurança foi de boa”.  

Guilherme detalha que algumas pessoas tiraram a máscara para comer durante a prova, mas logo colocaram novamente. “Só uma pessoa tirou e não colocou quando acabou de comer e foi advertida, veio um fiscal e já pediu para ela colocar novamente”.  

Segundo Guilherme, a única dificuldade durante o exame foi o calor, pois todas as portas e janelas estavam fechadas e o ar-condicionado desligado. “Eu poderia ter me sentido mais seguro se as janelas e portas estivessem abertas, porque estava tudo fechado, mas o distanciamento foi bem seguro”.  

Kevin Lima Carvalho, 19 anos, relata que pretende cursar tecnologia da informação e, este ano fez o Enem pela segunda vez. Ele explica que todos respeitaram as medidas de biossegurança, por isso se sentiu seguro em realizar a prova. 

“Só a máscara que é meio ruim dá um pouco de falta de ar, foi o que pode ter dificultado mais esse ano, mas foi tudo tranquilo”, relata.  

Hoje (17) os portões para o Enem abriram às 10h30 para a primeira fase da prova. Apesar das medidas de biossegurança serem seguidas nas salas, pequenas aglomerações foram geradas na entrada do local da avaliação, com filas grandes e sem distanciamento.

Tema da redação

Este ano o tema da redação do Enem foi “O estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira”. Os participantes devem fazer um texto dissertativo-argumentativo, apresentar opiniões e organizar a defesa de um ponto de vista em relação ao tema.  

De acordo com Guilherme, o tema foi pertinente, mas esperava algo diferente para este ano, com um contexto relacionado à pandemia ou ao governo federal. 

“Achei bem tranquilo o tema, mas achei que pelo ano que a gente está, não foi muito dentro do contexto do que podia ser falado. Mesmo sendo escolhido bem antes, ninguém esperava esse tema, foi bem aleatório, que nem ano passado que foi sobre a desburocratização do acesso ao cinema”, relata.  

Já Carvalho explica que achou o tema forte e teve dificuldade em começar o texto, mesmo assim conseguiu concluir. “No começo eu pensei em não fazer porque achei um tema muito pesado, por que eu conheço bastante gente com depressão, mas depois eu consegui, escrevi as 30 linhas, mas foi um tema muito complicado”.

Neste domingo, os participantes realizaram as provas objetivas de linguagens e ciências humanas, com 45 questões cada, e a prova de redação. Os estudantes tiveram cinco horas e 30 minutos para completar as questões.