Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

Grupo majoritário amplia vantagem sobre a minoria e G10 vira G11

Deputado migrou para ter mais chance de participar de comissões
11/02/2020 12:51 - Izabela Jornada


Grupo majoritário amplia vantagem na Assembleia Legislativa e G10 passa a ser G11 com a chegada de mais um parlamentar. O deputado estadual Jamilson Name (sem partido) saiu do G9 e migrou para o G10 e a justificativa da saída é para poder compor comissões.  

Com o início das atividades legislativas, os 23 parlamentares, fora o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Paulo Corrêa (PSDB), precisam se organizar em blocos, novamente, para indicarem os integrantes das 16 comissões permanentes da Casa de Leis.  A mais cobiçada sempre foi a Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR), responsável em avaliar a constitucionalidade dos projetos de lei que tramitam no Legislativo.

Na atual composição, o presidente é o deputado Lídio Lopes (Patriotas), mas ele já adiantou que a liderança poderá mudar. O deputado José Carlos Barbosa (DEM) também anunciou mudanças ao declarar que não vai mais fazer parte da comissão porque pretende se dedicar ao “projeto Dourados”, o democratas é pré-candidato à prefeitura do segundo maior colégio eleitoral do Estado.  

O concorrente de Barbosinha em Dourados, o deputado Marçal Filho (PSDB) também é integrante na atual composição da CCJ e poderá sair do grupo, porém, ele disse que “nada foi decidido ainda”.

O deputado Gerson Claro (PP) foi oficialmente conduzido ao cargo de líder do governo na Casa e por esse motivo, decidiu também sair da CCJ, bem como da vice-liderança do antigo g10, que agora é G11. O líder do maior grupo da Casa continua sendo o deputado Londres Machado (PSD) e a vice liderança passou agora para o deputado Neno Razuck (PTB).

O líder do G8 ainda não foi definido. Com o anúncio que o deputado Márcio Fernandes (MDB) será o pré-candidato para disputar a Prefeitura de Campo Grande, pela sigla, a vaga para o comando do grupo está em aberto. 

OUTRO ANÚNCIO

Além do anúncio da liderança do governo passar para Gerson Claro, durante a sessão que ocorreu nesta terça-feira (11), o deputado Rinaldo Modesto (PSDB) leu documento oficializando sua recondução ao cargo de líder do PSDB na Casa. O vice-líder dos tucanos será o deputado Onevan de Matos.

Outra novidade é que o vice-líder do governo na Assembleia será o deputado do MDB, Eduardo Rocha. Não é de hoje que o esposo da senadora Simone Tebet (MDB) tem demonstrado apoio ao governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB). Na eleição de 2018 e durante votações de projetos do Executivo estadual, no ano de 2019, Rocha sempre sinalizou a parceria. “Eu sempre fui a favor das duas siglas serem parceiras, não concordo com o rompimento, MDB e PSDB sempre caminharam juntos; nos últimos anos que isso rompeu, mas acho que as duas siglas perdem com isso”, justificou Rocha.

OUTROS CANDIDATOS

Além de Barbosinha e Marçal Filho, outros deputados já sinalizaram interesse em disputar as eleições de outubro de 2020 e tem alguns que desejam enfrentar o prefeito de Campo Grande, Marcos Trad (PSD), em sua tentativa de se reeleger.

Além de Fernandes, os dois deputados do PSL pretendem concorrer ao Executivo municipal, Renan Contar e Coronel David. Outro parlamentar que já anunciou ser pré-candidato ao cargo foi Pedro Kemp (PT).  

BLOCOS

Londres Machado e Jamilson Name, fazem parte do maior grupo de parlamentares e os outros integrantes do conjunto de onze deputados são: Herculano Borges e Lucas de Lima, ambos do Solidariedade (SD); Antonio Vaz do Republicanos; João Henrique Catan (PL), Contar e David (PSL); Gerson e Evander do PP e Neno Razuck do PTB.

Os integrantes do G8 são: Pedro Kemp e Cabo Almi, ambos do Partido dos Trabalhadores (PT); Fernandes, Rocha e Câmara do MDB, Barbosinha e Zé Teixeira do DEM e Lídio Lopes do Patriotas.  

O único partido que conseguiu constituir bancada foi o PSDB. Os cinco deputados que fazem parte do ninho tucano são: Marçal Filho, Paulo Corrêa, Rinaldo Modesto, Felipe Orro e Onevan de Matos.  

CCJ

Os trabalhos legislativos iniciaram na semana passada. Na ordem do dia da Assembleia constava a reunião da CCJ, porém, como os blocos ainda não estavam definidos, não ocorreu. De acordo com o deputado Gerson Claro, na semana que vem ocorrerá a primeira reunião da comissão. "E vamos dar prioridade para o projeto das taxas cartorárias; esse projeto precisa ser tramitado logo", finalizou.

 
 

Felpuda


Apressadas que só, figurinhas tentaram se “apoderar” do protagonismo de decisão administrativa. Não ficaram sequer vermelhas quando se assanharam todas para dizer que tinham sido responsáveis pela assinatura de documento que, aliás, era uma medida estabelecida desde 2019. Quem viu o agito da dupla não pode deixar de se lembrar daquele pássaro da espécie Molothrus bonarienses, mais conhecido como chupim, mesmo. Afe!