Clique aqui e veja as últimas notícias!

PENALIZAÇÃO

Procon multa 11 bancos de Mato Grosso do Sul em mais de meio milhão de reais

Demora no atendimento e ausência de distribuição de senhas são as irregularidades encontradas pelas equipes do Procon
19/05/2021 09:14 - Naiara Camargo


A Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon-MS) multou 11 instituições de crédito em mais de R$ 500 mil apenas neste ano em Mato Grosso do Sul.

Entre as instituições financeiras multadas estão o Banco Bradesco, BMG, Pan, Itaú, CBSS, Banco do Brasil, Caixa, Santander, Safra, Agiplan e CBSS.

Últimas notícias

As infrações cometidas pelos bancos são tempo de espera superior a 25 minutos, ausência de fila preferencial e inexistência de aparelhos que emitem senha.

O Bradesco tem recorde de processos, em um total de 17 notificações, que resultam no valor de 4.665 Unidades Fiscais de Estaduais de Referência de Mato Grosso do Sul (Uferms), que totaliza R$ 184.920,64. O valor do Uferms para o mês de maio é de R$ 39,64.

Em seguida, vem o Banco BMG, com 12 processos, com multa no valor de R$ 104.649,60 ou 2.640 Uferms.

Em janeiro deste ano, o Banco C6 foi multado em R$ 262.628,00 após 13 denúncias de pessoas que constaram valores superiores em suas contas correntes.

A instituição depositava dinheiro na conta de indivíduos que não solicitaram nenhum tipo de empréstimo.

O banco não possui agências físicas e seus serviços são integralmente online. 

Ao Correio do Estado, o superintendente do Procon Estadual, Marcelo Salomão, alerta que quando um cidadão descobrir que ingressou um empréstimo na sua conta sem a sua autorização, imediatamente deve entrar em contato com o banco.

Se o banco não responder, ele deve abrir um processo administrativo no Procon rapidamente.

“É importante o consumidor ficar atento porque isso é uma armadilha. O consumidor fica escravizado por empréstimo consignado sem autorização, pagando juros abusivos por muito tempo e isso pode impactar inclusive na sua margem de crédito”, reitera.

E, para não cair em ciladas, Salomão orienta que é fundamental que o consumidor sempre monitore sua conta bancária.