Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

DIVISA INTERNACIONAL

Com fronteira fechada, comércio busca soluções para vender mais

Paraguai anunciou que vai autorizar que compras on-line realizadas no País sejam entregues no Brasil
18/06/2020 10:00 - Súzan Benites


 

As fronteiras terrestres que separam Brasil e Paraguai estão fechadas há quase três meses. Mesmo com a flexibilização do comércio em Pedro Juan Caballero, a reabertura da divisa com a cidade sul-mato-grossense Ponta Porã ainda não tem data para acontecer. Os comerciantes dos dois países sofrem com a separação das cidades-irmãs. Além da queda nas vendas, acreditam que a economia só possa ser retomada com o fim do bloqueio. Uma das possibilidades para mitigar perdas é o comércio virtual entre os países.  

De acordo com o presidente da Câmara de Comércio e Turismo de Pedro Juan Caballero, Victor Barreto, o comércio livre entre as cidades é essencial para a sobrevivência do varejo.  “A fronteira vai continuar fechada por muito tempo. Estamos com praticamente todo o comércio funcionando aqui na cidade [Pedro Juan Caballero]. Como a fronteira vai seguir fechada, estamos negociando com o governo para reativar a economia de alguma outra maneira, porque o prejuízo é grande com o bloqueio”, disse.

A presidente da Associação Comercial e Empresarial de Ponta Porã (Acepp), Fabrícia Prioste, disse que os dois lados perdem, mesmo com o impedimento da passagem de brasileiros para o lado paraguaio, o que aumenta as vendas na cidade sul-mato-grossense, não há o que se comemorar.  

“No comércio de Ponta Porã, houve um aumento nas vendas, porém, sentimos falta do cliente de Pedro Juan. Trata-se de cidades gêmeas siamesas, impossível sentir-se privilegiado neste momento delicado”, disse Fabrícia.

O empresário e diretor da Acepp, Amauri Ozório Nunes, conta que tinha empresas dos dois lados da fronteira, mas, com o impedimento do trânsito entre os países, precisou fechar o comércio do lado paraguaio.  

“Eu fechei a loja do Paraguai, aqui no Brasil estamos trabalhando normal, só perdemos os clientes paraguaios. Fronteira fechada é uma realidade que temos de nos acostumar”, lamentou Nunes.

MEDIDAS

O governo paraguaio anunciou nesta terça-feira (16) que medidas tributárias, tarifárias e de fortalecimento do comércio eletrônico serão aplicadas nas cidades fronteiriças, cujas economias dependem do varejo, que hoje está parado pelo fechamento de fronteiras. De acordo com o jornal paraguaio ABC Color, o anúncio foi feito pelo ministro das Finanças, Benigno López.  

A proposta, de acordo com o ministro, é estabelecer um sistema de compras on-line, no qual o produto adquirido do lado paraguaio seja levado para um entreposto aduaneiro, para que turismo de compras seja restabelecido. O comprador estrangeiro poderá retirar a mercadoria sem ter de entrar no território paraguaio, respeitando o fechamento da fronteira.

Segundo informações divulgadas pela Agência EFE, a ministra de Indústria e Comércio do país vizinho, Liz Cramer, também frisou a importância da relação comercial entre Mato Grosso do Sul e o Paraguai. “As fronteiras são as áreas mais afetadas pela falta de abertura do país, o que ainda não é visto”, declarou Cramer em entrevista coletiva após uma reunião de ministros com o presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez.

A ministra ressaltou ainda a necessidade de adoção das entregas em domicílio entre as cidades. “O projeto já tem o seu piloto e vamos poder anunciar que será viável em modo experimental”, disse a ministra, que enfatizou que o serviço será supervisionado pelas autoridades sanitárias e pelo cordão militar que garante o fechamento da fronteira.  

FLEXIBILIZAÇÃO

O Paraguai registrou 1.289 casos confirmados da Covid-19 e 11 mortos, o país não registra nenhum óbito há mais de um mês. Na segunda-feira (15), o Paraguai adotou a terceira fase da saída da quarentena, permitindo a reabertura de restaurantes, academias, teatros, exames e defesa de diplomas no Ensino Superior, em meio a medidas e protocolos rigorosos.

Na nova etapa, os restaurantes estão autorizados a abrir, desde que com agendamento prévio, reserva de mesa e registro individualizado de cada cliente, com nome, sobrenome, endereço, número de documento de identidade e telefone.

O bloqueio total da linha internacional entre Paraguai e Brasil foi anunciado no dia 19 de março. Desde então, as fronteiras do país vizinho com Mato Grosso do Sul e Paraná seguem fechadas. 

 

Felpuda


Questão de família acabou descambando para o lado da política, e a confusão já é do conhecimento público. 

A queda de braço tem como foco a troca de apoio político que, de um, foi para outro. Sem contar as ameaças de denúncia da figura central do imbróglio. 

A continuar assim, há quem diga que nenhum dos dois candidatos a vereador envolvidos na história conseguirá ser eleito. Barraco é pouco!