Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PÂNICO

Idoso tosse em ônibus e é retirado pela Guarda Municipal

“Operação” contou também com a presença do Corpo de Bombeiros da Capital
06/05/2020 18:03 - Daiany Albuquerque


 

Um idoso foi retirado de um ônibus do transporte coletivo de Campo Grande depois de tossir dentro do veículo. Os passageiros acionaram a Guarda Civil Metropolitana e também o Corpo de Bombeiros no final da tarde desta quarta-feira (6) por acreditar que o homem estivesse com o novo coronavírus.

A confusão aconteceu na rua 13 de Maio, em frente a Praça Ary Coelho, região central de Campo Grande, na linha 085, que vai do terminal Júlio de Castilho até o Morenão. Segundo testemunhas, o homem teria usado o transporte coletivo mesmo estando com a doença, o que teria deixado os passageiros revoltados. 

Entretanto, a Guarda Municipal informou que o idoso, que não teve o nome divulgado, apenas tossiu muito dentro do carro, o que teria deixado os outros passageiros assustados por conta da pandemia da Covid-19.

O idoso, porém, teria bronquite alérgica e durante a crise de tosse o veículo parou e as portas foram abertas para que os passageiros, que estavam apavorados, descessem do ônibus. De acordo com o Corpo de Bombeiros, que foi acionado pela Guarda, o homem não apresentava nenhum sintoma do novo coronavírus e a crise deve ter sido motivada pela mudança no tempo, mas mesmo assim foi encaminhado para o Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian.

MÁSCARA

Apesar de o idoso estar de máscara, os passageiros ficaram receosos. O uso desse equipamento no transporte coletivo de Campo Grande passou a ser obrigatório desde a segunda-feira.

Além dessa regra, a Prefeitura também liberou até sete pessoas em pé por viagem, desde que respeitando o distanciamento de 1,5 metro entre uma pessoa e outra. 

 

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.