Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ECONOMIA

Campanha reduz em 16% a inadimplência no comércio

Campanha reduz em 16% a inadimplência no comércio
12/02/2010 08:25 -


A campanha “Nome Limpo”, realizada no final de 2009, pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), reduziu em 16,1% o número de consumidores inadimplentes no comércio de Campo Grande. No mês de outubro, quando a renegociação começou, existiam cerca de 124 mil devedores inscritos no SPC, já no dia 25 de dezembro, caiu para 104 mil, um saldo de 19,5 mil pessoas que recuperaram o crédito na praça. Cerca de 1,2 mil empresas utilizaram o serviço nos quatro anos de existência da campanha. Em 2008, a “Nome Limpo” levou cerca de 26 mil pessoas ao Serviço de Proteção ao Crédito em busca de negociação para dívidas com o comércio local. A procura pela recuperação de crédito, de acordo com o gerente da instituição, Valdineir Ciro de Souza, acontece com maior intensidade nos últimos meses do ano, por causa das festividades de Natal e Ano Novo. É nessa época em que muitos aproveitam as vantagens oferecidas pelas empresas para regularizar a situação e usam o 13º salário para quitar os débitos e voltar a comprar, desta vez, com crédito e nome limpo na praça. “Diferente de outras datas como dia das mães, dia dos pais, das crianças – onde geralmente se compra presente apenas para uma pessoa –, esta é uma época onde se presenteia todos da família e ainda amigos. Praticamente 100% dos que procuram a negociação querem limpar o nome para fazer novas compras no período”, explica. Os setores de vestuário e calçados, segundo Souza, foram os que apresentaram maior inadimplência em 2009, respondendo por 40% dos R$ 53 milhões devidos ao comércio campo-grandense, e também os com volume superior de quitações dentro da campanha – por serem justamente os mais procurados pelos consumidores para a compra de presentes. Através da campanha, as lojas ofereceram redução nos juros, multas e ainda flexibilização do pagamento, ampliando os prazos de parcelamentos. No comparativo entre janeiro de 2009 e janeiro de 2010, os dados da Associaçao Comercial revelam uma redução de 8,29% na inadimplência. “Reflexo do desempenho geral da economia que tem sido positivo, revelando recuperação de emprego e renda do trabalhador de Campo Grande”, explica Souza, lembrando que, na passagem de 2008 para 2009, havia a previsão de crise, que acabou por não se confirmar significativamente em Mato Grosso do Sul.

Felpuda


A lista do Tribunal de Contas de MS, com nomes de gestores que tiveram reprovados os balanços financeiros de quando exerceram cargos públicos, está deixando muitos candidatos de cabeça quente.  Conforme previsto pelo Diálogo, adversários estão se utilizando de tais dados para cobrar, principalmente nas redes sociais, deixando alguns gestores na maior saia justa e tendo que se explicar. O eleitor, por enquanto, só observa. E dê-lhe!